quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

HAPPY NEW YEAR- ABBA

Esta performance de "Happy New Year" foi gravada em Estocolmo, em 27 de novembro de 1980 e é conhecida como ABBA Around The Piano.
Como mensagem de ano novo ela foi transmitida à meia-noite de 31 de dezembro de 1980/1º de dezembro de 1981, na Suécia e na França e, desde então, tem sido exibida na Suécia na véspera de cada ano novo, à meia-noite.
video
FELIZ ANO NOVO!

segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

CRAZY- ALANIS MORISSETTE

"Crazy", de Seal e Alan Sigsworth, surgiu [em 1991] no primeiro álbum de Seal, cantor e compositor britânico.
Aqui a performance é de Alanis Morissette, que em 2005 regravou a música para o seu álbum "Alanis Morissette: The Collection". No ano seguinte, "Crazy", com ela, foi incorporada à trilha sonora de "O Diabo Veste Prada" (The Devil Wears Prada).
video

UM HOMEM DE FAMÍLIA

No aeroporto, Jack Campbell (Nicolas Cage) se despede da namorada Kate (Tea Leoni), prometendo voltar em um ano. Ele está de partida para Londres, onde pretende estudar para virar um executivo de sucesso. Intuitiva, ela implora para que ele desista, em vão.
Treze anos depois, na véspera de natal, Jack continua solteiro em Wall Street, com dinheiro e uma boa vida. Kate é apenas uma boa lembrança. Após um dia inteiro de trabalho, Jack dispensa o motorista e resolve voltar para casa a pé, envolvendo-se em uma situação inusitada.
Exausto, chega ao seu elegante apartamento, deita-se e, em seguida, adormece. No dia seguinte, Jack acorda num quarto bagunçado ao lado de sua esposa(?) Kate. E tem mais gente na casa- um menino de colo e uma menina de 6 anos que o chama de papai.
Suas roupas caras desapareceram e seu emprego agora é em uma loja de pneus.
Relutante, Jack começa a viver seu papel de marido, pai e vendedor de pneus e, pouco a pouco, começa a se acostumar [e gostar] deste novo papel, redescobrindo seu amor por Kate.
Jack Campbell está feliz com esta segunda chance, porém...
"Um Homem de Família" (The Family Man)- USA, 1999, dirigido por Brett Ratner, estreou no Brasil em dezembro de 2000, tem 125 minutos e eu recomendo.

MUITOS ANOS DEPOIS


Clique na foto para ver melhor.
Fonte: UOL

À primeira vista esta é uma foto muito comum, onde alguns colegas de trabalho estão reunidos para uma confraternização de final de ano.
É uma reunião, e são colegas de trabalho..., mas de um trabalho realizado há mais de vinte anos. Alguns destes aí são os goonies, e dentre eles aparece o diretor do filme de mesmo nome (The Goonies), Steven Spielberg. Eles voltaram a se encontrar [após todo esse tempo] atendendo ao chamado da revista Empire, uma das referências mais importantes do cinema mundial, que completou 20 anos em 2009.
E antes que alguém dê pela falta de alguém, vou logo avisando: está faltando o "Sloth" (John Matuszak). Ele morreu de ataque cardíaco aos 38 anos, em 1989. Dizem que o problema que teve foi devido ao uso de esteróides.

quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

EU ERA UM LOBISOMEM JUVENIL- LEGIÃO URBANA

Todas as cenas deste video são oriundas do especial "Por Toda Minha Vida" exibido pela Rede Globo.
video
O vídeo é de Janilson Xavier. Ele é Técnico em Informática e dá aulas de edição de vídeo.



...
"Se você quiser alguém pra ser só seu
É só não se esquecer: estarei aqui."

FELIZ NATAL!

PAPAI NOEL DE AZUL [DE NOVO!]

O sub-20 do Grêmio repetiu o feito do ano passado, consagrando-se bicampeão brasileiro da categoria. Na semi-final o Grêmio enfrentou e venceu [nas penalidades máximas] o mesmo adversário do ano passado.
Em 2008 o jogo final foi contra o Sport Recife; desta vez a decisão foi contra o Clube Atlético Mineiro que, na semi-final, ganhou do Fluminense também nos pênalties.
Novamente o Papai Noel teve que, às pressas, tirar a roupa vermelha que insiste em querer usar, e vestir a mesma roupa azul do ano passado, o que já está virando tradição.
O gol da vitória [e do título] da gurizada eu não poderia deixar de mostrar aqui.
Fonte: gremiotv


terça-feira, 22 de dezembro de 2009

UMA VELHA PADARIA


Foto: Patrick Elie

A rua [acima e abaixo] é a mesma. Até a padaria & pastelaria da esquina continua ali, e é possível que pertença à mesma família.
A foto de cima é contemporânea; a de baixo tem 65 anos e registra a passagem de um regimento de infantaria motorizada americano em algum canto de alguma cidade da Normandia, uns dias depois do dia D.

A mão do homem e o tempo, que não pára (botei o "para" com acento agudo porque não aceitei bem as tais mudanças na escrita), preservaram, dentro do possível, a arquitetura original do local.

INTERNETÊS GAUDÉRIO

Esta aí é do Cláudio Corrêa Falcão de Azevedo, um chargista da mais alta categoria, que exercita esta habilidade há mais de trinta anos. Ele está diariamente no "Minuano on line", de Bagé, RS.

segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

FLÁVIA ALESSANDRA NA SHAPE- MAKING OFF

Ela também está na revista Playboy de dezembro, mas a divulgação dessas fotos eu deixo para a própria Playboy. A Flávia Alessandra que aparece neste making off [para a revista Shape de dezembro], e que é linda até de roupa, veio aqui só para conversar [informalmente] sobre família e trabalho.
video
¿Quem disse que aqui não aparece mulher bonita?


Adicionar vídeo

quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

A PRIMEIRA ÁRVORE DE NATAL

Contam que o Papai Noel, lá por dezembro de 1509, tendo partido dos arredores de Rovaniemi, na Lapônia, em sua longa viagem por toda a Europa (naquele tempo ele só andava por lá), resolveu parar para descansar próximo a um povoado de Riga, Livônia (atual Letônia). O trenó abarrotado de presentes e o vôo contra um vento forte de sudoeste, esgotara as renas que também precisavam, a essa altura, de um sono reparador. O velho Joulupukki, como é chamado em sua terra natal, resolveu procurar abrigo para pernoitar. Encontrou o que procurava, em uma trilha, sob uma gigantesca árvore centenária cujo tronco principal se desdobrava em três partes em direção às suas raízes, formando um abrigo natural onde o Papai Noel e suas renas podiam relaxar e recuperar suas forças, para depois retomar sua viagem.

Cuidadoso com os presentes o velho Noel resolveu retirá-los do trenó para salvaguardar suas encomendas. Então pendurou-os [até a altura que conseguiu subir] na copa da grande árvore, espalhando-os, harmoniosamente, por todos os galhos da mesma. Ao terminar o trabalho, extenuado, adormeceu sob a árvore.

No outro dia de manhã, muito cedo, quando nem bem o sol tinha lançado os seus primeiros raios sobre o campo [agora] nevado, um jovem aprendiz de ferreiro que todos os dias passava pelo local em direção ao seu trabalho, olhou para a árvore e notou que nos seus galhos, meio encobertos pela neve, pendiam volumes de vários tamanhos, em rústicos, porém vistosos, invólucros de papel pardo, e amarrados com fitas de pano vermelho. Na gruta formada pelas raízes da grande árvore, um velho de cabelos e barba brancos dormia, ressonando, enroscado em uma pele de urso polar. Aleksandr parou, chegou mais perto e, sem querer, assustou as renas que começaram a fazer barulho. Com medo de acordar e aborrecer o velho barbudo, afastou-se e [em seguida] decidiu correr para contar ao seu patrão a maravilha que tinha presenciado.
Em seguida vários homens e mulheres, atraídos pela novidade espalhada na ferraria, foram [aos poucos] se aproximando do local, mas logo ficaram sem entender o que havia ali de tão especial. Uma árvore gigante com raiz tripla [como as de um dente], exageradamente exposta, e só.
- "Mas não há nada aqui que não tivéssemos visto antes!"- exclamou um homem.
- "Este aprendiz de ferreiro é um mentiroso!"- gritou uma mulher mais exaltada.
- "Vamos dar-lhe uma surra!"- sugeriu uma anônima voz masculina.
E partiram tão "cegos" atrás do jovem trabalhador que ninguém se deu conta que o rapaz também estava ali no meio da multidão. Aleksandr, puxou seu capuz mais para frente, encobrindo melhor o seu rosto e, no meio da turba, também partiu em sua própria perseguição. A horda se movia a passos largos e decididos. O próprio perseguido, que os acompanhava incógnito, foi aos poucos diminuindo o comprimento dos seus passos até ficar para trás. Depois, quando aquela gente toda, enfurecida, se afastou um pouco mais, ele correu em sentido contrário.
E chegou [novamente] à base da árvore onde vira o velho e suas renas. De fato não tinha mais nada lá. Mas apurando a vista, notou que havia um pacote muito pequeno de papel pardo, adornado e amarrado com uma fita vermelha. O velho devia tê-lo esquecido, pois estava muito próximo do topo da árvore.
Com muita dificuldade subiu na velha árvore até alcançar seus galhos mais finos e, mesmo assim, não conseguiu chegar ao seu objetivo.
Enquanto isso a multidão, cada vez mais raivosa, retornava. E já o tinham visto na copa da árvore, e o que buscava. Então acercaram-se todos e ficaram assistindo, impressionados, o esforço de Aleksandr para buscar o misterioso embrulho que, por fim, foi resgatado. E nele havia apenas um bilhete enrolado em um seixo.
Não restavam mais dúvidas a respeito do que houvera dito o rapaz. E todas as pessoas que ali estavam, tomaram conhecimento do conteúdo da mensagem que dizia:
"Para os que em mim acreditarem, nenhuma explicação é necessária; para os que de mim duvidarem, nenhuma explicação é possível."
A partir de então o local [em torno da grande árvore] passou a ser considerado sagrado pelos habitantes da pequena vila. Em Riga os fatos e boatos se espalharam e a população entendeu que deveria, no mês do natal, enfeitar com presentes a gigantesca árvore para esperar a volta do Papai Noel, ou o que ele representava. E no ano seguinte (1510) surgiu a primeira- ou se quiserem, a segunda- árvore de natal que se tem notícia no mundo.

Hoje ela é enfeitada todos os anos e fica no centro de uma bela praça de um bairro da cidade. Uma estátua de bronze, de corpo inteiro, de um homem com instrumentos de ferreiro nas mãos, está ali próxima. Na placa que a identifica está escrito: "Aleksandr, kalējs- mēs uzskatām".
Ou, traduzido para o português: "Aleksandr, ferreiro- nós acreditamos".

quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

A SÉTIMA ARTE

Uns atribuem a críticos e teóricos franceses a expressão "sétima arte" para se referir ao Cinema. Outros juram [de pés juntos] que foi o italiano Riciotto Canuto quem a utilizou pela primeira vez, lá por 1911, quando escreveu o seu "Manifesto das Artes", só publicado doze anos depois.
Mas se o Cinema é a sétima arte..., ¿e as outras seis?
As outras seis são: Arquitetura e Desenho; Pintura; Escultura; Música; Literatura; Teatro e Dança. Estas são as chamadas Belas Artes, assim definidas na Europa, no final do século XVIII.

Praça do Herói- Budapeste, Hungria.


Não existe uma hierarquia para a classificação dessas modalidades artísticas. Cada um as pode classificar [desde a primeira até a sexta] como bem entender, porém o Cinema é [por tradição quase secular] a sétima arte.
Para complementar este assunto recomendo a postagem "Quais as sete artes?", de Francisco Mendes, em seu blog "Pasmos Filtrados".
Posted by Picasa

terça-feira, 15 de dezembro de 2009

BRASIL VS PORTUGAL- COPA DO MUNDO, 1966

1966, 19 julho. O Brasil jogou bem contra a Hungria, quatro dias antes, apesar de ter perdido por 3 a 1. O jogo teve erros de arbitragem que, na minha opinião, causaram prejuízos às duas equipes.
Para o jogo contra Portugal o Brasil já não estava tão confiante assim, pois precisava desesperadamente da vitória e a seleção portuguesa estava jogando um futebol muito eficiente.

Portugal, que vinha de duas vitórias, uma contra a própria Hungria [3 a 1] na estréia, e outra contra a Bulgária [3 x0], não tinha medo do Brasil; tinha medo de Pelé. Por isto abusou da violência dirigida, principalmente, contra o grande craque brasileiro, que desde a sua primeira Copa do Mundo passou a ser considerado o melhor jogador do mundo.

Atingido [na maldade], em cheio, na altura do joelho direito, Pelé ficou impedido de [ao menos tentar] reverter o quadro que já se desenhava, ou seja, a derrota e consequente desclassificação do Brasil ainda na primeira fase da Copa da Inglaterra.

As cenas, abaixo, [com narração em espanhol] esclarecem.
video
Fonte: YouTube

GRÊMIO- PROJETO ARENA

¿O projeto Arena é suicídio?
Com a palavra o ex-presidente do Grêmio, Hélio Dourado.

Fonte: Rádio Gaúcha, Porto Alegre, RS.


De fato, é tudo muito obscuro.

segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

JACARÉ AO MAR!

Já ouvi falar em crocodilo de água salgada, e sei que vivem lá pelo litoral norte da Austrália e arredores, mas jacaré no mar é novidade. Não sei não, mas eu acho que os bichos daqui já se deram conta que praia de mar é muito melhor do que os seus rios, lagoas e igarapés.
Desconfio que o jacaré que andou visitando a praia da Barra da Tijuca, no litoral do Rio de Janeiro, há uns dois anos, espalhou para os seus amigos que a água do mar faz bem para a saúde. Demorou um pouco, mas ele conseguiu convencer, pelo menos, um dos seus companheiros, e este resolveu ver se era verdade e aproveitou o fim-de-semana para tomar um banho numa praia do litoral catarinense.
Notem a cara de felicidade do bicho!
Foto: Rafael Saldanha/Ag.RBS/AE

BOHEMIAN RHAPSODY- THE MUPPETS

- ¿"Bohemian Rhapsody", de novo?
- Só que esta é uma versão Muppet.
video
Colaboração: Maurício Fontana.

LAMBANÇA

Por lá eles também fazem lambança. A explicação pode estar no fato de que o jogo [Watford x Reading] era pela 2ª divisão do campeonato inglês. É possível que o árbitro escalado para a partida tenha vindo [direto] do futebol de várzea.
video
fonte: YouTube

CORAÇÃO SELVAGEM- BELCHIOR

"Coração Selvagem", em 1976, veio na esteira de "Apenas um Rapaz Latino-Americano", o primeiro single de Antônio Carlos Gomes Belchior Fontenelle Fernandes, (Sobral, 26/10/1946), a fazer parte de todas as paradas de sucesso daquele ano.
Belchior, que andou [há uns dias] desaparecido por aí, nunca deixou de estar entre os melhores compositores românticos da música brasileira.
video
Fonte: YouTube.

sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

RODA VIVA- CHICO BUARQUE DE HOLLANDA & MPB4

Metáfora é, nas palavras do teórico literário Wolfgang Kayser (Berlin, 24/12/1906; Göttingena, 23/01/1960), "a transferência de significado de uma zona para outra que lhe é estranha desde o início", ou seja, a metáfora se materializa quando a um determinado termo atribuímos um significado diferente do habitual, onde o sentido próprio do mesmo é desprezado em prol de um [subentendido] sentido figurado.

Assim se expressavam os poetas e compositores brasileiros em tempos mais difíceis, onde o governo militar, sob o pretexto de salvaguardar a nação dos malefícios das tendências comunistas, de tudo desconfiava e a quase tudo aplicava os rigores da censura, tentando, em vão, "sufocar" a imprensa e os intelectuais, dentre os quais incluo poetas e os grandes compositores musicais. Estes sempre davam um jeito de bem expressar suas idéias à medida que iam sendo mais e mais "espremidos". Parecia que não havia limites para a sua capacidade de criação, quanto mais eram perseguidos e censurados.

Chico Buarque de Hollanda com a sua Roda Viva (3º lugar no III Festival de Música Brasileira, em 1967), é o exemplo mais forte desse talento brasileiro. Ele agregou ao seu magnífico dom poético e musical, uma sensibilidade p'ra lá de aguçada, aperfeiçoada ou [quiçá] desenvolvida em função da própria repressão a que foi submetido.

Eu quase quero agradecer ao regime militar por ter ajudado a formar, firmar e confirmar um dos maiores compositores da nossa MPB.
video

Chico Buarque de Hollanda & MP4 no III Festival de Música Brasileira, em 1967, promovido pela TV Record.
Fonte: YouTube.

quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

UM TÁXI PARA ADROGUÉ

Adrogué é uma cidade da região metropolitana de Buenos Aires, na província de mesmo nome. Pois o chiste a seguir tem muito a ver com ela. E antes que eu me esqueça: o diálogo é em espanhol.
Un hombre se encuentra en el casino de Tigre, y después de quedarse sin dinero y a las cuatro de la mañana, para un taxi y le dice:

- Buenas... mirá, tengo un problema, necesito que me lleves a Adrogué, pero como me patiné toda la guita en el casino, me dejás en la puerta de mi casa, yo subo, que vivo en un piso primero y te bajo el dinero.

A lo que el taxista le responde:

-No, esa mierda no me la creo.

-Dale che, necesito que me lleves, que me quedé sin un mango...

-No te llevo una mierda, andate caminando.

La cuestión es que al final no sé como llegó a Adrogué.

Al cabo de un mes vuelve a ir al mismo casino y le va de maravilla y se gana 50,000 pesos. Sale del casino otra vez a las cuatro de la mañana para tomar un taxi y ve que hay una cola de 20 taxis por lo menos, y se da cuenta de que el último de todos era el del otro día, y dijo para sí mismo:

-A éste hijo de puta hoy sí que lo garco...

Va al primer taxi y le dice al taxista:

-Hola, buenas noches. Te doy 100 pesos si me lleva a Adrogué, pero con una condición. Y le dice el taxista:

-Sí, sí, la que sea, la que sea.

-Que cuando lleguemos allí me la chupes.

-Vos estás loco... Buscate a otro.

El segundo taxi:

-Hola, ¿qué tal? Te doy 100 pesos si me llevás a Adrogué con una condición: que cuando lleguemos allá me la chupes.

-Tomátelas antes que te cague a palos...

Así con toda la cola, y cuando llega al último, que era el del otro día, le dice:

-Mira, te doy 100 pesos si me llevas a Adrogué, pero con una condición.

-Sí, claro, la que sea.

-Que cuando pases por delante de todos estos taxis saques la mano y grites: "¡Voy para Adrogué, voy para Adrogué!"

V-1, O PRIMEIRO MÍSSIL

Em junho de 1944, na tentativa de reverter o quadro de desvantagem na guerra, os alemães passaram a atacar a Inglaterra [e alguns alvos belgas] utilizando uma nova arma que, ao invés de ser chamada de fliegende bombe, ou algo parecido, em função das suas características, foi denominada [pelo serviço de propaganda nazista] de V-1, ou melhor, Vergeltungswaffe 1 (arma de vingança 1). Essas bombas voadoras, desenvolvidas pela Luftwafe, transportavam 800 quilos de explosivos e eram capazes de viajar até 240 quilômetros, o que era suficiente para alcançar Londres a partir do nordeste da França. A uma calculada distância, já sobre o alvo escolhido [que não podia ser menor do que o tamanho de uma cidade, em função da impossibilidade de corrigir distorções na rota previamente traçada], o motor da bomba [que voava em linha reta e à velocidade constante] se desligava, e ela mergulhava em queda livre.
Nem sempre davam certo as tentativas britânicas de interceptar os mísseis alemães. Quando cabia à artilharia anti-aérea a missão de detê-los, geralmente muitos tiros tinham que ser disparados até que conseguissem, os artilheiros, acertar uma bomba voadora, e quando não a alcançavam, ela caía e causava uma explosão de grandes proporções.
Por outro lado, quando era possível lançar mão de táticas de defesa mais sofisticadas, tornava-se relativamente fácil [para os ingleses] identificar as V-1 em seu vôo [à cerca de 640 Km/h] e neutralizá-las. Isto era feito através dos radares da RAF que, imediatamente, convocava seus Gloster Meteors, aviões de caça a jato, para "abater" as bombas. Se esse expediente falhasse, entravam em ação os Spitfires que, com suas asas, tentavam desviar as bombas para que explodissem em locais não habitados.
Apelidadas [pelos londrinos] de buzz bombs (bombas zumbidoras), devido ao som que produziam, as V-1, no início, causaram pânico à população de Londres. Depois, em função da [cada vez mais] eficiente capacidade da RAF em neutralizar os ataques dessas bombas voadoras, as pessoas foram se acostumando a essa perigosa rotina e, muitas delas, confiavam suas vidas à regra das probabilidades, imaginando serem remotas as chances de serem atingidas pelos efeitos de uma ou outra daquelas bombas. Muitos, dos que deram chance ao azar, pereceram.
Este filme de notícias semanais da propaganda de guerra alemã, abaixo, editado em agosto de 1944, entre outras cenas, enquadra uma vã tentativa aliada de interceptar uma V-1 que se dirige para Londres. Dá para antever as consequências da má pontaria dos artilheiros aliados.
video
Fontes: Grandes Guerras, março/2007, pg.55; Wikipédia; YouTube.

quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

O CRUZEIRO DE TOSTÃO

Este é o time do Cruzeiro EC. A pose para foto é imediatamente antes da disputa final, contra o Santos FC, pelo título da Taça Brasil de 1966.
Após jogar seis partidas, o Cruzeiro credenciou-se a decidir o título contra o Santos, em dois jogos. No primeiro, disputado em 30 de novembro, no Estádio Governador Magalhães Pinto, o Mineirão, o Cruzeiro aplicou 6 a 2 no grande Santos de Pelé & Cia. O jogo da volta foi disputado em 7 de dezembro, no Estádio Municipal Paulo Machado de Carvalho, o Pacaembu, e de novo o Cruzeiro venceu, desta vez por 3 a 2.
Abaixo, a foto dos campeões que assim formaram no jogo final:
Raul, Pedro Paulo, William, Procópio e Neco; Wilson Piazza e Dirceu Lopes; Natal, Tostão, Evaldo e Hilton Oliveira.

De pé, da esquerda para a direita: Neco, Pedro Paulo, William, Procópio, Piazza e Raul;
Agachados: Natal, Tostão, Evaldo, Dirceu Lopes e Hilton Oliveira.

Fontes: ESPN Brasil; Milton Neves.

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

ROBERTÃO, 1967- A ORIGEM DO CAMPEONATO BRASILEIRO

Em 1954, o torneio Rio-São Paulo, que já era disputado desde 1933, recebeu o nome de Roberto Gomes Pedrosa, em homenagem ao goleiro da seleção brasileira na Copa do Mundo de 1934 e presidente da Federação Paulista. Ele tinha morrido naquele ano, no exercício do cargo.
A partir de 1967 o torneio, apelidado [pela imprensa] de Robertão, passou a contar com a participação de clubes de outros Estados. Nesse ano, além dos clubes do então Estado da Guanabara (Bangu, Botafogo, Flamengo, Fluminense e Vasco da Gama) e do Estado de São Paulo (Corínthians, Palmeiras, Portuguesa, Santos e São Paulo), foram convidados, por [livre e expontânea] pressão da CBD: o Ferroviário, do Paraná; o Atlético e o Cruzeiro, de Minas Gerais; o Grêmio e o Internacional, do Rio Grande do Sul.

Os quinze clubes foram divididos em dois grupos: um com sete; outro com oito participantes. No turno de classificação todos jogaram contra todos, independente de grupo, e dois de cada grupo se classificaram para o quadrangular final, disputado em turno e returno.
Naquele tempo as vitórias valiam só dois pontos, e não três, como é hoje. Assim a classificação da primeira fase terminou desta forma:




O quadrangular final apresentou os seguintes resultados:

video
Com a vitória sobre o Grêmio no último jogo (mostrado acima através das imagens da TV Cultura, SP), o Palmeiras chegou ao título da competição. O Internacional, que no dia anterior havia vencido o Corínthians, ficou com o vice-campeonato (ver classificação final abaixo).

Fontes: netvasco; youtube; bola na área.

quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

SPLITTER 2

O jogo até que é bem interessante e, algumas vezes, complicado.
Cortar as seções de madeira, tentando fazer a "carinha" chegar até o alvo- a bolota circular marrom- é o objetivo do Splitter 2 que eu já adicionei aos meus favoritos, e recomendo.
Siga o link acima.



segunda-feira, 30 de novembro de 2009

PINHEIRO METÁLICO ILUMINADO - RIO PARDO, RS


A foto [de Edor Pedro Mealho] destaca o pinheiro metálico iluminado, montado na esquina das ruas Andrade Neves e Almirante Alexandrino, em frente à Prefeitura Municipal, em Rio Pardo, RS. Se alguém for lá agora [que é época de natal], poderá, provavelmente, dar de cara com uma imagem semelhante. A diferença é que este registro fotográfico é de [pelo menos] uns 30 anos atrás.

Para obter o zoom, clique na foto.
Posted by Picasa

domingo, 29 de novembro de 2009

UM CARRO PALEOLÍTICO

Um velho conhecido meu não cansa de repetir: "Chiste que é chiste tem que ser em espanhol."
Então este aí é como manda o figurino.

Un ingeniero paleolitico habia llegado a imaginar un carro, y queria construirlo. Pero no tenia ruedas. Entonces primero construyo un prototipo de rueda cuadrada, y cuando las puso en el carro y lo probo, se dio cuenta de que el carro iba dando botes y resultaba incomodo.
Empezo a pensar en la forma de resolver el problema, y llego a la conclusion de que la causa eran las esquinas de las ruedas, asi que la primera solucion que se le ocurrio fue la de eliminar las esquinas, pero no sabia como.

Su siguiente idea fue :
"Ya que no se como eliminar las esquinas, al menos podria hacer que su efecto
fuese menor".

Entonces intentó minimizar el numero de esquinas...
... y el siguiente prototipo de rueda fue triangular.

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

¿ESTÁ NERVOSO? VÁ PESCAR!

Foto: Colombo

Eu nem sei pescar. Não me adestrei nos meus tempos de guri porque na minha terra não tem água, só tem campo. Depois de adulto tive várias oportunidades para praticar, mas nunca me interessei, e um dos motivos é porque fico com pena de ver os peixes imobilizados pelo maligno anzol- projetado para lhes prender [e machucar]- que está preso a um fio de nylon muito resistente, preso a um molinete ou a uma carretilha, e daí à vara de pescar e à mão firme do pescador. Fico triste de ver os bichos sendo massacrados por febris pescadores, que enquanto não estinguem todas as possibilidades de pegar todos os peixes disponíveis, não param de atirar a sua linha na água. Isto é um ponto de vista muito particular, mas "cada um é cada um", como diria um velho amigo.
Dá para sentir, no entanto, [por esta foto aí] que pescar é uma terapia e tanto, e o pessoal da foto aproveitou um fim-de-semana mais quente de primavera para jogar as suas iscas no Rio Mogi-Guaçu, em Cachoeira de Emas, Pirassununga, São Paulo- SP. O flagrante é bem antigo, lá da década de 1960, e nos foi enviado [ainda naqueles tempos] pela nossa amiga, a dona Maria Aparecida Melo Zaninetti, de Pirassununga, SP.
Posted by Picasa

AH, EU SOU GAÚCHO!

Sou gremista desde os cueiros, mas acho um desrespeito do Grêmio, para com o próprio Grêmio, esta história de jogar com reservas contra o Flamengo. ¿Por que isto? Para preservar os atletas é que não é. A intenção, todo mundo sabe, é prejudicar o Internacional.
Está na hora de "crescer", aliás, já passou da hora, mas os dirigentes do futebol brasileiro, incapazes de bem administrar seus clubes, e "pisando em ovos" para não incomodar a massa torcedora e o lado escuro da imprensa, teimam em manter- para dar motivação, diriam alguns- rivalidades mesquinhas e descabidas, que só se justificam dentro do campo, literalmente, na hora em que um está jogando contra o outro.
Eu, sinceramente, gostaria que o Grêmio desse o primeiro passo para acabar com esta bobagem de rivalidade Gre-Nal, que é sadia em alguns aspectos, mas de um modo geral serve, nos dias de hoje, unicamente para incitar a violência.

Presidente Duda Kroeff.
Fonte: gremioacimadetudo.blogspot.com

Cabe aqui citar o jornalista Wianey Carlet, no Blog do Wianey Carlet, na postagem "Não existe fórmula contra a indecência", de 25/11/2009, sobre o campeonato brasileiro:
"Fórmulas não carregam virtudes ou defeitos morais. Imorais, indecentes ou desonestas são as pessoas e não os sistemas."

Eu queria ver o Grêmio no Maracanã, Domingo, 29/11/2009, com a força máxima, jogando para ganhar, e não com a força mínima- jogando para perder. Eu queria poder estar no Maracanã nesta oportunidade e gritar [de novo] com orgulho: Ah, eu sou gaúcho!
Post Scriptum: Se o Grêmio jogar [contra o Flamengo] com todos os titulares disponíveis, eu desviro a foto do Presidente.

Post Post Scriptum: Apesar de não terem jogado todos os titulares, o Grêmio honrou a sua camiseta e, portanto, a foto do Presidente voltou ao estado normal.