quarta-feira, 31 de dezembro de 2008

REFORMA ORTOGRÁFICA

Em 1º de janeiro de 2009 entra em vigor a reforma ortográfica na língua portuguesa, assinada por 8 países que têm o português como língua oficial: Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor Leste.

As novas regras ortográficas obrigarão os portugueses a grafarem algumas palavras como no Brasil, e vice-versa. A principal novidade por aqui é que o alfabeto brasileiro passará a ter 26 letras, incorporando as letras "k", "w" e "y", anteriormente só utilizadas em nomes próprios.

Outras mudanças aparecem na tabela abaixo.






Feliz 2009 para todo mundo.

segunda-feira, 29 de dezembro de 2008

AEROPORTO INTERNACIONAL COMANDANTE GUSTAVO KRAEMER - BAGÉ, RS.

O Aeródromo Municipal foi criado em 1932, na área onde hoje é o Aeroclube de Bagé. Em 1943, foi transferido para o local atual (Rua 14 Bis, s/nº, Bairro Comandante Kraemer, Bagé, RS). O primeiro terminal de passageiros foi construído em madeira-de-lei, próximo à cabeceira da pista 14, e o aeroporto, propriamente dito, foi inaugurado em 05 junho de 1946 e passou a ser chamado de Aeroporto de Bagé.
Em 1950 um novo terminal de concreto foi construído, e em 1952 o aeroporto de Bagé recebeu a denominação de Aeroporto Internacional Comandante Gustavo Kraemer, em homenagem ao Fundador da empresa SAVAG (Sociedade Anônima Viação Aérea Gaúcha) que operou entre 1946 e 1965.
Na década de 1960, foram construídas as pistas 05/23 de concreto, medindo 1500 x 30m, e o pátio de manobras, medindo 65 x 55m.
O atual terminal de passageiros foi inaugurado em 05 de março de 1974 pelo, então, Presidente da República General Emílio Garrastazu Medici.
Em 27 de outubro de 1980, a INFRAERO assumiu a gerência do aeroporto que hoje não tem suporte técnico para vôos comerciais.

domingo, 21 de dezembro de 2008

FUTEBOL: O PAPAI NOEL VEM DE AZUL.


O Papai Noel deste ano vem de azul. A costureira foi chamada às pressas para fazer uma nova roupa para o Papai Noel que não quer fazer feio neste Natal. A tradicional roupa vermelha não iria ficar bem porque no último suspiro de 2008 o azul predominou. Além de ter eliminado o SC Internacional, seu tradicional rival, nas semifinais do Campeonato Brasileiro Sub-20, o Grêmio Football Porto Alegrense venceu também o Sport Club do Recife, na final, e é Campeão Brasileiro Sub-20, 2008. Como esta era a última disputa do ano no RS e no Brasil, o Papai Noel resolveu, por conta própria, reeditar o que fez lá no distante ano de 1961, quando veio todo de azul em alusão à espetacular virada gremista no Gre-Nal nº 157, o último jogo daquela temporada no Rio Grande do Sul.

Na foto, o Papai Noel de azul [Paulo Sant'anna, o torcedor-símbolo do Grêmio que hoje é Cronista da RBS] exibe-se diante do público, acenando com o "V" da vitória.


















Feliz Natal para todos. Feliz Navidad a todos. Buon Natale a tutti. Bon Nadal a tots. Craciun Fericit tuturor. Joyeux Noël à tous. Merry Christmas to everyone. Frohe Weihnachten an alle. Vrolijk kerstfeest voor iedereen. Glædelig jul til alle. God jul til alle. God jul till alla. Hyvää joulua kaikille. Kellemes Karácsonyi Ünnepeket. Wesołych Świąt dla wszystkich. Veselé Vánoce všem. Veselé Vianoce všetkým. Linksmų Kalėdų visiems. Priecīgus Ziemassvētkus visiem. Vesel Božič vsem. Sretan Božić svima. Счастливого Рождества всем. Щасливого Різдва всім. Сретан Божић свима. Честита Коледа на всички. Καλά Χριστούγεννα σε όλους. חג שמח לכולם . عيد ميلاد سعيد للجميع. Merry Christmas cho tất cả mọi người.

sexta-feira, 19 de dezembro de 2008

TATURANAS

Nos meses de dezembro e janeiro elas aparecem. São comuns no sul do Brasil. Antes, há uns 30 ou 40 anos, predominava por aqui a taturana preta com a cabeça vermelha que a gente chamava de "bicho-cabeludo" ou "maranduvá". Nos dias atuais se vê taturanas de várias espécies, inclusive a que é conhecida como taturana-assassina que até o final da década de 1980 só era encontrada no Amapá. É possível que os desmatamentos na região norte do país tenham contribuído para a extinção de algum provável predador desse tipo de taturana. Especulo que por causa do aumento desenfreado da população desses bichos, eles resolveram se expandir para outros lados e vieram parar aqui.

Um bairro de Canoas, na região metropolitana de Porto Alegre, está infestado pelos tais maranduvás. Não são as Lonomia obliqua (nome científico da taturana-assassina), mas tomaram conta das ruas, das casas e caem até nas camas das pessoas, enquanto estas dormem. E queimam!

Quanto à Lonomia obliqua (ver foto), esta é perigosa porque possui um veneno que inibe a formação de fibrina no indivíduo vitimado pela sua queimadura. A fibrina é responsável pela coagulação do sangue e a sua diminuição pode causar graves hemorragias. O Entomologista do Butantan, Roberto H.P. Moraes, especialista em insetos, dá o quadro resultante: "A pessoa sangra pelo nariz, pelas gengivas e por vários órgãos do corpo". A gravidade do caso depende da toxina liberada pela lagarta.

As árvores são o local favorito desses bichos, e o risco é maior se alguém, por acidente, toca em várias lagartas ao mesmo tempo. Quando isso ocorre, é necessário que se busque socorro médico imediato. O antídoto para a toxina da taturana é o soro antilonômico, desenvolvido pelo Instituto Butantan, em 1995.


No site http://www.macrofotografia.com.br/, de Tacio Philip, é possível visualizar vários tipos de lagartas e muitas outras espécies de insetos. Vale ir lá conferir.

E para não deixar dúvidas: Queimadura de taturana pode matar.

Foto: Mundo Estranho - setembro/2002.

terça-feira, 16 de dezembro de 2008

NA BEIRA DO MAR

Nas revistas, jornais, rádio e TV muito se comenta sobre os perigos da exposição à luz solar, principalmente entre 11 da manhã e 5 da tarde, se considerarmos o horário de verão. Protetores contra os raios UV-A e UV-B existem a escolher nas farmácias, nos supermercados e em lojas especializadas. Pouco se ouve falar, todavia, nos perigos do mar, os quais somente são ressaltados quando uma ocorrência mais grave reacende um sinal de alerta que deveria estar permanentemente conectado aos sentidos de todos os banhistas.

Tomar banho somente nos locais cobertos por salva-vidas e respeitar as bandeiras de advertência [verde, amarela ou vermelha] é a regra nº 1. A regra nº 2 é obedecer a regra nº 1. O descuido, a negligência ou os caprichos do mar, todavia, podem fazer com que alguém venha a passar por grandes apuros. Quanto à expressão "caprichos do mar" quero dizer que o mar, regulado pelo vento, pela atividade vulcânica submarina, pelo movimento da crosta terrestre e pela ação gravitacional da Lua, é imprevisível. Na beira do mar esta característica pode ser observada pela constante alteração dos locais dos bancos de areia e buracos em dias de vento mais forte ou em uma certa manhã posterior a uma noite de mar agitado.







Nos verões do Cassino, que é a praia mais próxima de onde eu me encontro, uma série de ondulações (bancos e cavas) sucessivas se prolongam paralelamente à praia, alternando zonas mais profundas com zonas mais rasas à medida que se anda mar adentro. O Laboratório de Oceanografia Geológica da FURG, em levantamentos realizados em diversos verões, constatou que, em geral, existem dois bancos e duas cavas situados até uma distância de 120 metros da linha d'água. Na primeira cava as profundidades são menores e para quem não é bom nadador é bom parar por aí ou no próximo banco de areia. A segunda cava é mais profunda, o que para uma pessoa de estatura média (em torno de 1,70 m), pode significar água na altura do peito sem considerar a incidência e a força das ondas, causadoras de desequilíbrios indesejados. Em dias de vento Nordeste intenso a areia se move paralelamente à praia, e é aí que mora o perigo, porque as diferenças entre as cristas e as depressões aumentam, e se formam buracos de localizações muito variáveis. Então é hora de enquadrarmos a regra nº 3: Não ultrapasse a altura da sua cintura.

Mas ainda não terminou. Os espaços existentes entre dois bancos de areia enfileirados longitudinalmente, ou seja, ao longo da praia, permitem que entre eles fluam correntes perpendiculares que saem da praia em direção ao mar. São as chamadas "correntes de retorno". Quando as ondas quebram (arrebentação), formando aquela espuma bem visível, elas estão se chocando contra bancos de areia ou locais onde a profundidade do mar é muito menor em relação àquela em que as ondas vinham se desenvolvendo. Nos locais onde não há essa diferença de profundidade, as ondas não quebram e, consequentemente, não produzem a espuma. Elas simplesmente invadem a praia com força e retornam com a mesma força, arrastando o houver pela frente, formando um perigoso corredor de água mais turva. A regra nº 4 pode se enquadrar aqui: Não entre na água em locais onde o nível da areia da praia tiver uma inclinação bem mais acentuada em relação ao restante da orla. Ali, certamente, tem um enorme buraco, e com uma perigosa corrente de retorno.












Para identificar uma corrente de retorno devemos observar se:
- uma porção de água turva está passando entre uma zona de arrebentação;
- existe uma diferença na coloração da água (marrom, porque as correntes suspendem areia do fundo; azul mais escuro, devido a canais mais profundos);
- o local apresenta um formato de cogumelo quando visto de um lugar mais alto;
- as ondas não quebram ali, caracterizando um corredor por onde flui a corrente;
- a superfície do mar parece mais "crespa" no local da suposta corrente;
- existe espuma se movendo em direção ao mar aberto.

Se um banhista ou surfista for apanhado por uma corrente de retorno deve pôr em prática a regra nº 5: Não entrar em pânico, nem tentar nadar contra a corrente. A regra nº 6 vem a seguir: Nadar em paralelo com a praia até que esteja fora da corrente. As correntes de retorno, na maioria das vezes, não ultrapassam os 12 metros de largura. Os bancos de areia, onde as ondas quebram, estão muito próximos, e são facilmente identificados pela espuma da quebra das ondas, as quais podem ser aproveitadas para o impulso final de volta à praia.

Se, ainda assim, o indivíduo não conseguir sair da corrente, entra na parada a regra nº 7: Boiar, calmamente, até que a corrente enfraqueça (geralmente além da arrebentação, na zona denominada "cabeça". Nadar, então, na diagonal em direção à praia.

Se nada disso der certo, o jeito é apelar para regra nº 8: Boiar (lembrar-se que no mar é bem mais fácil boiar em função da sua densidade, que é maior em relação à da água doce, basicamente por causa da salinidade, embora outros fatores possam contribuir para aumentá-la ou diminuí-la) e pedir ajuda.












Em resumo, é melhor sempre obedecer às regras nºs 1 e 2 para nunca ter problemas com o mar.

Bom veraneio.

sábado, 13 de dezembro de 2008

COLORIZADAS

Outro dia achei umas fotos antigas, em preto & branco, nos arquivos familiares e imaginei que elas reproduziriam melhor o passado que lhes moldou o cenário se pudessem ser apreciadas com as cores originais do ambiente da época. Então peguei uns lápis de cera e fui perguntando para a minha mãe [que aparece de blusão verde na primeira foto] se ela lembrava das roupas, do local e do ano de cada um dos registros fotográficos. Pintei as fotos conforme as informações que obtive dela, e saiu isto aí. É óbvio que não colori diretamente as fotografias. Tirei uma cópia de cada uma, pintei [tal e qual uma criança do jardim de infância] e tirei nova cópia de cada uma das fotos já colorizadas.


As Noivas, 1952. O local da foto é uma praça na cidade de Rio Pardo, RS, que fica entre as ruas Arthur Falkemback e São Francisco (ver mapa) e as modelos são, da esquerda para a direita, a minha mãe e as minhas tias [todas cunhadas entre si, não irmãs].










Festa em Família, 1966. Esta é uma família de amigos, com os quais mantemos relações de amizade há 48 anos, e que na ocasião comemorava o aniversário do jovem Elias [o rapaz mais alto] na sua residência, na Rua Flores da Cunha, em Bagé. RS.

A Visita da Prima, 1963. O fotógrafo desta aí foi contratado exclusivamente para o aniversário deste cara aí [que sou eu]. Dentro do que consegui lembrar, "retratei" as cores originais do ambiente. E o local é a casa vizinha à da família retratada acima, em Bagé, RS.








Para aumentar as imagens, é só clicar em cima das mesmas, como de praxe.
Posted by Picasa





quarta-feira, 10 de dezembro de 2008

REALDOLL

Elas vieram da Suécia e...:
- são feitas de silicone em tamanhos que variam entre 1,50 a 1,75 metro;
- a textura da pele é semelhante à da pele humana em 99,8%;
- sua durabilidade, sob uso abusivo, é de 2 anos;
- são adáptáveis a várias posições;
- têm sensores espalhados por todo o corpo (em torno de 100), sendo 30 deles nas zonas erógenas, onde cada um deles faz com que esbocem, levemente, até 20 combinações de movimentos;
- ao serem usadas, emitem um som leve e macio que ecoa generosamente nos ouvidos do(a) dono(a);
- vêm com sonorização embutida na garganta e reconhecem até 16 comandos de voz personalizados (em português, inclusive) a até 2 metros de distância dos seus "ouvidos";
- quando existe algum tipo de pulsação dentro das suas zonas erógenas, emitem leves gemidos de estímulos;
- ficam úmidas com facilidade, bastando para isso que uma leve "mão-boba" deslize sobre quaisquer das zonas dotadas de sensores.
O mais importante é que vêm com cinto de castidade, digo, com uma senha para utilização. A instrução na embalagem sugere que a chave, digo, a senha seja muito bem guardada para evitar dores de cabeça.

Principais características e vantagens desse brinquedo para adultos:
- três entradas operacionais ao inteiro dispor do(a) dono(a);
- possibilidade de trocar a cabeça (para variar um pouco);
- pode-se escolher a altura e o peso (são 7 os tamanhos disponíveis);
- as medidas (quadril/busto), cor da pele, dos olhos, cabelo e/ou pelos do púbis (que podem, inclusive, ser raspados), o tamanho das unhas e a cor do batom, podem ser alterados;
- não são elétricas (portanto, não há perigo de curto-circuito, mas não sei se dá para levar para a banheira);
- não falam;
- não têm TPM e posteriores incômodos;
- não engravidam;
- não vêm novela;
- não engordam;
- etc.

Desvantagens:
- custam €$ 4.500 (em torno de R$ 14.300,00), cada;
- podem levá-lo(a) à loucura (você vai começar a querer conversar com a "mulher" que escolheu, e quando se der conta que está falando sozinho há vários meses, será tarde demais);
- você vai se tornar arredio e começará a contar as horas e minutos que faltam para voltar para casa e se encontrar com o seu novo "amor";
- você vai manter as janelas do seu apartamento sempre fechadas, com medo que alguém descubra o que poderia ser interpretado como um "desvio de conduta" da sua parte e também vai começar a evitar receber visitas;
- em caso de assalto à sua residência, sua "namorada" pode ser seqüestrada e o valor do resgate pode incluir a senha que você tão zelosamente guarda de cabeça (para não ter perigo de alguém roubar).
E para completar:
- os vizinhos, amigos, pais, irmãos, parentes mais chegados e colegas de trabalho vão pensar que você está, no mínimo, estranho e, talvez, a um passo da demência.
Posted by Picasa
Diante das vantagens e desvantagens do produto, aqui relacionadas, cabe somente a você decidir 70 arrumar uma namorada, se prefere continuar sozinho(a), ou se arrisca aventurar-se com a encantadora e perigosa sueca.

terça-feira, 9 de dezembro de 2008

JACQUES-YVES COSTEAU

Eram fascinantes os documentários produzidos por Jacques-Yves Cousteau (Saint André de Cubzac, 11/06/1910 - Paris, 25/06/1997), ex-oficial da marinha francesa e um dos inventores do aqualung, um equipamento do tipo SCUBA (Self-Contained Underwater Breathing Apparatus) de mergulho autônomo que substituiu os pesados escafandros.
Costeau produziu 70 documentários para a televisão sob o título "The Undersea World of Jacques Costeau", onde a bordo do seu barco oceanográfico Calypso, juntamente com a sua experiente equipe, executou e apresentou para o mundo ocidental pesquisas submarinas em rios, lagos, mares e oceanos. O primeiro filme da série foi exibido em 1975.

No flagrante acima, a bordo do Calypso, Costeau orienta, pelo rádio, sua equipe de mergulhadores.

domingo, 7 de dezembro de 2008

HAPPY BIRTHDAY!

1978 - Na manhã de 7 de dezembro, ao mesmo tempo em que eu me preparava para voltar para Bagé, RS, um dia após o início das férias da Faculdade de Engenharia Civil, em Pelotas, RS, a minha prima Bia entrava em trabalho de parto e, em seguida, nasceria a Cíntia, meses mais tarde, batizada por mim e pela Carmem [a melhor amiga da Bia] na Igreja Nossa Senhora Auxiliadora, em Bagé, RS.
Cíntia, a aniversariante, é Advogada e trabalha atualmente em Santa Maria, RS.
Parabéns, Cíntia! Saúde e felicidade.
Posted by Picasa

sábado, 6 de dezembro de 2008

MUSA DO BRASILEIRÃO 2008- A CAMPEÃ

Ariane Gonzales, representante da SE Palmeiras, foi eleita com justiça, se levarmos em conta somente as cinco finalistas, Musa do Brasileirão 2008. Ela era uma das minhas apostas desde o início da seleção, juntamente com a belíssima Thaís Carvalho, musa do Goiás EC e as musas Patrícia Murta, do Cruzeiro EC (eliminada na 3ª classificatória) e Caroline Alves, do Grêmio FBPA (eliminada na 5ª classificatória), maravilhosas, as quais mereciam ir bem mais longe no concurso, o que, em função da fórmula adotada pelos organizadores, não foi possível.
As outras três finalistas, não menos belas do que as supracitadas candidatas, também se destacaram, cada qual com as suas qualidades particulares: Gabriela de Carvalho, do Figueirense, com seu corpo harmonioso; Kelly Medina, do Santos, simpática e com um belo rosto; Thalita Andrade, do Ipatinga, cujo ponto forte é o rosto.
Outras que foram desclassificadas muito cedo - e aí eu reitero que o processo eliminatório, cujas chaves são escolhidas por sorteio, não ficou bom porque candidatas com grande potencial para chegar à final podem se enfrentar prematuramente, como, na verdade, ocorreu - mereciam também ir mais além. E dentre elas cito a Marcella Schittine, do CR Vasco da Gama, a Jane Pereira, do São Paulo FC, a Danielle Rocha, do C Atlético Mineiro e a Agatha Pereira, do Fluminense FC.
Todas as vinte candidatas, porém, estão de parabéns, pois qualidades tiveram de sobra para ultrapassar os difíceis obstáculos que as levaram até o Caldeirão do Huck.
Foi uma grande sacada do Luciano Huck e da Rede Globo. O concurso é um grande sucesso.

Parabéns à Ariane Gonzales, Musa do Brasileirão 2008.
Posted by Picasa

LIÇÃO DE MARKETING

Desde já informo que o episódio, a seguir, é só um chiste, como diriam aqueles que sólo hablan en español, mundo afora.


Em uma convenção de fabricantes de cervejas brasileiras, reunindo os maiores produtores do país, estavam presentes os presidentes da Brahma, Skol, Kaiser, Antartica, Schin, Polar e etc.

Ao término do simpósio todos se reuniram no restaurante para uma confraternização.


Muito esperto, ao perceber a aproximação do garçom, o presidente da Schin pediu em alto e bom som:
- Garçom, uma Nova Schin, por favor! Isso sim é que é bebida!


Todos se olharam espantados, enquanto ele contemplava sua cerveja, certo de que saíra bem.

Não querendo deixar por menos, o presidente da Brahma sentenciou:
- Amigo, traga a verdadeira nº 1!
Novamente todos se olharam espantados e ele ficou achando que tinha dado a resposta merecida.

Indignado, o presidente da Kaiser bate na mesa e grita:
- Me vê a do baixinho! Esse sabe das coisas...!
Enquanto todos olhavam para o garçom que se aproximava com a cerveja ele ficou convicto que tinha dado uma resposta à altura.

Não podendo perder a oportunidade o presidente da Skol, pede:
- Me traz a que desce redondo...!
Novamente todos se olharam espantados e ele, satisfeito, julgou ter dado a resposta merecida.

E assim, seguiram os presidentes das cervejarias, cada um pedindo à sua maneira, até que chegou a vez do presidente da Polar:
- Tchê, me traz suco de laranja, por favor!
Todos se olharam abismados, achando que ali ele perdera uma boa oportunidade de responder como deveria.
O garçom curioso aproxima-se e pergunta:
- O senhor tem certeza?
Ele respondeu:
- Mas bah tchê! Se nenhum vivente vai beber cerveja, eu também não vou!

sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

WALT DISNEY & CIA

1928 – Walter Elias Disney, mais conhecido como Walt Disney, (05/12/1901, Chicago - 15/12/1966, Los Angeles) cria o personagem animado Mickey Mouse, originalmente chamado Mortimer. O objetivo era competir com o Gato Félix, personagem de grande sucesso nos anos 1920, criado pelo cartunista americano Otto Messmer, mas lançado pelos estúdios Sullivan, que detinham os direitos autorais sobre o desenho, cujo proprietário Pat Sullivan, dizia ser ele o criador do famoso gato.
O Mickey, hoje com 80 anos, acompanhado por sua noiva Minnie, o amigo Pateta, o seu cachorro Pluto e os vilões João Bafo-de-Onça, Mancha Negra e Irmãos Metralha, alegrou e distraiu a gurizada de várias gerações através das edições mensais das revistas “Mickey”, em quadrinhos.
Hoje, em função da infinidade de distrações que envolvem desenhos animados na TV e vídeo-games infanto-juvenis, raros são os pais que incentivam os filhos à leitura dessas revistas que, juntamente com o “Almanaque do Tio Patinhas” e outras publicações do gênero, ajudam, de verdade, a enriquecer o vocabulário das crianças, bem como as condicionam, para sempre, a escrever palavras, expressões e frases, corretamente, sem os erros horripilantes que se vê por aí nos perfis, recados e mensagens dos Orkuts da vida.
Posted by Picasa

terça-feira, 2 de dezembro de 2008

ARMAN

1982 - O artista plástico Armand Pierre Fernández (1928-2005) conclui a escultura Long Term Parking, em Jouy-en-Josas, França. O trabalho é uma acumulação de carros incrustrados em 1800 toneladas de concreto, com seção transversal quadrada de 6 metros e 18 metros de altura.
Em 1958 um erro tipográfico na capa do catálogo da exposição da galeria Iris Clert, em Paris, França, corta-lhe do nome o «d» final. O artista, fazendo juz à sua genialidade e aproveitando-se do acaso, resolve adotar simplesmente o nome Arman.








Posted by Picasa

quinta-feira, 27 de novembro de 2008

ENCHENTE EM SANTA CATARINA.


Impressionante fotografia de Filipe Araújo (Associated Press/Correio do Povo) da enchente em Santa Catarina: "Vítimas recolhem produtos alimentícios no meio do barro, da lama e da água suja em supermercado alagado no município de Itajaí".
Distante 88 Km de Florianópolis, o município de Itajaí tem cerca de 150.000 habitantes e sua altitude é de apenas 1 metro acima do nível do mar, o que explica, em parte, o transtorno que pode causar o excesso de chuva na região.

Em vermelho, no mapa a seguir, parte da região atingida pela cheia do Rio Itajaí.
Não é a primeira vez que uma catástrofe natural atinge o vale do Itajaí, no estado de Santa Catarina. Em 1983, Blumenau ficou debaixo d'água, demorando um bom tempo para recuperar-se dos estragos. Quando, finalmente, parecia que tudo estava bem, outra enchente de proporções maiores, em 1984, "destruiu a cidade completamente", segundo alguns moradores, "mas não a coragem do povo", disseram outros.
Abaixo, um registro fotográfico do centro da cidade de Blumenau durante a enchente de 1983.
Foto: Foto Hélio.








terça-feira, 25 de novembro de 2008

BIQUINI

O objetivo do nome bikini era dar a entender que a mulher que o usasse provocaria nos homens o efeito da explosão experimental da bomba atômica, testada no atol de Bikini, em 1946, no Oceano Pacífico.
O biquini, inventado por um francês, pegou fama a partir do pioneirismo de atrizes famosas do cinema. Ursula Andress no filme “Dr. No” (no Brasil, “007 Contra O Satânico Dr. No”), em 1962, ajudou a popularizar essas minúsculas [na época nem tanto] peças do vestuário feminino.



Ursula Andress, atriz suíça, em famosa cena de "Dr. No".





As revistas de moda-praia também passaram a estampar modelos e atrizes exibindo feitios cada vez mais ousados. As atrizes Brigitte Bardot e Ava Gardner também estavam preparadas para usar e divulgar o biquini, tanto, que assim o fizeram, contribuindo também para levá-lo ao auge de popularidade na década de 1960. Daí para frente, por conta das suas belezas naturais, o Rio de Janeiro tomou conta desses magníficos pedaços de pano. Os modelos de biquinis produzidos por aqui, em tamanhos mais reduzidos, ou seja, adaptados às exigências da mulher brasileira, logo passaram a ser referência mundial.


Brigitte Bardot, atriz francesa










Kylie Minogue, cantora australiana

segunda-feira, 24 de novembro de 2008

TEREZIN- REPÚBLICA TCHECA, 1941

A cidade de Praga, na região da Boêmia, situada na República Tcheca, era, há centenas de anos, o lar de milhares de judeus. A sinagoga mais antiga da Europa também ficava lá. Quando essa capital foi ocupada pelas tropas alemãs a partir de 15 de março de 1939, os judeus tiveram suas propriedades confiscadas e suas sinagogas destruídas.









A fortaleza de Theresienstadt (Terezin, em tcheco), construída entre 1780 e 1790, segundo o comando nazista, oferecia as condições ideais para abrigar um gueto. Assim, em 24 de novembro de 1941, começaram a ser deportados para lá milhares de judeus, na sua maioria professores, artistas, filósofos e outros representantes de classes mais favorecidas.
No final de 1943, quando o mundo exterior começou a ter mais consciência do que estava acontecendo nos campos de concentração nazistas, os alemães decidiram permitir que uma comissão de inquérito da Cruz Vermelha Internacional fosse visitar o Theresienstadt. Com boa antecipação começaram a "preparar" o gueto: afrouxaram a superlotação, deportando presos para Auschwitz; construíram um café, lojas, um banco, creches e escolas, mas tudo fictício. Por fim plantaram flores e fizeram um filme de propaganda que apresentou uma Theresienstadt paradisíaca.
Todavia, a história conta que o destino final dos judeus para lá designados eram as câmaras de gás e depois os crematórios, por onde, de acordo com os relatórios finais da guerra, até maio de 1945, passaram cerca de 90 mil pessoas. Os aliados conseguiram resgatar, no fim do conflito, cerca de 16 mil sobreviventes.

sexta-feira, 21 de novembro de 2008

UMA ACADEMIA EM PELOTAS, RS.


A Academia Fernanda Grill está voltando à cena, e com ela certamente vão retornar os momentos de descontração, sem que se deixe de lado a dedicação aos treinos bem puxados que nós encaramos por lá. Acho que também estou pronto para reiniciar.
Aqui tem imagens de alguns encontros na academia e fora dela. É possível que alguém por aí se reconheça em uma das fotos exclusivas deste blog.
Vale clicar nos paineis para melhorar a visualização.




Abaixo, algumas das meninas superpoderosas dão uma demonstração de sua força e resistência.

quinta-feira, 20 de novembro de 2008

ALTITUDE DENSIDADE- UM ALERTA NO AR

Reproduzo, nesta oportunidade, como alerta aos aeronavegantes amadores e profissionais com pouca prática, uma importante matéria elaborada por Edson Cabral [Doutor em Climatologia Urbana pelo Departamento de Geografia da USP e Profissional de Meteorologia da INFRAERO] e Marcelo Romão [Consultor de Meteorologia do site de Meteorologia Aeronáutica VENTO NOROESTE].




A altitude densidade é um importante parâmetro meteorológico, causa principal ou contribuinte de muitos acidentes aeronáuticos. A imperícia de alguns pilotos, por não conhecerem bem esse fator, a imprudência por não respeitarem os limites da capacidade dos aviões ou ainda a negligência podem levá-los a riscos desnecessários e até mesmo a acidentes fatais.
A definição de Altitude Densidade está ligada ao conceito de Atmosfera Padrão, baseado em uma atmosfera hipotética obtida por médias climatológicas de várias constantes físicas, cujas mais importantes são:
Uma temperatura de superfície de 15°C e uma pressão de 1013,2 hPa ao nível do mar;
Uma taxa de variação térmica na troposfera de aproximadamente 6,5°C por quilômetro (cerca de 2°C para cada 1000 pés);
Uma tropopausa de 11 km (cerca de 36000 pés) com temperatura de - 56,5°C.
Foi estabelecido que, no Nível Médio do Mar, com as condições padrão de temperatura e pressão, a Altitude Densidade é zero.
A Altitude Densidade é, portanto, a altitude de pressão (altitude na atmosfera Padrão) corrigida à temperatura não padronizada (fora da atmosfera Padrão) ou, em outras palavras, é a crrelação da performance da aeronave com a densidade do ar.












Os principais fatores que afetam a AD são a altitude, temperatura e umidade do ar. Quanto maior altitude e mais quente estiver a temperatura ambiente menor será a densidade do ar e, conseqüentemente maior a AD; já a umidade, embora intrinsecamente ligada à temperatura, não é considerada um fator tão importante, pois afeta mais a potência dos motores do que a eficiência aerodinâmica.
Em termos médios, a altitude densidade aumenta cerca de 120 pés (acima da altitude pressão) para cada °C de aumento na temperatura acima do padrão.


A Altitude Densidade age de maneira direta na performance das aeronaves, envolvendo potência dos motores, consumo de pista, quantidade de carga, razão de subida, sustentação etc. Como se pode inferir, o fator está presente em várias fases do vôo e costuma mostrar suas artimanhas principalmente nos dias quentes e em pistas localizadas em altitudes mais elevadas.
No ano passado, um Beech P35 Bonanza caiu em Cedar City, Utah, Estados Unidos, causando a morte do piloto e de seu passageiro que decolaram de uma altitude de 8200 pés em um dia de muito calor; o avião estava com carga que excedia sua capacidade e, associado à alta Altitude Densidade, isso foi fatal, pois o piloto não conseguiu manter sua razão de subida e veio a colidir no topo das árvores que haviam no final da pista.
Outro acidente envolveu um helicóptero Bell 47 que, ao tentar decolar em Colorado Spring, Colorado, Estados Unidos, em 04 de julho de 1991, caiu no solo deixando os seus dois ocupantes feridos; nesse caso a altitude densidade era de 11700 pés.
A alta Altitude Densidade também reduz a eficiência das pás dos helicópteros, que irão necessitar um adicional de potência para poderem alçar vôo e uma decolagem mais longa em altitude. As turbinas também operam de forma menos eficiente em condições de ar menos denso. Como nos aviões, alta AD significa perda de potência, redução na razão de subida, diminuição na carga útil, o que pode resultar, por vezes, deixar um passageiro no solo.
A sustentabilidade de uma aeronave é diretamente relacionada à densidade atmosférica e esta varia conforme a temperatura e a altitude.
Aviões cargueiros tem sua capacidade avaliada de acordo com a Altitude Densidade, sendo comum os DOVs (Despachantes Operacionais de Vôo) e pilotos fazerem uma solicitação prévia aos Centros Meteorológicos de previsão de temperatura para o horário de seus vôos, visando estimar a quantidade de carga que poderá ser transportada. Para se ter uma idéia do problema, um DC-8 decolando do Aeroporto de Viracopos – Campinas (aproximadamente 2200 pés), com uma temperatura de 25°C pode levar cerca de 328 mil libras (148 toneladas) que é o seu ideal; porém, se a temperatura se elevar para 30°C, com certeza pelo menos 7 mil libras (3 toneladas) de carga paga ficarão no chão. O que as empresas transportadoras costumam fazer é evitar a decolagem durante o dia e dar preferência pelo horário noturno, quando a temperatura está mais amena, podendo assim aproveitar o máximo possível da capacidade do avião.
Um Boeing 737, por sua vez, com a elevação da temperatura em 10°C, pode reduzir em 600 kg sua massa de decolagem permitida. No caso do Airbus A310, para cada grau que a temperatura estiver abaixo da referência, a massa pode ser aumentada em cerca de 210 kg.
A indicação de velocidade relativa (com relação ao ar) é feita usando-se o tubo de Pitot que, por sua vez, depende da densidade do ar, sendo necessário fazer correções na velocidade indicada. Por exemplo, uma velocidade de 192 kt a 15.000 pés, com uma temperatura de –3,0 °C é, na realidade, 248 nós.
Pousos e decolagens de aeronaves menores também são afetados pela Altitude Densidade; um "papa tango" que necessite de 300 metros de pista para levantar vôo ao nível do mar, precisará quase o dobro dessa distância em Brasília, que está situada a 1059 metros, isso se for mantida a mesma temperatura ambiente nos dois locais. A capacidade de teto do avião também é influenciada pela AD, sendo que, quando a velocidade ascensional chegar a zero significa que foi atingido o seu teto.
Na fase de planejamento de vôo as correções para altitude e temperatura são feitas mediante a utilização de diagramas, calculadoras de navegação ou programas de computadores. Antes da decolagem deve-se consultar o manual de vôo das aeronaves para fazer os ajustes necessários da distância do uso da pista e a razão de subida, além de se verificar o ROTAER para saber a altitude do aeródromo de destino e alternativas.
Em condições normais de tempo, as horas mais críticas para os procedimentos de pouso e decolagem estão entre o meio da manhã e o meio da tarde. Caso utilize a previsão de temperatura para um período de 24 horas, dê uma margem de mais ou menos 1°C à previsão obtida. O aeronavegante nunca deve superestimar a capacidade do avião; caso necessário ele deve reduzir o peso da carga ou programar seu vôo para um horário mais adequado, visto que o comprimento das pistas é um elemento inalterável. Uma última recomendação é abastecer a aeronave nas horas mais frias do dia – as moléculas de combustível estarão mais concentradas – e em altitudes mais baixas, o que pode render uma pequena economia de combustível.



Fonte: Revista AeroMagazine

quarta-feira, 19 de novembro de 2008

OÁSIS NOS DESERTOS DA DOR

18 de Novembro de 1978 - O místico americano Jim Jones, fundador da seita Templo do Povo, é encontrado morto, com um ferimento a bala na cabeça, juntamente com outras 909 pessoas que se suicidaram através de envenamento, na isolada comunidade agrícola de Jonestown, também fundada pelo pastor, em 1977, na Guiana.

(1)


As pessoas que viviam nessa colônia não podiam, sob hipótese alguma, estabelecer contato com o mundo exterior sob pena de sofrerem pesados castigos. A colônia era uma espécie de comunidade socialista auto-suficiente.
O suicídio coletivo foi a saída que o "mestre" Jim Jones encontrou ao se ver acuado pelo governo americano que descobriu os abusos e desrespeito a seres humanos, cometidos na comunidade.
(2)

Chico Anísio, humorista brasileiro, usou um nome parecido [Tim Tones] para representar um mestre religioso semelhante ao do grupo Templo do Povo, mas copiou daqui do Brasil as práticas de recolhimento de donativos. O vídeo http://oseculoxx.blogspot.com/2008/11/passando-sacolinha-tim-tones.html
em seu programa humorístico, no final dos anos 70 e início dos 80, dá uma amostra do que pode estar ocorrendo ainda hoje por aí.
Fotos: Getty ImagesDavid Hume Kennerly (1); Getty ImagesDon Hogan Charles / New York Times Co. (2).

TIM TONES

A versão chicoanisiana para o fenômeno Jim Jones, antevendo o que [em seguida] aconteceria por aqui.

segunda-feira, 17 de novembro de 2008

CAMISETA PIRATA

Completamente sem noção da rivalidade por aqui, a inocente chinesa ostenta no peito [no lado direito, para não esconder o logotipo da Kappa] o escudo do imortal tricolor. E para confirmar que ela não se enganou de distintivo, no "verso" da camiseta mandou estampar o nome do clube.Tendo perguntado para a amiga gaúcha [que aparece na foto 2] sobre as cores do seu time do coração [que seria o Grêmio], levou uma bola nas costas. A resposta da amiga [colorada e sacana] foi: "vermelho e branco".














PEGADOR DE BOLA

Perto de uma dezena de rapazes e/ou moças trabalham como pegadores de bola em uma partida de futebol. Quando a bola sai fora dos limites do campo de jogo, eles ou elas já estão a postos, com outra bola na mão, para entregar ao atleta que vai reiniciar a movimentação da partida. Enquanto isto, um outro pegador de bola sai em disparada para recuperar a bola que anteriormente tinha sido jogada para fora.
O termo "pegador de bola" nem é usado no Brasil. Mais fácil é chamar esses meninos ou meninas de gandulas.
¿Mas de onde veio esta denominação?
A origem do nome "gandula", segundo o que foi passado de boca em boca, é de 1939, quando Bernardo Gandulla, um atleta argentino, foi jogar no Vasco da Gama. Ele se fardava mas nunca era escalado para as partidas porque - pelo que se sabe - era muito ruim. Então sempre corria para pegar a bola que saía pelas laterais ou pelos fundos das goleiras.


A torcida, acostumada com as corridas do Gandulla para buscar a bola, passou a clamar pelo seu nome nas vezes que a bola ia pela linha de fundo ou saía pela lateral: "Vai buscar, Gandulla!" - gritavam.
E assim o Gandulla foi se acostumando a buscar a bola e o termo "gandula", já sem uma das letras "L", se incorporou, definitivamente, à linguagem do futebol brasileiro.

domingo, 16 de novembro de 2008

DA CIDADE PARA O CAMPO, DE NOVO

Os ingleses estão reinventando a casa familiar ao estilo dos anos 1930. O antigo padrão semi-isolado do que seria para nós brasileiros uma chácara, a qual é mais utilizada para descanso familiar nos fins de semana, se transforma em uma elegante propriedade, ao ponto de servir como residência fixa da família.









Tudo começa com a transformação de uma casa construída pelos avós de alguém num lugar fora dos limites da zona urbana, em uma edificação contemporânea, copiando o antigo projeto de iluminação da antiga moradia e introduzindo variadas conexões que sempre desembocam no grande jardim, característico da época.
Abaixo, casa dos anos 1930, retratada naquele período. O local é Rossendale, Lancashire, noroeste da Inglaterra.











Por aqui, especialmente no sudeste e no sul do Brasil, onde as novidades da Europa Ocidental viram tendência, não vai tardar muito a acontecer isto.

Fonte: The Times
Posted by Picasa