segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

CONSERTANDO O NARIZ

Décadas atrás os japoneses eram reconhecidos como os maiores copiadores das invenções alheias. Eles pegavam qualquer máquina inventada por alemães, ingleses, suíços, franceses, italianos, judeus de quaisquer nacionalidades, etc, desmontavam-na cuidadosamente, aprendiam seus segredos e faziam outras iguais, só que em tamanhos cada vez mais reduzidos. Era a chamada "reengenharia". E eles levavam vantagem aí. Quem não iria querer ter um relógio, uma calculadora, um rádio, etc, em tamanho bem menor, com a mesma qualidade e eficiência do invento original?

De uns tempos p'ra cá, cansados de só copiar, os japoneses resolveram também inventar alguma coisa. Então surgiram robôs de todos os tipos, até uns que parecem gente de verdade.
Bom ..., aí eu passei a acreditar na capacidade criativa deles.
Pois num destes dias foi lançado por lá (o "por lá" é no Japão) um aparelho pequeno, prático e indolor, que dizem ser capaz de causar prejuízos incalculáveis ao Dr. Ivo Pitanguy. A maravilha promete transformar um nariz feio em um nariz perfeito que, aos poucos vai mudando sua forma e se elevando, sem cirurgia e sem dor. E para isto acontecer, basta usar o Beauty Lift High Nose durante 3 (três) minutos por dia.

O aparelho que é da marca Omni, promete arrebitar, aos poucos, o nariz, e vale uns U$ 83.00 (oitenta e três dólares). Segundo o fabricante, em algumas semanas o resultado aparece.

Parece ser uma boa idéia para quem tem medo do bisturi ou quer economizar uns bons trocados.

¿Quando vai chegar por aqui? A media, em geral, se encarrega de divulgar.
Posted by Picasa

TUCO-TUCO

Se já é difícil chegar perto para filmar um bichinho destes, mais difícil ainda é conseguir tocar nele.
Pois parece que a dona desta mão aí descobriu um jeito de catequizar o tuco-tuco. Ela já fez isto várias vezes e, pelo que pude observar in loco, o tuco-tuco - que não é bobo - além de gostar de comer raízes de grama, também aprecia, de montão, um carinho de mãos femininas.
Êta bichinho danado de esperto!


Fotos Anete H. Fontana

Abaixo, uns mini-filmes da proeza, em baixa resolução.

Imagens Anete H. Fontana
Posted by Picasa

domingo, 27 de fevereiro de 2011

CARNAVAL/2011- ATÉ PARECE...!

Foto Anete H. Fontana

Até parece que eu estava ensaiando, de verdade, para o Carnaval/2011.
Mas se vocês prestarem bem atenção, verão que os outros caras - no plano de fundo - não estão nem aí para a minha performance, que nada mais era do que uma pose para foto.
O instrumento de percussão era emprestado, e o ensaio - não este meu aí - era na quadra do bloco "Bum-Bum da Filomena", no campo do Cassino Futebol Clube (Rua São Leopoldo, 240 - Cassino/Rio Grande, RS).
Posted by Picasa

A BARRAGEM DE BAGÉ

Dizem que vai ter até praia, com areia fina e tudo, na barragem a ser construída em Bagé, RS. Se for assim, pode ser um bom remédio para amenizar os efeitos das temperaturas saarianas de Verão. Quando a obra estiver pronta, acabarão os problemas de falta d'água, enfrentados pela população do município desde há muito tempo.
A primeira seca braba que eu me lembro ocorreu no período 1988/1989.

No Portal Bagé, o jornalista Jossicar Saraiva explica: "A Barragem da Arvorezinha que será construída na Bacia do Arroio Piraí, terá capacidade de armazenamento de 18 milhões de metros cúbicos de água. O reservatório terá uma área alagada de 320 hectares, que somada a Área de Preservação Permanente, vai ocupar mais de 500 hectares. Sua capacidade, segundo o diretor do Daeb, será superior a quatro vezes a dos três atuais reservatórios, juntos, que é de 4 milhões de metros cúbicos."

E a charge do Cláudio Corrêa Falcão de Azevedo dá a entender que falta muito pouco para o início das obras.
Posted by Picasa

sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

A BICICLETA DO RIVELINO

1967, 28 de maio. Restou à Folha de São Paulo publicar, no dia seguinte, uma "bicicleta" do Rivelino, a jogada mais bonita do Corínthians no jogo contra o Internacional, pelo Torneio Roberto Gomes Pedrosa, uma vez que gol do alvi-negro do Parque São Jorge, não houve.

Foto Antonio Pirozzelli/Folha de São Paulo.

O placar foi 1 a 0 para o Internacional, gol do meia-direita Lambari, aos 13 min. do 2º tempo.
Essa foi a primeira vitória de um time gaúcho no Estádio do Pacaembu. A chuteira usada por Lambari naquele dia também entrou para a história, pois está hoje em exposição no Museu do SC Internacional.
Posted by Picasa

quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

A SETA E O ALVO- PAULINHO MOSKA

Esta aqui é clássica da segunda metade dos 90's (1997). O clip conta com a participação das super-atrizes Adriana Esteves e Cláudia Abreu, então, respectivamente, com 27 e 26 anos. Quase dá para confundir uma com a outra. Elas estavam no auge da forma física e técnica.

YouTube/marifk

ADRIANA- BBB 11

Já que votaram para ela sair, fica aqui um registro significativo da sua passagem pelo Big Brother Brasil 11.
Se dependesse de mim, a Adriana seria a última a ir embora, e como campeã do BBB, é óbvio.

Apreciem com moderação, acessando a minha página no YouTube.
Mas antes, um aviso: As cenas são proibidas para menores de 14 anos e maiores de ..., digamos, 114.
Fonte BBB11/Rede Globo
YouTube/

quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

BIQUINIS & VESTIDOS DE PRAIA

Um breve intervalo para recompor as energias e rediscutir as estratégias de venda.
Estes caras aí andam p'ra lá e p'ra cá, desde a perpendicular que aponta para a estátua de Iemanjá até os molhes, e no sentido contrário até onde tiver gente na praia do Cassino. Freqüentemente se vêem cercados por mulheres de todas as idades que reviram as araras, à procura de vestidos e/ou biquinis que combinem com seus estados de espírito naquele momento. Muitas só olham, mas algumas não resistem à tentação de gastar uns bons trocados para satisfazer a pura necessidade de comprar e vestir algo novo, mesmo que seja só um bustier ou um vestido de praia bem simples.
A fórmula deu muito certo.
Posted by Picasa

BASTIDORES DO FUTEBOL NA FRONTEIRA SUL

Enquanto o EC 14 de Julho [de Livramento] contratou um Engº Agrônomo para cuidar da grama do seu estádio, e a direção do GE Bagé, imaginando que a seca de 2006 poderia se repetir algum dia, mandou perfurar dois poços artesianos para não mais enfrentar problemas relacionados à impossibilidade de molhar a grama da Pedra Moura, quem dirige o Guarany FC não pensou em nenhuma dessas possibilidades.
Foto Francisco Bosco - para o Correio do Povo, PoA, RS.

O resultado da imprevidência é que, a uma semana do início do campeonato gaúcho da 2ª diivisão, não dá para cortar a grama do estádio Antônio Magalhães Rossel para não desidratá-la ainda mais, uma vez que há racionamento de água na cidade de Bagé, e não é permitido, por decreto municipal, o uso indiscriminado da pouca água potável disponível.

Ou seja, no Guarany não tem água, nem Engº Agrônomo para dar um tratamento adequado à grama do estádio, às vésperas da única competição que, daqui para frente, o clube disputará este ano.

Esta postagem é baseada na matéria do jornalista Jossicar Saraiva para o Correio do Povo, em 21/02/2011 - PoA, RS.

terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

UM TREM SEM DESTINO, A FERROVIA E OUTRAS PRIVATIZAÇÕES

Trem de carga da ALL, em movimento.
O destino é o terminal ferroviário de Bagé, RS. Depois seguirá viagem - quem sabe? - através da Campanha, Depressão Central e Planalto Médio, ou talvez, Vale do Uruguai.
A Rede Ferroviária Federal Sociedade Anônima (RFFSA) foi privatizada pelo governo Fernando Henrique Cardoso, 40 anos depois do seu surgimento.

1957, 16 de março. O governo de Getúlio Vargas cria a RFFSA, através da Lei nº 3.115. A empresa surge como conseqüência do descompromisso das empresas privadas brasileiras [e estrangeiras] que exploravam as ferrovias no Brasil, com o próprio Brasil. Estas não queriam investir no país, nem tampouco na própria estrutura ferroviária que exploravam.

Em 1997 o governo brasileiro resolveu ignorar os malefícios potenciais causados à nação pela exploração privada de bens que, na verdade, são públicos, e abriu a guarda para a reprivatização dos serviços telefônicos e ferrovias, dando seqüência ao plano de desestatização do governo Fernando Collor de Melo.

1999, 7 de dezembro. A RFFSA foi extinta pelo Decreto nº 3.277.

2007, 9 de outubro. Luiz Inácio 'Lula' da Silva, ao invés de ir na contramão da história das privatizações, fazendo juz ao motivo político pelo qual foi eleito Presidente do Brasil, também resolveu "contribuir" com o país, privatizando 2.600 quilômetros de rodovias federais. Agora, pedágio por aí tem até demais. O que tem de menos [nas tais estradas] é fiscalização federal.
Posted by Picasa

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

POUCA GENTE AQUI, MUITA GENTE LÁ

O calçadão da Bacelar quase vazio, num sábado de manhã, dava indícios que ia faltar espaço na praia do Cassino.
Foi assim durante todo o mês de janeiro/2011, em Rio Grande, RS.
Posted by Picasa

AGRADECENDO PELOS E-MAILS EDUCATIVOS

Esta aqui veio lá de Boa Vista, RR.
"FIQUEI GRUDADO NO MOUSE ATÉ QUASE O FINAL".
Lucinei Silveira


Prezado(a) amigo(a).

Quero agradecer a todos pelos e-mails educativos que recebi durante todos estes anos que sou internauta, pois graças a eles:
  • Eu não bebo mais refrigerante com rodelas de limão ou laranja sem me preocupar com as milhares de bactérias na casca;
  • Eu não consigo mais usar o controle remoto em quartos de hotel/motel porque não sei o que a última pessoa estava fazendo enquanto navegava nos canais adultos;
  • Eu tenho dificuldade em apertar a mão de alguém que estava dirigindo porque o passatempo predileto de alguém dirigindo é cutucar o nariz, ou sei lá "onde" passou a mão;
  • Eu não consigo pegar numa bolsa de mulher com medo que ela a tenha colocado no chão de um banheiro público;
  • Tenho que mandar um agradecimento especial para quem me mandou uma mensagem falando do cocô de rato na cola de envelopes porque agora eu não uso mais a lingua e só uso uma esponja úmida para cada envelope que precisa ser selado e, pela mesma razão do cocô de rato, escovo vigorosamente cada latinha [de cerveja ou refri] antes de abrí-la;
  • Eu não tenho mais economias, e estou muito feliz porque dei tudo para a menina doente (Penny Brown) que está para morrer pela 1.987.298ª vez;
  • Eu não tenho mais dinheiro também, mas isto vai mudar quando eu receber os 15.000 dólares que o Bill Gates/Microsoft e *AOL* vão me mandar por participar no programa especial de e-mail;
  • Não me preocupo mais com minha alma porque eu tenho 967.214 anjos olhando por mim, e as novenas de Santa Theresa, Santos e Santos enviados, atenderam aos meus apelos e a todos os meus desejos, Graças a Deus;
  • Agradeço as diversas correntes recebidas e que se eu não mandasse aos meus amigos ia me ferrar, mas eu passei para frente todas e nada me aconteceu, pois não ligo de perder meu tempo;
  • Eu não bebo mais nenhum drink em um bar com algum desconhecido porque posso acordar numa banheira cheia de gelo sem meus rins, ou morto de vez;
  • Eu não uso mais desodorantes cancerígenos, mesmo fedendo como um búfalo ou gambá num dia quente;
  • GRAÇAS A VOCÊS aprendi que minhas preces só serão atendidas se eu enviar um e-mail para 12 dos meus amigos e fizer um desejo em 5 minutos (no máximo) - muito obrigado!;
  • GRAÇAS À PREOCUPAÇÃO DE AMIGOS(AS) eu não bebo mais Coca-Cola porque ela é capaz de remover manchas em privadas;
  • Eu não abasteço mais o carro sem ter alguém vigiando o carro para que um serial killer não entre no banco de trás enquanto eu estiver abastecendo;
  • OBRIGADO POR ME AVISAREM mais uma vez que eu não posso esquentar um copo de água no microondas porque pode estourar na minha cara... e me desfigurar para o resto de minha vida;
  • Eu não vou mais ao cinema porque disseram que eu posso ser picado por um alfinete infectado com AIDS quando eu me sentar;
  • Também não vou mais a shopping centers porque alguém pode me drogar com uma amostra de perfume e me roubar;
  • Eu não recebo mais pacotes da UPS, FedEx e Sedex porque na realidade os entregadores são agentes disfarçados da Al Qaeda;
  • E eu também não atendo mais telefones porque alguém vai me pedir que disque um número pelo qual eu vou receber uma conta com chamadas para a Jamaica, Uganda, Singapura e Uzbekistan;
  • Eu não dirijo mais meu carro porque comprando gasolina de algumas empresas, estou apoiando a Al Qaeda, e se comprar das outras Companhias, estou apoiando os ditadores sul-americanos;
  • Eu não mexo mais no meu jardim porque tenho medo de ser picado pela aranha-madeira, e minha mão irá cair.

Se você não mandar esta mensagem para, pelo menos, 144.000 pessoas nos próximos 70 minutos, uma pomba grande com diarréia vai pousar em sua cabeça às 17:38 horas, amanhã, e as moscas de 120 camelos vão infestar suas costas, causando o crescimento de uma enorme corcunda cabeluda. Eu sei que isto vai acontecer porque aconteceu com a cabeleireira da melhor amiga do segundo marido da prima da sogra de minha vizinha... É bem sério isto!

Ah, e a propósito...
Um cientista alemão da Argentina descobriu, após um longo estudo, que pessoas com bastante tempo a perder e com pouca atividade cerebral lêem e-mails que recebem com a mão sobre o mouse.
Não..., não preocupe em tirá-la, é tarde demais!

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

O SUCESSO CONSISTE EM NÃO FAZER INIMIGOS

Por Max Gehringer

Max Gehringer (Jundiaí/SP, 1949) - administrador de empresas e escritor, autor de diversos livros sobre carreiras e gestão empresarial.



Nas relações humanas no trabalho, existem apenas 3 regras:

Regra número 1:

Colegas passam, mas inimigos são para sempre.

A chance de uma pessoa se lembrar de um favor que você fez a ela vai diminuindo à taxa de 20% ao ano.
Cinco anos depois, o favor será esquecido. Não adianta mais cobrar. Mas a chance de alguém se lembrar de uma desfeita se mantém estável, não importa quanto tempo passe. Exemplo: Se você estendeu a mão para cumprimentar alguém em 1999 e a pessoa ignorou sua mão estendida, você ainda se lembrou disso em 2009.

Regra número 2:

A importância de um favor diminui com o tempo, enquanto a importância de uma desfeita aumenta. Favor é como um investimento de curto prazo. Desfeita é como um empréstimo de longo prazo. Um dia, ele será cobrado, e com juros.

Regra número 3:

Um colega não é um amigo. Colega é aquela pessoa que, durante algum tempo, parece um amigo. Muitas vezes, até parece o melhor amigo.
Mas isso só dura até um dos dois mudar de emprego. Amigo é aquela pessoa que liga para perguntar se você está precisando de alguma coisa. Ex-colega que parecia amigo é aquela pessoa que você liga para pedir alguma coisa, e ela manda dizer que no momento não pode atender.

Durante sua carreira, uma pessoa normal terá a impressão de que fez um milhão de amigos e apenas meia dúzia de inimigos.
Estatisticamente, isso parece ótimo. Mas não é. A Lei da Perversidade Profissional diz que, no futuro, quando você precisar de ajuda, é provável que quem mais possa ajudá-lo é exatamente um daqueles poucos inimigos.
Muito cuidado ao tentar prejudicar um colega de trabalho; Amanhã ou depois você pode depender dele para alguma coisa!

Portanto, profissionalmente falando, e pensando a longo prazo, o sucesso consiste, principalmente, em evitar fazer inimigos.
Porque, por uma infeliz coincidência biológica, os poucos inimigos são exatamente aqueles que têm boa memória.

"Na natureza não existem recompensas nem castigos. Existem conseqüências."


Colaboração Lu Costa

quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

FRIO NO HEMISFÉRIO NORTE

Enquanto a gente vai "derretendo" no lado de baixo do Equador, no outro hemisfério, não muito longe da calota ártica, a moda é sair de casa bem abrigado até o fim da temporada.

Este casal aí, que mora em Aalborg, na Dinamarca, enfrentou uma temperatura de "quebrar o termômetro" para voltar para casa.
Foto Henning Bagger/AFP
Posted by Picasa

QUEEN MARY 2: ATLANTIC TIMELAPSE

Nesta seqüência, o fotógrafo Adonis Pulatus apresenta uma série de tomadas feitas em 20/21 de dezembro de 2010, a partir do convés superior do Queen Mary 2, que partiu de New York em direção ao Caribe. As imagens foram registradas em intervalos de 1 segundo.
Por Adonis Pulatus
Trilha Sonora Adagio of Spartacus and Phrygia (Aram Khachaturian - 1903/1978)


terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

CARTA ABERTA AO BANCO ...

Uma carta semelhante a esta foi enviada a um Banco. Na verdade, uma correspondência destas poderia ser direcionada a todas as instituições financeiras do Brasil.

Colaboração: Vagner Santos


CARTA ABERTA AO BANCO בראַדעסקאָ

Senhores Diretores do Banco בראַדעסקאָ

Gostaria de saber se os senhores aceitariam pagar uma taxa, uma pequena taxa mensal, pela existência da padaria na esquina de sua rua, ou pela existência do posto de gasolina ou da farmácia ou da feira, ou de qualquer outro desses serviços indispensáveis ao nosso dia-a-dia.

Funcionaria assim: todo mês os senhores, e todos os usuários, pagariam uma pequena taxa para a manutenção dos serviços (padaria, feira, mecânico, costureira, farmácia etc).. Uma taxa que não garantiria nenhum direito extraordinário ao pagante.

Existente apenas para enriquecer os proprietários sob a alegação de que serviria para manter um serviço de alta qualidade.

Por qualquer produto adquirido (um pãozinho, um remédio, uns litros de combustível, etc.) o usuário pagaria os preços de mercado ou, dependendo do produto, até um pouquinho acima. Que tal?

Pois, ontem saí de seu Banco com a certeza que os senhores concordariam com tais taxas. Por uma questão de equidade e de honestidade.

Minha certeza deriva de um raciocínio simples. Vamos imaginar a seguinte cena: eu vou à padaria para comprar um pãozinho. O padeiro me atende muito gentilmente. Vende o pãozinho. Cobra o embrulhar do pão, assim como, todo e qualquer serviço..

Além disso, me impõe taxas. Uma 'taxa de acesso ao pãozinho', outra 'taxa por guardar pão quentinho' e ainda uma 'taxa de abertura da padaria'. Tudo com muita cordialidade e muito profissionalismo, claro.

Fazendo uma comparação que talvez os padeiros não concordem, foi o que ocorreu comigo em seu Banco.

Financiei um carro. Ou seja, comprei um produto de seu negócio. Os senhores me cobraram preços de mercado. Assim como o padeiro me cobra o preço de mercado pelo pãozinho.

Entretanto, diferentemente do padeiro, os senhores não se satisfazem me cobrando apenas pelo produto que adquiri.

Para ter acesso ao produto de seu negócio, os senhores me cobraram uma 'taxa de abertura de crédito' - equivalente àquela hipotética 'taxa de acesso ao pãozinho', que os senhores certamente achariam um absurdo e se negariam a pagar.
Não satisfeitos, para ter acesso ao pãozinho, digo, ao financiamento, fui obrigado a abrir uma conta corrente em seu Banco. Para que isso fosse possível, os senhores me cobraram uma 'taxa de abertura de conta'.

Como só é possível fazer negócios com os senhores depois de abrir uma conta, essa 'taxa de abertura de conta' se assemelharia a uma 'taxa de abertura da padaria', pois, só é possível fazer negócios com o padeiro depois de abrir a padaria.

Antigamente, os empréstimos bancários eram popularmente conhecidos como papagaios'. para liberar o 'papagaio', alguns gerentes inescrupulosos cobravam um 'por fora', que era devidamente embolsado.

Fiquei com a impressão que o Banco resolveu se antecipar aos gerentes inescrupulosos.Agora ao invés de um 'por fora' temos muitos 'por dentro':

- Tirei um extrato de minha conta - um único extrato no mês - os senhores me cobraram uma taxa de R$ 5,00;
- Olhando o extrato, descobri uma outra taxa de R$ 7,90 'para a manutenção da conta', semelhante àquela 'taxa pela existência da padaria na esquina da rua'.

A surpresa não acabou:
- Descobri outra taxa de R$ 22,00 a cada trimestre - uma taxa para manter um limite especial que não me dá nenhum direito. Se eu utilizar o limite especial vou pagar os juros (preços) mais altos do mundo. Esta é Semelhante àquela 'taxa por guardar o pão quentinho'.

Mas, os senhores são insaciáveis. A gentil funcionária que me atendeu, me entregou um caderninho onde sou informado que me cobrarão taxas por toda e qualquer movimentação que eu fizer.

Cordialmente, retribuindo tanta gentileza, gostaria de alertar que os senhores esqueceram de me cobrar o ar que respirei enquanto estive nas instalações de seu Banco.

Por favor, me esclareçam uma dúvida: até agora não sei se comprei um financiamento ou se vendi a alma!
Depois que eu pagar as taxas correspondentes, talvez os senhores me respondam informando, muito cordial e profissionalmente, que:
- Um serviço bancário é muito diferente de uma padaria;
- Que sua responsabilidade é muito grande;
- Que existem inúmeras exigências governamentais;
- Que os riscos do negócio são muito elevados, etc. & tal;
- E, ademais, tudo o que estão cobrando está devidamente coberto por lei, regulamentado e autorizado pelo Banco Central.

Sei disso. Como sei, também, que existem seguros e garantias legais que protegem seu negócio de todo e qualquer risco.
Presumo que os riscos de uma padaria, que não conta com o poder de influência dos senhores, talvez sejam muito mais elevados.

Sei que são legais tais taxas, mas também sei que são imorais. Por mais que estejam garantidas em lei, concordam vocês que elas vão além do que se pode conceber como razoável?

CORAL DO "EU SOZINHO" - COREY VIDAL & MOOSEBUTTER

Colaboração: Maurício Fontana
Video by Corey Vidal
Vocals (ALL singing) by Moosebutter
Written and recorded by Moosebutter

I'VE BEEN LOSING YOU - A-HA

"A-ha" foi uma banda norueguesa de synthpop formada [em 1982] pelo vocalista Morten Harket, o guitarrista Paul Waaktaar-Savoy e o tecladista Magne Furuholmen.
Eles saíram da Noruega rumo a Londres com o objetivo de fazer carreira no mundo da música.
Sua estreia no Brasil foi em 1985, no programa "Fantástico", da Rede Globo, com o clip "Hunting High and Low", mas a minha favorita é esta aí "I've Been Losing You". Quem tiver, pelo menos, umas caixas sub-woofer no seu kit multimedia, vai escutar melhor o som do contra-baixo e poderá entender por quê.

Os direitos autorais deste clip são da Warner Music

segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

ESTA MENINA VAI LONGE!

Menor de 18 não dá as caras neste blog, salvo se estiver acompanhado pelos pais ou, pelo menos, um responsável. Aqui a cantora e [também] compositora Fernanda Langone (13) demonstra o que é capaz de fazer. Ela toca violão com desenvoltura e tem uma voz tão melodiosa que consegue hipnotizar qualquer plateia. Dá a impressão que ela faz [sozinha] o first-vocal e o back-vocal ao mesmo tempo. Esta menina vai longe!

Nosso amiguinho Lucas (4), que veio de Brasília com o papai Vagner e a mamãe Flávia, também chegou junto para apreciar o concerto violado.
A responsável pelos menores de idade, neste flagrante, é Denise Langone, a mãe da Fernanda.
Posted by Picasa

UM DRAGÃO-DE-KOMODO DOMESTICADO

Dragão-de-Komodo (Varanus komodoensis) é uma espécie de lagarto que vive nas ilhas de Komodo, Rinca, Gili Motang e Flores, na Indonésia. Pertence à família de lagartos-monitores Varanidae, e é a maior espécie de lagarto conhecida, chegando a atingir entre 2 e 3 metros de comprimento e 70 kg de peso. O seu tamanho exagerado é atribuído a gigantismo insular, uma vez que não há outros animais carnívoros para preencher o nicho ecológico nas ilhas onde ele vive, e também ao seu baixo metabolismo. Como resultado deste gigantismo, esses bichos, juntamente com as bactérias simbiontes, dominam o ecossistema onde vivem. Eles comem principalmente carniça, mas também caçam e fazem emboscadas a animais invertebrados, aves e mamíferos.
Este bicho aí ainda está em fase de crescimento. No Verão ele visita o pátio das casas de vez em quando, e come de tudo um pouco. Meu medo é que ele cresça muito, descubra que é primo do dragão-de-Komodo, e comece a imaginar que comer gente também pode ser uma possibilidade.

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

BRASILEIROS QUE CANTAVAM EM INGLÊS

Midas. Segundo a mitologia grega, Midas foi um rei que viveu na Frígia no século 8 a.C. Muito rico ele tinha mais ouro que qualquer pessoa no mundo. Passava horas contando a sua riqueza em enormes depósitos e porões do seu palácio. Porém ele não estava satisfeito.
Segundo a lenda, numa noite um homem vestido de branco apareceu diante do rei Midas e concedeu-lhe um desejo. O rei imediatamente desejou ter o toque de ouro, assim tudo o que ele tocasse viraria ouro. Quando Midas acordou pela manhã viu que seus lençóis de linho puro haviam se transformado em ouro puro. Espantado, levantou-se e, ao tocar em sua casa esta também virou ouro.
- “É verdade!” - gritou - “Eu tenho o toque de Midas!”.
Então o rei foi tomar seu café da manhã e quando tocou no seu pão viu que o mesmo virou ouro e também virou ouro tudo mais que tocara. Apreensivo, imaginou: - “Se a comida vira ouro, o que vou comer?”.
Nesse instante sua filha Aurélia entra em seu quarto e corre para beijá-lo. O rei, sem pensar, toca nela e a beija. No mesmo instante ela, linda e sorridente, a menina se transforma em uma estátua de ouro. O rei grita desesperadamente porém nada pode fazer.
Então o homem vestido de branco aparece novamente ao Rei e lhe pergunta:
- "Porque estais triste? Não vos dei o que pedistes?"
E o rei responde: - "Não, o que eu mais amava era minha filha!".
E continou o ser reluzente: "Então quereis dizer que preferídes um pão e um cálice de água do que todo o ouro do mundo?"
- "Sim!" - responde o rei, e prossegue: "Dou-te toda a minha fortuna se me tirares essa maldição que sobre mim, e à minha família, invoquei!" - lamentou-se Midas. "Tudo o que eu realmente amava está perdido para mim!”.
Segundo a lenda o ser vestido de branco mandou que Midas se banhasse em uma fonte onde o toque de ouro lhe seria retirado, e que dela trouxesse um pouco de água, para jogar sobre sua filha e sobre todas as coisas que ele quisesse restituir à forma original.
Dessa forma, o lendário rei Midas desistiu, em tempo hábil, de seu toque de ouro e passou a alegrar-se com coisas simples como a própria vida, a família, a comida e a natureza.



Pois lá pelos anos 70 era difícil para as emissoras de televisão brasileiras conseguirem os direitos de cópia de grandes nomes internacionais da música. O objetivo seria incluir as músicas desses caras nas trilhas internacionais das suas novelas. A Rede Globo, que até hoje explora bem essa questão de trilhas sonoras, encontrou uma solução bem mais barata.

Naquele tempo a preferência nacional pendia para o pop/rock anglo-norte-americano. Os hits chegavam aqui através de fitas e compactos trazidos de fora, na maioria das vezes, por funcionários de empresas aéreas. As rádios ajudavam a divulgá-los, mas esses sucessos internacionais não estavam disponíveis nas lojas. Então as gravadoras daqui começaram a lançar no mercado nacional, músicas em inglês interpretadas por brasileiros. O toque de Midas da idéia era que os intérpretes dessas músicas não eram brasileiros.
Êpa! Eram ou não eram brasileiros? Não entendi!

Na verdade eles eram brasileiros sim, mas usavam pseudônimos. E esses nomes de mentirinha tinham origem e sotaque inglês. Muitas vezes ouvimos falar em Chrystian, Dave Maclean, Malcom Forrest, Mark Davis, Michael Sullivan, Morris Albert, Pete Dunaway, Terry Winter, Uncle Davis, e das bandas Light Reflections, Sunday, Lee Jackson e Pholhas. Pois é, e eu ingenuamente, em tenra mocidade, pensava que esses intérpretes e compositores eram lá dos EEUU. Só fui descobrir o engodo muitos anos mais tarde.

O post-scriptum destas citações pretende revelar que Mark Davis e Uncle Davis eram o mesmo cara, hoje conhecido como Fábio Júnior.

Esta postagem do YouTube apresenta um dos artistas mencionados. Dave Maclean foi compositor e intérprete de vários sucessos "internacionais" incluídos em trilhas de novelas antigas. Compôs, inclusive, o sucesso "Feelings", que criou asas mundo afora na voz de Morris Albert.
Dave Maclean - Forever Alone (incluída na trilha sonora internacional da novela "O Casarão", em 1976).

UM COMERCIAL POLÊMICO

No meu ponto de vista o comercial era ótimo, mas deu no que falar. A protagonista do anúncio foi lá no "Jô Soares, onze-e-meia" e demonstrou por que um simples comercial de iogurte gerou tanta polêmica.

Rose di Primo estava tão "em forma" que induzia qualquer mortal a pensar, pela lógica machista, que Deus não teria complementado os dotes físicos super-perfeitos da modelo, concedendo-lhe um grau de inteligência de igual proporção. Aí ela não seria humana, seria uma Deusa.
Pois bem, Rose di Primo era sim [e ainda hoje mantém-se como] uma Deusa.

FEIRA MODERNA

Se entrarmos em um site de procura com a expressão "feira moderna", abrir-se-ão dezenas ou centenas de indicativos de bares, cafés, lojas, restaurantes, música e até blogs. Mas a "feira moderna" à qual me refiro é esta aí, descendente direta do livre comércio de mercadores oriundos de distintas localidades que, reunidos em um local aberto, expunham seus produtos que eram vendidos ou trocados por outros.
As feiras de frutas e hortaliças existem desde, digamos..., sempre. Esta [que aí vemos] é "moderna" porque está no tempo presente, mas o formato dela, e de qualquer outra do tipo, se mantém também desde sempre, e em vários lugares ao redor do mundo.
A tradição diz que nas feiras os produtos vêm direto da fonte, são frescos (no bom sentido), livres de agrotóxicos (acho que não é mais assim) e são bem mais baratos dos que nos são oferecidos nos hipermercados.
Além disto as tais feiras de frutas e hortaliças causam uma boa impressão, traduzida como uma sensação de que a natureza, e portanto tudo o que há de mais saudável no que se refere a alimentos, vem ao nosso encontro. É assim que eu vejo as feiras.

Esta aí - só para completar a matéria - se realiza às terças-feiras, das 16 às 22 horas, no prolongamento da Av. Bento Gonçalves, em Pelotas, RS.

E penso que não seria má idéia se, quem estiver lendo isto aqui, resolvesse fotografar uma feira destas em sua cidade e mandasse para oseculoxx.blog@gmail.com, ou seja, este blog.
Desfidare jacta est.

Fotos: 08/02/2011; 18:30/_:31/_:32 h.
Posted by Picasa

domingo, 6 de fevereiro de 2011

DIRETO DE PASSO FUNDO

Distante uns 280 Km da capital Porto Alegre, a cidade de Passo Fundo, a maior do norte do estado do Rio Grande do Sul, situa-se em um relevo montanhoso, a uma altitude média de 690 metros, e tem clima temperado.


2011, 4 de fevereiro. Dispostos a conhecer e aproveitar a praia do Cassino (Rio Grande, RS), estes bravos excursionistas saíram de Passo Fundo às 19:40 h, viajando a noite toda [com paradas estratégicas], algo em torno de 650 km, através das BRs 285, 158 e 392, chegando direto às areias da praia, próximo aos molhes, no outro dia de manhã.
O compartimento de bagagens, aberto pelos dois lados, foi transformado em providencial abrigo contra os raios solares que se tornaram incômodos a partir das 11 horas.
E quem não trouxe lanche ou almoço nem precisou se preocupar, pois não faltaram opções bem próximas do local da "ancoragem".
O vendedor de sorvetes e picolés ficou ali durante, pelo menos, uma hora, rondando prováveis clientes. E pelo que pude observar, ele se deu muito bem!
Posted by Picasa

sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

CHARRETE DE QUATRO RODAS

Além das quatro rodas, esta charrete aí, cuja potência é de 2cv, tem suspensão rebaixada.
Ela trafegava, despacito, pelas pouco movimentadas ruas de Encruzilhada do Sul, RS, 'inda estes dias de manhã.

Clique na foto para obter um zoom.
Posted by Picasa

terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

RIO DE JANEIRO- UM CARTÃO POSTAL ÀS AVESSAS

Esta é uma tomada aérea de um complexo de favelas do Rio Janeiro, realizada pelo fotógrafo francês Yann Arthus-Bertrand. Um pedaço do Rio que os cartões postais não mostram, mas que faz parte do "pacote" e não desvirtua, de maneira alguma, a beleza da cidade.

A colaboração é de Werner Beck.
Clique na foto para obter o zoom.
Posted by Picasa

UMA ENCHENTE EM BLUMENAU

Outubro de 1911. Nesse período ocorreu a maior enchente que se tem notícia em Blumenau, SC. As águas do rio Itajaí-Açu chegaram à marca dos 16,27 metros (algumas fontes indicam 16,9 metros). Os prejuízos alcançaram a maior parte da população, e o Governo Federal abriu crédito especial para socorro às vítimas e para a reconstrução do Município. A Alemanha, à época, pátria-mãe de muitos blumenauenses, contribuiu com dinheiro, roupas e materiais de toda a espécie.
A catástrofe pluvial que levou roças, bens e bichos dos colonos foi associada, pelos que eram religiosos, a um novo dilúvio, pois ao longo de muitos dias choveu sem parar. Eles se refugiaram no convento das freiras, no topo de um monte, até que a água baixasse, experimentando a escassez de víveres e, em conseqüência, a fome.

A foto [acima] é do arquivo de Adalberto Day & Morgana Holetz Aguiar, e mostra o Majestoso Hotel Holetz, demolido em 1959. No seu lugar foi construído o Grande Hotel.
Posted by Picasa

SGT. PEPPER'S LONELY HEARTS CLUB BAND- THE BEATLES

O Maurício Fontana me mandou umas capas-paródia do LP "Sgt. Pepper's Lonely Hearts Club Band", lançado por "The Beatles", em 1967. Algumas "são bisonhas", como ele mesmo disse. Mas dentre todas, selecionei esta aí do compositor e pianista japonês Jun Fukamachi.


Esta aí, abaixo, é a original.

Posted by Picasa

O RAIO SOLAR DA MORTE

Quem duvida dos feitos de Arquimedes (287 a.C. - 212 a.C.) que, dentre outros mirabolantes inventos, projetou e construiu grandes espelhos côncavos para neutralizar a esquadra romana, pode ir tratando de considerar que talvez sejam p'ra lá de verdadeiros esses antigos relatos.

A veracidade da proeza do matemático, físico e inventor grego está demonstrada através desta perigosa versão, criada por um adolescente americano. Ele resolveu colar pequenos espelhos retangulares sobre o refletor de ondas de uma pequena antena parabólica. Preencheu todos os espaços com os mini-espelhos (5.800 ao todo) e criou o seu "Solar Death Ray" - em português: Raio Solar da Morte - que usa o calor do Sol como fonte de energia para queimar objetos enquadrados no ponto focal de reflexão dos raios solares.

Não adiantaria dizer "Não faça isto em casa!" porque Eric Jacqmain (19), de Vincennes/Indiana/USA, já fez, e promete construir um artefato similar com 32.000 mini-espelhos, capaz de queimar qualquer coisa, ou seja, uma verdadeira arma de guerra.

Acompanhe o vídeo, abaixo.