segunda-feira, 31 de maio de 2010

MERCADO PÚBLICO DE ITAQUI

Mercado Público de Itaqui, em 2009. Foto: Juliano Barbosa- jornal Correio do Povo, Porto Alegre, RS.

Tem 100 anos o prédio do Mercado Público de Itaqui, na fronteira oeste do Estado do Rio Grande do Sul. Ele foi projetado pelo Arquiteto Paschoal Minoggio, itaquiense de nascimento, e foi tombado pelo IPHAE (Portaria nº 19/2009) em 16/12/2009. O projeto de restauração da antiga construção [localizada na rua Osvaldo Aranha, 1126] já foi encaminhado para aprovação em níveis estadual e federal. Aguardemos os resultados.
Mercado Público de Itaqui, em 1920. Fonte: "Itaqui, O Portal do Rio Grande". Autor: Jesus Pahim.
Posted by Picasa

domingo, 30 de maio de 2010

MILONGA DE MANUEL FLORES- VITOR RAMIL

Gravada [em português] em "A Paixão de 'V' Segundo Ele Próprio", LP de Vitor Ramil, lançado em 1984, aqui a "Milonga de Manuel Flores", do poeta argentino Jorge Luís Borges (Buenos Aires, 24/08/1899- Genebra, 14/06/1986), vem no idioma original.

Poema: Jorge Luís Borges
Música: Vitor Ramil
Voz: Vitor Ramil
Violão: nylon Carlos Moscardini

VIADUTO SOBRE A RODOVIA RIO GRANDE-PELOTAS

Um aparelho de apoio foi instalado sob o viaduto da BR-392, em Rio Grande, RS, e o trânsito sobre o mesmo permanece em meia-pista, regulado por meio de semáforos.
Na quarta-feira, 19 de maio de 2010, um caminhão [com carga em altura acima do permitido] abalroou a laje inferior do viaduto que fica no Km 11 da RS-734, estourando alguns cabos protendidos da estrutura de concreto. Por precaução, a EcoSul, concessionária que administra a rodovia, interditou a estrutura. Os veículos pesados não passam por ali. No sentido Pelotas-Rio Grande eles continuam pela BR-392 e só entram na cidade [de Rio Grande] pela zona do porto.
Posted by Picasa

sexta-feira, 28 de maio de 2010

ENQUADRADOS NO CÓDIGO DE TRÂNSITO

São José do Norte, BR-101. Anete e Neliane [de óculos inframarelo] enfrentam a minha câmera, enquanto o Cleber dirige o pequeno caminhão Mercedes. À primeira vista já dá para perceber que nós estávamos cometendo [sem querer, querendo] algumas infrações de trânsito que começam com o excesso de passageiros na cabine, passam pelo desuso do cinto de segurança e chegam até o motorista que está encomendando o bolo de noivado pelo celular.
Posted by Picasa

RADIOGRAFIA DO TRÂNSITO DE PELOTAS

Um emaranhado de cabos e fios, duas sinaleiras dessincronizadas e um amontoado de carros em movimento em uma rua central da cidade de Pelotas, RS. O registro fotográfico de Jô Folha para o jornal Diário Popular é, na verdade, a radiografia de uma artéria do coração da cidade. É assim o tempo todo, mais ou menos das 07:30 às 19:30 horas, de segunda a sexta-feira, em se tratando de trânsito. Quanto aos fios e cabos, esses "são outro departamento", poderíamos dizer.
Nem a reclamação em uníssono dos condutores de veículos automotores, e da população em geral, é capaz de produzir a centelha que falta para acender as idéias da Secretaria de Segurança, Transportes e Trânsito do Município. O que é dado a entender é que [só] nesta cidade o trabalho de sincronizar os semáforos de acordo com o tráfego se constitui em uma tarefa muito difícil ou impossível. E este é só um pequeno exemplo. Tem mais, ... muito mais.
Posted by Picasa

ROBIN HOOD / 2010

Esta é bem diferente das outras estórias (aquela produzida em 1938, com Errol Flynn e Olivia de Havilland, e a outra de 1991, com Kevin Costner). E é diferente não só porque é uma outra estória, mas porque também é muito melhor do que as anteriores.
O "Robin Hood" de Ridley Scott vai ao âmago da questão e traz ao cenário principal a origem da própria lenda de Robin Hood. A performance de Russell Crowe, dez anos depois do "Gladiador", é tão boa quanto aquela. A companhia da bela Cate Blanchett, que interpreta uma Lady Marion muito parecida com as mulheres do século XXI (que bom!), eleva o filme da categoria "ótimo" para "excelente". Eu recomendo.
Siga o trailer.
video

quinta-feira, 27 de maio de 2010

O TROFÉU DO ARTÍFICE

Meu amigo Ademir, um Técnico em Telecomunicações de rara habilidade, é também um artífice talentoso em várias outras modalidades. Dentre elas destacam-se os seus minuciosos trabalhos em madeira, feitos [quase na sua totalidade] à mão-livre e/ou com ferramentas muito simples.
Apaixonado pelo Grêmio Esportivo Brasil, da cidade de Pelotas, RS, ficou inconformado quando os homens que dirigem o seu xavante da zona sul resolveram, sem mais nem menos, alterar algumas características históricas do escudo do clube. Sabe-se que poucos detalhes foram mudados, mas assim mesmo são profundas essas transformações, em se tratando da história da concepção do distintivo e da idéia original daqueles que o inventaram há quase um século.
Indignado, ele reproduziu em madeira o escudo original. Eu fotografei o resultado, que aparece como um troféu, amparado pelas próprias mãos do seu criador.
Abaixo, um escudo do Grêmio FBPA, entalhado pelo mesmo artista. Este eu ganhei de presente e é o meu "troféu". A imagem aparece distorcida, de propósito.

Dê um zoom na primeira foto.
Posted by Picasa

quarta-feira, 26 de maio de 2010

TAÍS DOLFINI

Esta aqui não é propaganda enganosa e nem merchandising de loja. É só para destacar a estudante de Medicina Veterinária da UFRGS, modelo, maquiadora e também musa do Grêmio FBPA, Taís Dolfini.
Neste desfile de lingeries do programa Studio Pampa, da Rede Pampa de Porto Alegre, RS, ela estava totalmente maravilhosa.
Vai que é tua, Taís!
Postado por Taís Dolfini no YouTube.

terça-feira, 25 de maio de 2010

O TIMONEIRO



Acima, meu amigo Cleber é o timoneiro do bote que nos permitiu (Anete, Neliane, ele próprio e eu) chegar a águas mais profundas da Laguna dos Patos, onde estava ancorado o "Lago Azul", um barco igualzinho a esta miniatura aí, abaixo, que ele mandou fazer para mim em um especialista de Florianópolis.

Ele (o Cleber) também fez este outro [exposto aí na mão anônima] que eu [e Anete] guardamos de lembrança em cima da geladeira há, pelo menos, uns 8 anos.

Posted by Picasa

segunda-feira, 24 de maio de 2010

FOGO NO RABO

Criança que brinca com fogo, mija na cama- sempre ouvi dizer. O caso dos marmanjos, dependendo do arranjo dos neurônios de cada um, é um pouco diferente: Este aí conseguiu botar fogo no próprio rabo.
Fonte: YouTube

'CLUBE DA ESQUINA Nº 2' E 'UM GIRASSOL DA COR DE SEU CABELO'- LÔ BORGES

Lô Borges (Belo Horizonte, 10/01/52) foi um dos fundadores do Clube da Esquina, grupo de artistas mineiros que marcou presença na música popular nas décadas de 1970 e 1980. Ele e Milton Nascimento produziram, em 1972, o disco "Clube da Esquina", um marco na música popular brasileira. O vídeo, abaixo traz "Clube da Esquina Nº 2" e "Um Girassol da Cor de Seu Cabelo", executadas em um show realizado em 1984.
video
Fonte: YouTube

A CIDADE DO GALO

O SporTV News fez uma avaliação dos centros de treinamento dos clubes que disputam a série A do campeonato brasileiro de futebol. Eu que pensava que a Toca da Raposa [do Cruzeiro EC] e/ou o CT do São Paulo FC dariam "de relho" em quaisquer outros, me enganei feio. Quem ganhou o status de ter o melhor CT foi o Clube Atlético Mineiro com a "Cidade do Galo". Acompanhem o ranking no vídeo, abaixo.
Fonte: site do Clube Atlético Mineiro

AS FRASES DOS ÔNIBUS DAS DELEGAÇÕES PARA A COPA

As frases dos ônibus das delegações para a Copa
Colaboração: Werner Beck






África do Sul: Futebol aqui é preto no branco.
Alemanha: A caneca é nossa!
Argélia: Sem essa de nadar, nadar, nadar e morrer nas dunas.
Argentina: Gracias, Dunga.
Austrália: Tirando onda dos adversários.
Brasil: Um ônibus, 10 volantes.
Camarões: Um time meio sem cabeça, mas cheio de pernas.
Chile: Um país inteiro tremendo de esperança.
Coréia do Norte: Vamos bombar nesse mundial!
Coréia do Sul: Vamos nos matar em campo. Mas se o jogo for contra a Coreia do Norte, matamos eles.
Costa do Marfim: Vamos, Elefantes! E ai de quem trombar com a gente.
Dinamarca: Ficaremos com os louros da vitória.
Eslováquia: Perdemos a Tcheca, mas não perdemos a honra.
Eslovênia: Pela milésima vez, não temos nada a ver com a Eslováquia.
Espanha: Não vamos fazer feio: convocaremos a Penélope Cruz.
Estados Unidos: Ê ô, ê ô, o Osama é um terror.
França: Desodorantes podem estar vencidos, o time nunca.
Gana: Gatos em pele de leões.
Grécia: Chuto, logo existo.
Holanda: Ônibus ecológico: fumaça só do lado de dentro.
Honduras: Em busca de um sonho..., ou pelo menos de um presidente.
Inglaterra: Chá com a gente.
Itália: A Copa do Mundo é massa.
Japão: A gente caberia numa
van, né?
México: Se buscamos nosso lugar ao sol, por que temos que usar esses malditos sombreros?

Nigéria, Nova Zelândia, Paraguay, Portugal, Sérvia, Suíça e Uruguay, dependendo do caso, ainda não pensaram no quê escrever ou ainda nem encomendaram seus ônibus.

domingo, 23 de maio de 2010

O CANIVETE SUÍÇO


Karl Elsener era um cuteleiro que ganhava a vida fabricando facas para o exército suíço. E estava indo bem, até que empresas alemãs passaram a oferecer produtos mais baratos aos militares que [em vista disso] não mais quiseram saber dos serviços de Karl.

Empenhado em recuperar o seu orçamento doméstico, o profissional das facas apostou todas as suas fichas num projeto novo. Criou, em 1897, um canivete com múltiplas funções que atraiu novamente os olhares do exército suíço. Ufa! O exército voltou a comprar os produtos do antigo fornecedor. Esse reconhecimento permitiu a Elsener incorporar a cruz suíça- símbolo militar do país- como logomarca do seu invento.

O canivete de Elsener foi batizado de "Offiziermesser" (canivete do oficial). Mas, em homenagem à mãe que morreu uns anos mais tarde, Karl resolveu rebatizar o canivete e chamou-o de "Victoria". Depois, em 1921, todas as facas da sua empresa passaram a ser produzidas em aço inoxidável (stainless steel). Elsener não perdeu tempo e formou um acrônimo juntando o nome da sua mãe ao novo material, e o canivete mudou de nome novamente: "Victorinox".

A designação "canivete suíço" foi inventada pelos soldados americanos durante a II Guerra Mundial. Eles receberam alguns e, sabendo que eram originários da Suíça, resolveram chamá-lo "swiss army knife" (faca do exército suíço).

Segundo os entendidos no assunto tem canivete suíço que vem com mais de 30 ferramentas, dentre as quais podem estar incluídos: agulha, pinça, palito de dente, caneta pressurizada e alfinete.

O meu é "made in China", ou seja, uma imitação barata e contém umas 10 ferramentas. Umas duas ou três eu [até agora] não descobri para que servem.

sexta-feira, 21 de maio de 2010

O CANAL DO PANAMÁ

1913, 26 de setembro. Cinco anos depois do recomeço das obras, iniciadas em 1879 e interrompidas em 1889, foi inaugurado o Canal do Panamá [que só foi concluído em 1914]. O objetivo do mesmo era ligar os oceanos Atlântico e Pacífico.
Acima, o Canal do Panamá em obras; abaixo, a inauguração em setembro de 1913.
Fotos: arquivo do jornal Correio do Povo- Porto Alegre, RS.

Para saber mais sobre o Canal do Panamá, siga o link.
Posted by Picasa

quinta-feira, 20 de maio de 2010

O TROCO

Por e-mail: Denise B.F. Bechuetti


Um milionário, de passagem por São Paulo, entra no luxuosíssimo restaurante e senta no piano-bar.
Chama o chef, pede uma dose de uísque Royal Salute e reserva uma mesa para jantar.
Após a quarta dose indica ao chef que irá para a mesa, sendo atendido prontamente.

Sentado, consultando o menu sem preços, se surpreende quando o chef, em pé ao seu lado diz:
- Doutor, é política da casa informar aos clientes o valor das contas separadas da mesa, no seu caso a do piano bar: sua despesa foi de R$ 0,60.

- Acho que houve um engano. Eu tomei quatro doses de Royal Salute.

- Com todo o respeito, nós nunca nos enganamos: quatro doses a 0,15 centavos cada, são exatamente 0,60 centavos.

- Tudo bem, não quero discutir, vamos à comida, anote, por favor: ...

- Como?

- De entrada eu quero caviar da Ucrânia com lentilhas finlandesas; depois Salmão da Escandinávia com recheio de gengibre sul-africano e batatas inglesas douradas em queijo de cabras francesas... Ah! E para beber, um Rotchilld safra 1891.

- Ótima escolha Doutor, mas cabe a mim como chef, alertá-lo que isso ficará um pouco caro.

- Olha amigo primeiro eu não perguntei o preço e, segundo, estou achando que isso aqui é uma casa de malucos, mas já que você quer, fale.

- Pois não Doutor, o seu pedido vai ficar em R$ 18,00.

- Você está querendo me sacanear? Cadê o dono desta merda?

- Está lá em cima com a minha mulher.

- E o que é que ele está fazendo lá em cima com a sua mulher?

- O mesmo que eu estou fazendo aqui embaixo com o restaurante dele.

HINO DO GRÊMIO

ESTA É SÓ PARA OS GREMISTAS.

O guitarrista, vocalista e fundador da banda
The Element, Rafael Macedo, resolveu dar uma renovada no hino oficial do Grêmio FBPA, usando o guitar hero (um vídeo-jogo de música feito para o Playstation 2). Assistam.


quarta-feira, 19 de maio de 2010

ATAQUE COM GÁS CLORO- I GUERRA MUNDIAL

1915, 22 de abril. Os alemães lançam contra franceses e canadenses um ataque com gás de cloro. Em 10 minutos, 5.000 homens morrem.
Os atacantes dispunham de 22.000 cilindros contendo 160 toneladas de gás no front de Langemarck, ao norte de Ypres.
Na tarde de 22 de abril, depois de um grande bombardeio, uma nuvem cinza-esverdeada avançou a partir das trincheiras alemãs em direção ao inimigo. Em poucos minutos, espalhou-se o pânico entre as forças franco-canadenses. Com as mãos na garganta, cambaleantes, todos tossiam em retirada. Dos 10.000 homens que defendiam a cidade belga, a metade morreu em consequência do gás, cujo efeito era forçar os pulmões a produzirem um excesso de fluidos, e o efeito final era o afogamento da vítima. Os alemães, munidos de máscaras respiratórias, avançaram com tranquilidade pelos três quilômetros de linhas de frente abandonados pelos defensores, capturando outros 2.000 soldados inimigos.
Fonte: revista Veja

HEATHER GRAHAM- PARA MAIORES DE 18

Heather Graham (Milwaukee, Wisconsin, USA, 29/01/1970) é atriz profissional desde os 14 anos quando estreou em "Mrs. Soffel", como Factory Girl. De 1984 até agora realizou 62 trabalhos para cinema e TV, sendo que alguns ainda estão em fase de produção, com lançamento previsto para este ano e 2011. Na foto, ao lado, ela é capa da revista Shape de novembro de 2007.




"Killing Me Softly", lançado em 2002, revela o lado mais "quente" dessa atriz que para mim começou a ganhar destaque em "Austin Powers- O Agente 'Bond' de Cama" (Austin Powers: The Spy Who Shagged Me), em 1999.

KILLING ME SOFTLY- cenas
Direção: Chen Kaige
video
Fonte metacafe.com

segunda-feira, 17 de maio de 2010

URSS vs BRASIL

Sevilha, 14 de junho de 1982- 21:00 horas. União Soviética e Brasil estão alinhados [acima] para a execução dos seus respectivos hinos nacionais, na estréia de ambos na Copa da Espanha.
URSS: Dasaev (1); Sulakvelidze (2), Chivadze (3), Baltacha (5) e Demyanenko (6); Bal (12), Bessonov (8) e Daraselia (13); Shengelia (7), Gavrilov (9) e Blokhin (11).
Brasil: Valdir Peres (1); Leandro (2), Oscar (3), Luisinho (4) e Júnior (6); Falcão (15) e Sócrates (8); Dirceu (21), Zico (10) e Éder (11); Serginho (9).
No placar final: URSS 1 x 2 Brasil.

Foto: Rodolpho Machado



Posted by Picasa

domingo, 16 de maio de 2010

A NAMORADA

Meu amigo Neimar (não confundir com um jovem jogador de futebol do Santos FC) não aguentava mais ter que- diariamente, e às vezes, várias vezes por noite- pôr à prova sua "firmeza" diante da namorada de ocasião que arranjou por acaso, em um dos seus vai-e-vem ao hipermercado próximo à sua casa. Ela, a namorada, era uma morena jeitosa e discreta, de cabelos lisos, rosto miúdo, olhos castanhos bem claros e medidas bem proporcionadas, que trabalhava como repositora de mercadorias nas prateleiras da seção de pães da loja.

-
"É este corpaço que tu estás vendo aí, mas é insaciável e espalhafatosa na hora do 'vamo vê'!"- me disse ele, enquanto se escondia atrás das prateleiras das bebidas e apontava para ela.

Esgotado, estressado e louco para se ver livre da namorada, mas sem saber direito como fazer, o Neimar resolveu apresentá-la ao André, um seu amigo. O André, apesar de não ser um cara feio, era
pra lá de tímido e, talvez por causa disto e dos óculos fundo-de-garrafa que o ajudavam a vencer a miopia, não fazia muito sucesso com as mulheres. Em matéria de mulher, estava na pior o André, por isto mesmo é que se encheu de esperança e entusiasmo quando o outro explicou a ele a situação.

-
"André, eu ia te apresentar ela, mas acho melhor a gente fazer o seguinte: Eu vou 'desaparecer' por uns 10 dias. Aí ela vai sentir as carência..., tás me entendendo? Então tu chega nela e diz qualquer coisa no ouvido dela que ela vai se 'derreter' toda, e vai ficar na tua mão, cara!"

-
"... mas o que é que eu digo, Nei?"

-
"Ah, diz que ela é a mulher mais linda que tu já viste na vida, que ela cai de quatro. Vai por mim que é assim mesmo! Já sei até o que ela vai responder: 'Eu saio às 6..., se tu quiseres a gente pode sair pra tomar um café depois!'"

-
"E como é que ela é?"

-
"É uma moreninha gostosa de cabelo liso, com um pouco mais de 1 e 60 de altura. Não tem erro, ela vai estar ali ajeitando os pães na prateleira. Aí tu chega!"

Enquanto o tempo passava (os 10 dias- aqueles- de carência), o André treinava em casa a sua performance, no quesito eloqüência, diante da futura provável namorada.

Sexta-feira, 5 e meia da tarde. Lá estava o André no interior do hipermercado, rondando a prateleira dos pães. Tivera o cuidado de avisar ao seu amigo Neimar que estava indo lá, que estava decidido.
Havia chegado a hora. E disse o André à moça que estava ali mexendo em umas embalagens de pão fatiado:
-
"Oi! Antes de tudo, me perdoa! Eu não sei se tu és casada, se tens namorado ou noivo..., e se eu estiver sendo inconveniente, por favor, me manda embora! Mas eu preciso te dizer que tu és a mulher mais linda que eu já vi na minha vida!".

E enquanto o Neimar, meio escondido atrás das gôndolas de bebida [sem que o André sequer lhe tivesse notado a presença] fazia gestos desesperados com os braços, querendo avisar o amigo de alguma coisa, ao mesmo tempo em que apontava para a outra mulher, uns metros à esquerda, a outra belíssima morena, enrubescida, abriu um sorriso maravilhoso e respondeu:
- "Eu nunca tinha ouvido um elogio assim tão sincero em toda a minha vida! Se tu quiseres a gente pode sair pra tomar um café depois!"

"Tomar um café depois", eram as palavras mágicas que o André precisava ouvir. Exatamente como o Neimar lhe tinha antecipado.

Ariane, médica recém-formada, foi a primeira e [até agora] única namorada do André. Eles casaram e têm, hoje, um casal de filhos. Mais tarde ela se especializou em oftalmologia, proibiu o Neimar de apresentar a namorada dele (a que trabalhava no hipermercado) ao marido André, que hoje não usa mais óculos.

O Neimar, por sua vez, preferiu deixar tudo como estava, e ainda continua se queixando do cansaço, do estresse e da namorada ninfomaníaca.

sexta-feira, 14 de maio de 2010

KOKOMO- THE BEACH BOYS

Lá pelos idos de mil novecentos e setenta e poucos surgiu em Bagé [RS] uma banda imitativa destes caras aí. O que dava para entender pelo rádio, quando um ou outro locutor anunciava algum baile com os tais covers, era: "THE BAT BOYS!" ou "THE BATCH BOYS!" ou ainda, "THE BEACH BOYS!" (em maiúsculo porque o anúncio era pra lá de GRITADO). Nunca fiquei sabendo, ao certo, como se chamava a tal banda.
Quanto aos The Beach Boys de verdade, esses se juntaram lá por 1961 e estão [de certa forma] juntos até hoje.

Abaixo, "Kokomo", de Mike Love, Terry Melcher, John Phillips and Scott MacKenzie, tema do filme Cocktail, lançado em 1988.

quarta-feira, 12 de maio de 2010

HINDENBURG

O Hindenburg foi um dirigível com 245 metros de comprimento, sustentado no ar por 200 mil metros cúbicos de hidrogênio. Construído na Alemanha entre 1931 e 1936, era impulsionado por quatro motores diesel Daimler-Benz de 1.100 hp [cada] e alcançava a velocidade de 135 km/h, com uma autonomia de 14.000 km. O dirigível que transportava até 50 passageiros, tinha cabines, bar, sala de jantar, grandes janelas panorâmicas, sala de estar e até lugar para caminhar. Também possuía, por incrível que pareça, uma cabine para fumantes, que eram vigiados todo o tempo por um membro da tripulação sob constante tensão.
Na noite de 6 de maio de 1937, o gigantesco dirigível Hindenburg preparava-se para descer na base de Lakehurst, em New Jersey, nos Estados Unidos, com 97 ocupantes a bordo, sendo 36 passageiros e 61 tripulantes, vindos da Alemanha. Durante as manobras de pouso, um incêndio tomou conta da aeronave e o saldo foi de 13 passageiros e 22 tripulantes mortos e um técnico em solo, no total de 36 pessoas.

O Hindenburg circunda o aeroporto de Lakehurst, New Jersey, após um vôo sobre o Oceano Atlântico, em 06 de maio de 1937. Segundos depois, o dirigível se transformaria em uma bola de fogo, matando 35 dos seus 97 passageiros e tripulantes [e uma pessoa no solo], determinando a suspensão dos vôos comerciais de zeppelin.

Foto: Arthur Cofod/Time & Life Pictures/Getty Images


Embora muitas pessoas dissessem, com base nesta foto, que a aeronave explodiu após o impacto com a torre de visita, as chamas já eram visíveis quando o dirigível ainda estava muito acima do chão. A causa da destruição do Hindenburg nunca foi, efetivamente, esclarecida, mas muitos especialistas sustentam a tese que uma faísca de eletricidade estática pode ter inflamado um vazamento de hidrogênio e as chamas se espalharam pelo revestimento altamente inflamável do zepelin.

Foto: Sam Shere/Getty Images


Espectadores correm, fugindo das explosões secundárias que ocorrem a partir da queima de destroços do Hindenburg, momentos depois do dirigível ter atingido o solo.



Foto: Arthur Cofod/Time & Life Pictures/Getty Images

Dê um zoom nas fotos.

Fontes: João Carlos Camargo- Pesquisador Laboratório Hidrogênio da UNICAMP; revista LIFE.
Posted by Picasa

ELISABETE E EU

Num breve intervalo para o café, minha amiga Elisabete e eu resolvemos externar para o mundo o carinho que sempre tivemos um pelo outro. Ela, como Operadora de PABX (telefonista) da UFPel, mal tendo tempo para tomar, de verdade, um cafezinho; eu, como responsável pelo sistema de telefonia, perdendo, gradualmente, os cabelos de tanta preocupação.
Em primeiro plano os equipamentos de atendimento de PABX; no plano de fundo, uma velha máquina de escrever.
O registro fotográfico é de julho de 1997.
Posted by Picasa

terça-feira, 11 de maio de 2010

CENTRO COMERCIAL DE PORTO ALEGRE

Este é o centro comercial de Porto Alegre, RS, na primeira década do século vinte. Em dezembro de 1909 pairava uma discussão sobre o horário de funcionamento do comércio, o qual estava se estendendo muito além do final da tarde, indo [às vezes] até 9 e 1/2 ou 10 horas da noite, privando empregados [e patrões] de merecidas e necessárias horas de lazer.
Um acordo entre as partes, por fim, resolveu a questão. O pôr-do-sol sobre o rio Guaíba (algo em torno das 19:30 horas) seria o sinal para que todos os comerciantes, comerciários, caixeiros e patrões encerrassem as atividades do dia.

Foto: arquivo do jornal Correio do Povo- Porto Alegre, RS.
Posted by Picasa

segunda-feira, 10 de maio de 2010

OS TRÊS MALANDROS

Em 1990, uns dias antes das finais da XIV Copa do Mundo, na Itália, os três tenores mais famosos do mundo [Placido Domingo, Jose Carreras e Luciano Pavarotti] resolveram se juntar. Na véspera do jogo final deram um espetáculo que foi assistido por mais de 800 milhões de telespectadores. Quando a gravação do concerto foi liberada, ele se tornou o álbum clássico mais vendido da história.
Aqui no Brasil, 5 (cinco) anos depois, os sambistas da velha guarda Antônio Moreira da Silva (01/04/1902-06/06/2000), José Bezerra da Silva (23/02/1927-17/01/2005) e Carlos Roberto de Oliveira (14/02/1946), o Dicró, resolveram fazer o mesmo e se reuniram para gravar o CD "Os 3 Malandros in Concert 1995".
Além das músicas, a grande atração do CD é a reunião desses três mestres da malandragem, representando gerações e bairros diferentes do Rio de Janeiro. Vejamos: Moreira da Silva era do tempo em que a Lapa era o centro geográfico da malandragem; Bezerra da Silva era um cronista dos morros; o Dicró vem lá da Baixada Fluminense.
Nessa época os três malandros andavam em baixa no mercado fonográfico, então embarcaram na carona dos três tenores para voltar às paradas.

No vídeo, abaixo, um "concerto" dos três.
video
Baseado na reportagem de Virginie Leite, para a revista Veja.
Vídeo: YouTube.

sexta-feira, 7 de maio de 2010

GRÊMIO FBPA- ANOS 60

Esta é uma das melhores formações do Grêmio que eu vi jogar. Poucas alterações se processaram na equipe durante a segunda metade dos anos 60. A técnica apurada destes caras aí [Alberto, Espinosa, Ari Hercílio, Áureo e Everaldo; Jadir e Sérgio Lopes; Hélio Pires, Joãozinho, Alcindo e Volmir], aliada ao entrosamento crescente e ao excelente preparo físico, foram a garantia de múltiplas vitórias no decorrer daquela década.
Acredito que o registro fotográfico abaixo foi obtido num Gre-Nal realizado em abril de 1969, no estádio Beira-Rio.
De pé- o Dr. Jairo Cruz, Everaldo, Espinosa, Jadir, Áureo, Ari Hercílio e Alberto; agachados- um mascote não identificado, Hélio Pires, Joãozinho, Alcindo, Sérgio Lopes, Volmir e o massagista Banha.

esporte.ig.com.br
Posted by Picasa

quinta-feira, 6 de maio de 2010

O CAUSO DAS ESCRITURAS

Por e-mail: Lucinei Siveira
Este texto [anônimo] foi encontrado escrito à ponta de faca no balcão de um bolicho, hoje Tapera-RS, no Passo do Elesbão, 5º Distrito de Cacequi.

O Causo das Escrituras

Pois não sei se já les contei o causo das Escrituras Sagradas.
Se não les contei, les conto agora.

A história essa é meio comprida, mas vale a pena contá por causa dos revertério.

De Adão e Eva acho que não é perciso contá os causo, porque todo mundo sabe que os dois foram corrido do Paraíso por tomá banho pelado numa sanga.

Naqueles tempo, esse mundaréu todo era um pasto só sem dono, onde não tinha nem dele nem meu.
O primeiro índio a botá cerca de arame foi um tal de Abel.
Mas nem chegou a estendê o primeiro fio porque levou um pontaço no peito do irmão dele, um tal de Caim, que tava meio desconforme com a divisão.
O Caim, entonces, ameaçado de processo feio, se bandeou pro Uruguay.
Deixou o filho dele, um tal de Noé, tomando conta da estância.
A estância essa ficava nas barranca de uma corredera e o Noé, uns ano despois, pegou uma enchente muito feia pela frente. Cosa munto séria. Caiu água uma barbaridade.
Caiu tanta água que tinha até índio pescando jundiá em cima de cerro.
O Noé entonces botou as criação em cima de uma balsa e se largou nas correnteza, o índio velho.
A enchente era tão braba que quando o Noé se deu conta a balsa tava atolado num banhado chamado Dilúvio. Foi aí que um tal de Moisés varou aquela água toda com vinte junta de boi e tirou a balsa do atoleiro.
Bueno, aí com aquele desporpósito, as família ficaram amiga.
A filha mais velha do Noé se casou-se com o filho mais novo do Moisés e os dois foram morá numa estância muito linda, chamada estância da Babilônica.
Bueno, tavam as família ali, tomando mate no galpão, quando se chegou um correntino chamado Golias, com mais uns trinta castelhano do lado dele.
Abriram a cordeona e quiseram obrigá as prenda a dança uma milonga.
Foi quando os velho, que eram de muito respeito, se queimaram e deu-se o entrevero. Peleia braba, seu. O correntino Golias, na voz de vamos, já se foi e degolou de um talho só o Noé e o velho Moisés.
E já tava largando planchaço em cima do mulherio quando um piazito carretero, de seus dez ano e pico, chamado Davi, largou um bodocaço no meio da testa do infeliz que não teve nem graça. Foi me acudam e tou morto.
Aí a indiada toda se animou e degolaram os castelhano.
Dois que tinham desrespeitado as prenda foram degolado com o lado cego do facão. Foi uma sanguera danada. Tanto que até hoje aquele capão é chamado de Mar Vermelho.
Mas entonces foi nomeado delegado um tal de major Salomão. Homem de cabelo nas venta, o major Salomão.
Nem les conto! Um dia o índio tava sesteando quando duas velha se bateram em cima dum guri de seus seis ano que tava vendendo pastel. O major Salomão, muito chegado ao piazito, passou a mão no facão e de um taio só cortou as velha em dois. Esse é o muito falado causo do Perjuízo de Salomão que contam por aí.
Mas, por essas estimativas, o major Salomão, o que tinha de brabo tinha de mulherengo.
Eta índio bueno, seu. Onde boleava a perna, já deixava filho feito. E como vivia boleando a perna, teve filho que Deus nos livre.
E tudo com a cara dele, que era pra não havê discordância. Só que quando Deus nosso Senhor quer, até égua véia nega estribo.
Logo a filha das predileção do major Salomão, a tal de Maria Madalena, fugiu da estância e foi sê china de bolicho.
Uma vergonhera pra família. Mas ela puxou a mãe, que era uma paraguaia meio gaudéria que nunca tomo jeito na vida.
O pobre do major Salomão se matou-se de sentimento, com uma pistola Eclesiaste de dois cano.
Mas, vejam como é a vida. Pois essa mesma Maria Madalena se casou-se três ano despois com um tal de coronel Ponciano Pilatos.
Foi ele que tirou ela da vida. Eu conheço uns três caso do mesmo feitio e nem um deles deu certo.
Como dizia muito bem o finado meu pai, mulher quando toma mate em muita bomba, nunca mais se acostuma com uma só. Mas nesses contraproducente, até que houve uma contrapartida.
O coronel Ponciano Pilatos e a Maria Madalena tiveram doze filho, os tal de aposto, que são muito conhecido pelas caridade que fizeram. Foi até na casa deles que Jesus Cristo churrasqueou com a cunhada de Maria Madalena, que despois foi santa muito afamada. A tal de Santa Ceia.
Pois era uns tempo muito mal definido. Andava uma seca braba pelos campo.
São José e a Virge Maria tinham perdido todo o gado e só tavam com uma mula branca no potrero, chamada Samaritana. Um rico animal, criado em casa, que só faltava falá. Pois tiveram que se desfazê da pobre.
E como as desgraça quando vem, já vem de braço dado, foi bem aí que estouraram as revolução.
Os maragato, chefiado por um tal de coronel Jordão, acamparam na entrada da Vila.
Só não entraram porque tava lá um destacamento comandado pelo tenente Lazo, aquele mesmo que por duas vez foi dado por morto.
Mas aí um cabo dos provisório, um tal de cabo Judas, se passou-se pros maragato e já se veio uns tal de Romano, que tavam numas várzeas, e ocuparam a Vila.
Nosso Senhor foi preso pra ser degolado por um preto muito forte e muito feio chamado Calvário. Pois vejam como é a vida. Esse mesmo preto Calvário, degolador muito mal afamado, era filho da velha Palestina, que tinha sido cozinheira da Virge Maria.
Degolador é como cobra, desde pequeno já nasce ingrato.
Mas entonces botaram Nosso Senhor na cadeia, junto com dois abigeatário, um tal de João Batista e o primo dele, Heródio dos Reis.
Os dois tinham peleado por causo de uma baiana chamada Salomé e no entrevero balearam dois padre, monsenhor Caifás e o cônego Atanásio.
Mas aí veio uma força da Brigada, comandada pelo coronel Jesus Além, que era meio parente do homem por parte de mãe e com ele veio mais três corpo de provisório e se pegaram com os maragatos. Foi a peleia mais feia que se tem conhecimento. Foi quarenta dia e quarenta noite de bala e bala.
Morreu três santo na luta: São Lucas, São João e São Marco. São Mateus ficou três mês morre não morre, mas teve umas atenuante a favor e salvou-se o índio.
Nosso Senhor pegou três balaço, um em cada mão e um que varou os pé de lado a lado. Ainda levou mais um pontaço do mais velho dos Romanos, o César Romano, na altura das costela.
Ferimento muito feio que Nosso Senhor curou tomando vinagre na sexta-feira da paixão.
Mas aí, Nosso Senhor se desiludiu-se dos home, subiu na Cruz, disse adeus pros amigo e se mandou-se de volta pro céu.

Mas deixou os dez mandamentos, que são cinco e que se pode muito bem acolherá em dois:
I - Não se mata home pelas costa;
II - Nem se cobiça mulher dos outro pela frente.