sábado, 30 de abril de 2011

ME DÁ PODER DE FILHO - CLEBER & FABIANA

Meu grande amigo Cleber sempre me surpreende positivamente. Ele mandou esta sua performance de palco, através da qual expressa a sua fé em Cristo.

Um grande abraço, Cleber & Nani. Amo vocês!

O CARRO MAIS VELOZ

Colaboração Lu Costa
video
Créditos fabiojunior81

COMO ERA PARA TER SIDO

Script by Werner Beck

Ofício Circular E5K1/2011: O casamento real era para ter sido em Bagé, na Auxiliadora. Elizabeth II (a Betinha como o pessoal de lá a conhece) até que queria e o guri também pq já tinha vindo numas quantas gineteadas em outras Semanas Crioulas como parte da missão real de conhecer "de tudo um pouco", mas por conta de dois problemas a festa foi feita na Inglaterra mesmo, a primeira é que o único padre que fala inglês, por vezes, gagueja, daí podiam pensar que tinha algo a ver com aquele filme que ganhou o Oscar e os altos impostos cobrados pelo whisky escocês pelo governo brasileiro o que força todo mundo a ir para os freeshops uruguaios. A cavalhada tinha sido aprovada com louvor. Uma pena que o navio "uisqueiro" (um navio-tanque especialmente construído para transportar whisky) foi mandado de volta quando já estava quase entrando na área do Oceano Atlântico pertencente a Região Metropolitana de Bagé. Vejam como seria o casamento se tivesse sido na Rainha da Fronteira. O filme do ensaio foi feito secretamente pelo Dr. Little John, nobre (praticamente) bageense que por conta de sua estatura entra a cavalo embaixo das laranjeiras para comer aquelas que, normalmente, não alcança.

JENNIFER LOVE HEWITT

A primeira vez que eu vi Jennifer foi no filme "Heartbreakers" (no Brasil, "Doce Trapaça"), lançado em 2001. De lá para cá, fiquei de olho nela e descobri que além de atriz, ela é também cantora.
Jennifer Love Hewitt nasceu em Waco/Texas/EUA, em 21 de fevereiro de 1979, e convive no meio artístico desde os 3 anos de idade. Sua estreia no cinema foi, aos 13 anos, no curta-metragem "Dance! Workout with Barbie" [sem título em português], recomendado para meninas entre 7 e 10 anos de idade. Depois foram mais vinte-e-seis filmes para o cinema, intercalados com três trabalhos na televisão.
"The Client List" (no Brasil, A Lista de Clientes) é seu mais recente trabalho no cinema, que lhe rendeu uma indicação ao Globo de Ouro - prêmio baseado nos votos de 96 jornalistas de Hollywood/Califórnia, associados com a media de outros países.
Aprecie a musa, com moderação, clicando duas vezes na foto para obter o super-zoom.
Fotoshoot Patrick Hoelck

IGREJA MATRIZ NOSSA SENHORA DA GRAÇA

Foto Sérgio M.P. Fontana

A Igreja Matriz Nossa Senhora da Graça fica em Arroio Grande, RS, e foi construída a partir de 1826 no terreno doado por Manuel de Souza Gusmão e sua esposa Maria Pereira das Neves, em pagamento a uma promessa feita à Nossa Senhora da Graça "em dia de grande angústia na família Souza Gusmão. Um filho do casal, com 14 anos, ao passar o arroio cheio, caiu nas águas correntosas, sendo encontrado semi-morto, 3 dias mais tarde, enredado em umas 'unhas-de-gato' (vegetação abundante ao longo do arroio Grande), apenas com a cabeça fora d'água. Socorrido, voltou a si e salvou-se. Sua mãe atribuiu o fato à promessa que havia feito ... que se 'o encontrasse com vida doaria o terreno para construção da capela definitiva'. Não há um documento que possa comprovar cientificamente o fato, mas o certo é que a cidade surgiu em cima desse terreno, havendo a escritura de doação." (www.arroiogrande.com)
Posted by Picasa

LE CHEF

2011, 29 de abril, 8 e meia da noite. Aqui [como provavelmente nas fotos do desembarque do Homem na Lua] tem imagens fake
de um jantar (carreteiro) de aniversário.
Cabe a vocês, assíduos [ou não] freqüentadores deste blog,
descobrirem o que é de verdade [e o que não é] nestas imagens que contam com a minha participação.
Posted by Picasa

quarta-feira, 27 de abril de 2011

ENSAIO DA LUIZA POSSI

2011, 27 de abril, 7 da noite. Luiza Possi ensaiando para gravar seu DVD, que vai sair em breve. A música é "Desculpe O Auê", de Rita Lee e Roberto Carvalho.

Luiza e a sua própria voz formam um lindo conjunto, mas [cá p'ra nós] o som do equipamento ainda não estava bem ajustado. Fiquei com dor nos ouvidos e retirei os fones.
Depois vou querer conferir o resultado final deste trabalho todo.
Fonte Twitter da Luiza Possi - http://twitcam.livestream.com/4osr2.

SAOIRSE RONAN

Saoirse (pronuncie Seer-sha) Ronan (New York, 12/04/1994) é filha de pais irlandeses e foi criada no Condado de Carlow, Irlanda. Ela é atriz desde os 9 anos, quando atuou em quatro episódios da série "The Clinic", exibida na RTÉ (Raidió Teilifís Éireann), de 2003 a 2007.
Nesta foto [da série "Girls in Action", publicada no "The New York Times"] ela aparece em ação no filme "Hanna", lançado em 2011.

Foto Alex Bailey/Focus Features
Posted by Picasa

terça-feira, 26 de abril de 2011

INCOMPETÊNCIA

"Um golpista conseguiu enganar a justiça e sacar R$ 44 mil em precatórios devidos a uma pensionista. Para realizar a ação, foram usados documentos de uma pessoa com o mesmo nome da vítima." (RBSTV, 26/04/2011)

E este tipo de coisa pode acontecer de novo se, ao invés de colocarem um servidor de carreira que possa ser realmente responsabilizado em caso de erros graves, continuarem usando estagiários, por si só, inexperientes, para exercerem funções que a eles nem deveriam ser delegadas.
RBSTV

VALL DE NURIA

Esta é uma vista de um hotel da estação de esqui Vall de Nuria, que "fica nos pirineos catalanes, para o lado da França", escreveu-me a amiga Sheila Sanes Medeiros, que passou uns dias por lá e, além de esquiar, fotografou muito. Depois, publicou esta [e várias outras] no seu perfil do facebook.
Foto Sheila Sanes Medeiros
Posted by Picasa
Obrigado, Sheila!

segunda-feira, 25 de abril de 2011

GRE-NAL NO DIA 1º DE MAIO

GRE-NAL. O termo "GRE-NAL" foi criado pelo jornalista Ivo Martins, em 1926, e expressa a rivalidade [de mais de cem anos] produzida pela evolução paralela dos dois clubes responsáveis pelos confrontos que caracterizam o maior clássico do futebol brasileiro.
O primeiro jogo entre Grêmio e Internacional ocorreu em 18 de julho de 1909, e foi com vitória do Grêmio por 10 a 0. A primeira vitória do Internacional foi em 31 de outubro de 1915. O placar foi 4 a 1.
No Gre-Nal nº 85, realizado em 09 de fevereiro de 1945, o Internacional alcançou o Grêmio em número de vitórias - 35 vitórias para cada um e 15 empates. No Gre-Nal seguinte, o alvi-rubro porto-alegrense passou à frente na estatística do clássico. Era a época do famoso "rolo compressor" colorado, um magnífico time de futebol. "Muitas pessoas, principalmente os torcedores que viram o time jogando, e conquistando títulos, acreditam que este foi o melhor time do Internacional de todos os tempos." (BRAGA, Kenny. Rolo Compressor: memória de um time fabuloso).

E para quem gosta de números, até agora foram 384 clássicos, com: 121 vitórias do Grêmio; 119 empates; 144 vitórias do Internacional. Gols: Grêmio - 507; Internacional - 545.

Rolo compressor do S.C. Internacional da década de 1940
Fonte Museu do SC Internacional



Grêmio, penta-campeão gaúcho, 1966.
De pé: Dr. Jairo Cruz, Arlindo, Cleo, Ortunho, Altemir, Aírton e Áureo;
Agachados: Vieira, Joãozinho, Alcindo, Sérgio Lopes, Volmir, Ataíde Carvalho e os mascotes.
Fonte http://futebolclassico.blogspot.com/

Este é o terceiro GRE-NAL [que eu saiba] realizado no dia 1º de maio, e o primeiro que vale um título - o da Taça Farroupilha, equivalente ao 2º turno do Campeonato Gaúcho ou ao próprio título de Campeão Gaúcho/2011, dependendo do que ocorrer. Os outros dois foram amistosos:
  • GRE-NAL nº 166 - 1º de maio de 1963; local: Estádio Olímpico; placar: Grêmio 4 x 1 Internacional; gols: Marino (G x 4); Paulo Araújo (I x 1).

  • GRE-NAL nº 216 - 1º de maio de 1975; local: Estádio Beira-Rio; placar: Internacional 2 x 0 Grêmio; gols: Escurinho (I x 2).
O próximo é o Gre-Nal nº 385 - 1º de maio de 2011; local: Estádio Beira-Rio.

Possibilidades:

1) Vitória do colorado [nos 90 minutos ou nos pênalties] = Internacional, campeão da Taça Farroupilha (2º turno), forçando uma decisão do título gaúcho em dois outros clássicos - o primeiro no Beira-Rio; o segundo no Olímpico Monumental;

2) Vitória do tricolor [nos 90 minutos ou nos pênalties] = Grêmio, campeão da Taça Farroupilha e Campeão Gaúcho/2011, uma vez que já é campeão da Taça Piratini (1º turno).
Posted by Picasa

domingo, 24 de abril de 2011

VIAGEM FANTÁSTICA

Este era um dos meus preferidos. A série de [17] desenhos, exibida pela TV Difusora Canal 10, de Porto Alegre, RS, lá na primeira metade dos anos 70, era baseada no filme de mesmo nome, lançado em 1966.
O C.M.D.F. (Combined Miniatura Defense Force), uma organização secreta do governo norte-americano, utilizava sua capacidade de reduzir seres humanos a tamanhos microscópicos para combater as chamadas "forças inimigas da liberdade". Quatro pessoas foram selecionadas para formar a equipe técnica que trabalharia a bordo do "Viajante" - uma nave-submarino que depois de miniaturizada era capaz, inclusive, de circular por dentro de organismos vivos. O período de duração do tamanho reduzido era de 12 horas, prazo máximo para o desfecho das missões.
Abaixo, "O Crime Perfeito", um episódio da série.
video

A MELHOR ESCOLHA

Fonte UOL

sábado, 23 de abril de 2011

CALÇADA EM MANUTENÇÃO

Julian Beever é um artista de rua inglês, conhecido por seus desenhos em 3D que, dependendo do ângulo a partir do qual são vistos, tornam-se capazes de causar um efeito visual impressionante. Neste aí, para não cair no "buraco" [feito com giz], o pedestre deu uma desviadinha.

quinta-feira, 21 de abril de 2011

¿O QUE É O "OLHO" DO FURACÃO?

O olho é uma área quase circular de ventos comparavelmente calmos e tempo bom encontrado no centro de um ciclone tropical intenso. Embora os ventos sejam calmos no eixo de rotação, podem ocorrer também ventos intensos nessa região. Há pouca ou nenhuma precipitação e muitas vezes podem-se ver céu claro nessa região.
O olho corresponde à região de pressão de superfície mínima e de maiores temperaturas nos níveis mais altos: 10°C mais quente do que o ambiente a 12 km de altitude, mas apenas 2°C no máximo mais quente ao nível de superfície.
Seu tamanho varia de 8 a 200km de diâmetro, mas em média temos ciclones tropicais com diâmetro de olho em torno de 30 a 60km. Ele é circundado pela chamada parede do olho (área aproximadamente circular de convecção profunda) correspondendo à área de ventos de superfície mais intensos, e é composto de ar que apresenta movimento levemente descendente enquanto que a parede tem um fluxo resultante ascendente de moderado a fortes correntes ascendentes e descendentes.
A convecção da parede do olho é fundamental na formação e manutenção do ciclone tropical. Convecção em ciclones tropicais é organizada e alongada na mesma orientação do vento horizontal, sendo chamadas de bandas espirais pela típica formação em espiral. Ao longo dessas bandas a convergência em baixos níveis é máxima e, assim, a divergência é bem pronunciada nos altos níveis.

quarta-feira, 20 de abril de 2011

COPA DO MUNDO NO BRASIL: SOU CONTRA

Eu penso que a maioria dos brasileiros não quer que a Copa/2014 se realize no Brasil. E o motivo principal é que o dinheiro – uma exorbitância – que vai ser gasto com Copa do Mundo, seria muito melhor empregado se fosse destinado, sem desvios, à saúde e segurança públicas, à educação, ao saneamento básico, habitação, meio ambiente, recuperação das malhas rodoviária e ferroviária, revitalização do transporte ferroviário, infraestrutura aeroportuária e naval, etc.
Tenho medo que uns meses depois da Copa, apareçam as conseqüências dos gastos desmesurados, e o país se torne novamente inviável, retornando aos moldes de antigamente, quando nos ajoelháva-mos aos pés do FMI e a inflação era de 75% ao mês. Vide Grécia, pós-Olimpíada/2004.
Ainda daria tempo de desistir, mas a gente sabe que tem uma minoria graúda que quer [e vai] ganhar muito dinheiro, em detrimento do grosso da população que vai sair no prejuízo, em curto, médio e longo prazos.

Foto REUTERS/Ricardo Moraes

terça-feira, 19 de abril de 2011

POR HOJE, MISSÃO CUMPRIDA!

2011, 19 de abril, 14:41 h - campus universitário Capão do Leão. Alunos da UFPel embarcam no ônibus que os levará de volta ao centro da cidade de Pelotas, o mais próximo possível dos seus destinos. O cachorrinho marca presença, fiscalizando. Quando todos estiverem a bordo, ele dará um latido [pré-combinado com o motorista], avisando que é hora de partir. Este é o trabalho dele, que é recompensado [todos os dias] com um belo almoço oferecido pelo restaurante-escola da Instituição.

Dê um zoom.
Posted by Picasa

segunda-feira, 18 de abril de 2011

"PATAGÔNIA: PARAÍSO GELADO"

Este documentário, apresentado pela jornalista Rosane Marchetti, da RBS TV - o braço da Rede Globo no RS e em SC - é de encher os olhos.
A matéria compôs a íntegra do programa Globo Repórter, exibido às 22:25 horas, do dia 15/04/2011.
Vale a pena rever.

Fonte YouTube/Guilhermetelles27

RUA DOM PEDRO II, PELOTAS, RS

Clicar. Verbo [que não existe em português] originado da palavra onomatopaica "clic", a qual, neste caso, expressa o ruído gerado pelo ato de acionar o botão do mouse - aparelho que controla o cursor dos microcomputadores contemporâneos.

Rua Dom Pedro II, em Pelotas, RS.
Na primeira tomada a câmera apontou para o leste; na segunda, o objetivo era alcançar a antiga Estação Ferroviária, a oeste, o que [quase] não foi possível.
Os pontos de origem estão, aproximadamente, 20 metros acima do nível da via, entre as ruas Andrade Neves e General Osório.

Dê um zoom, clicando nas fotos.
Agradecimento à Enterprise Telecomunicações Ltda
Posted by Picasa

domingo, 17 de abril de 2011

A CORRIDA ESPACIAL IV - O PROJETO GEMINI

O projeto Gemini foi anunciado em 07 de dezembro de 1961, e durou cerca de cinco anos. A primeira "Gemini" foi lançada em 08 de abril de 1964, sem tripulação; a última (Gemini XII), em 11 de novembro de 1966, com os astronautas James A. Lovell, Jr.(Cleveland/Ohio/EUA, 25/03/1928) e Edwin E. Aldrin, Jr.(New Jersey/EUA, 20/01/1930), que uns anos depois iriam desempenhar importante papel no projeto Apollo.

Gemini III

A primeira "Gemini" tripulada foi a terceira, lançada em 23 de março de 1965, e que levou Virgil "Gus" Grissom (Mitchell/Dakota do Sul/EUA, 03/04/1926 — Cabo Canaveral/Florida/EUA, 27/01/1967), o comandante da missão, e John Young (San Francisco/California/EUA, 24/09/1930), o piloto. Dentre os estudos realizados destacaram-se a execução de manobras em órbita e os testes e procedimentos relativos à decolagem e ao pouso. Os efeitos da falta de gravidade, as radiações em células brancas do sangue e o crescimento de ovos em gravidade zero, também foram observados. A reentrada da nave na atmosfera, no entanto, foi problemática, uma vez que o ângulo de queda não foi o esperado e a nave pousou a 111 Km do local pré-determinado.

Gemini IV

O resultado mais importante obtido pela Gemini IV, lançada em 3 de junho de 1965, e tripulada por James A. McDivitt (Chicago/Illinois/EUA, 10/06/1929), o comandante e Edward White (San Antonio/Texas/EUA, 14/11/1930 — Cabo Canaveral/Florida/EUA, 27/01/1967), o piloto, foi a primeira caminhada espacial norte-americana, que durou 36 minutos e foi realizada por Edward White.

Gemini IV: Edward White em seu passeio extra-veicular.
Foto NASA


Gemini V

1965, 21 de agosto. Lançamento da Gemini V, comandada por C. Gordon Cooper e pilotada por Charles Conrad, Jr.(Filadélfia/Pensilvânia/EUA, 02/06/1930 – Ojai/Califórnia/EUA, 08/07/1999) Nesse vôo, os Estados Unidos bateram, pela primeira vez, o recorde de permanência no espaço, com 120 órbitas realizadas em 7 dias e 23 horas. Embora os objetivos principais da missão tenham sido alcançados, as células de combustível apresentaram problemas e a nave teve que ficar [durante um certo tempo] à deriva no espaço para economizar combustível. Nessa oportunidade a NASA pretendia avaliar o sistema de direção e navegação com REP (radar evaluation pod) e demonstrar a capacidade da nave e da tripulação de enfrentar um vôo de 8 dias sem gravidade.

Com relação ao fato de terem ficado à deriva, o astronauta Charles Conrad concluiu: "Esta foi a coisa mais difícil que eu fiz em toda a minha vida".

Gemini VI

1965, 25 de outubro. Esse era o dia previsto para a subida ao espaço da Gemini VI, cujo objetivo seria um encontro espacial com outro veículo [não tripulado], previamente lançado. O GATV (Gemini-Agena Target Vehicle), destinado para esse fim, não conseguiu entrar em órbita, pois 6 minutos e 15 segundos após sua decolagem, a NASA perdeu todos os dados de telemetria do foguete. A missão foi adiada, e rebatizada com o nome de Gemini 6-A.

Gemini VII

A Gemini VII foi lançada em 04 de dezembro de 1965, e acabou servindo como alvo para o encontro com a Gemini VI. A Gemini VII ficou 13 dias e 18 horas no espaço, batendo novo recorde de permanência no espaço. Depois de alguns dias no espaço, até o encontro com a Gemini VI-A, que quebrou a monotonia do vôo, os astronautas Frank Borman (Gary/Indiana/EUA, 14/03/1928) e James Lovell (Cleveland/Ohio/EUA, 25/03/1928) se queixaram de muito mal-estar por conta do espaço reduzido da nave, aliado ao desconforto produzido pelos sensores médicos.

Assim mesmo, os objetivos principais da missão foram alcançados, culminando com a execução de uma reentrada controlada na atmosfera, com um pouso efetuado a apenas 11 km do local pré-estabelecido.

Gemini VI-A

1965, 15 de dezembro. Tripulada por Walter Schirra e Thomas Stafford (Weatherford/Texas/EUA, 17/09/1930), a Gemini VI-A foi programada para ter um vôo de apenas 25 horas. O objetivo era promover o primeiro encontro espacial totalmente controlado pelos próprios astronautas, utilizando sistemas baseados nas próprias naves. "As manobras precisas de Walter Schirra permitiram que o encontro fosse realizado com um consumo mínimo de combustível. As duas naves chegaram a uma distância mínima de cerca de 30 cm." (História da Conquista Espacial - Karl H. Benz)

Gemini VIII

1966, 16 de março. Nesse dia foi lançada a Gemini VIII, com Neil Armstrong (Wapakoneta/Ohio/EUA, 05/08/1930) e David R. Scott (San Antonio/Texas/EUA, 06/06/1932), que tinha o objetivo de aperfeiçoar a técnica de acoplamento espacial, anteriormente realizada pela Gemini VII. O acoplamento entre a nave Gemini e o veículo espacial Agena foi bem sucedido em termos, pois após a conexão entre as naves, o sistema todo começou a girar em alta velocidade. Neil A. Armstrong, o piloto, desacoplou as duas naves, mas a Gemini só voltou à estabilidade após terem se desligado [automaticamente] todos os seus controles, e foi preciso usar quase todo o combustível disponível para normalizar a trajetória da nave. Quase sem combustível, os astronautas forçaram a trajetória da nave, fazendo-a descer [muito antes do previsto] em algum lugar do Oceano Pacífico, caracterizando o primeiro pouso de emergência do programa espacial americano. No meio do Pacífico, Armstrong e Scott aguardaram o resgate por uma noite inteira.

Resgate da Gemini VIII
Foto NASA/SCIENCE PHOTO LIBRARY


Gemini IX

Uma tragédia pré-lançamento vitimou a tripulação da Gemini IX. Os astronautas Elliott M. See e Charles Bassett morreram em um acidente de avião em 28/02/1966. Eles foram substituídos por Thomas P. Stafford (Weatherford/Oklahoma/EUA, 17/09/1930) e Eugene A. Cernan (Chicago/Illinois/EUA, 14/03/1934), e a nave foi rebatizada como Gemini IX-A, tendo sido lançada em 03 de junho de 1966.
Os americanos pretendiam "testar três técnicas de encontro espacial, uma caminhada espacial para testar a Astronaut Maneuvering Unit (AMU) e a precisão no pouso. Havia ainda diversas experiências científicas a serem realizadas." (História da Conquista Espacial - Karl H. Benz)

Embora não tenha conseguido se acoplar ao "alvo" Agena Target Docking Adapter (ATDA), a Gemini IX-A conseguiu realizar as técnicas previstas num encontro espacial, mas enfrentou problemas relativos à caminhada espacial realizada pelo astronauta Eugene Cernan. Ele suou demais, embaçando o visor do seu capacete, e voltou sem enxergar [absolutamente nada] para a nave.
Após 3 dias e 21 horas, com a execução de 44 órbitas, a Gemini IX-A pousou a 3 Km do ponto pré-determinado.

Gemini X

Diversos erros de planejamento, que resultaram em um consumo excessivo de combustível, quase arruinaram a missão da Gemini X, lançada em 18 de julho de 1966. O acoplamento com o veículo Agena (o mesmo que quase causou um acidente com a Gemini VIII) foi um sucesso. John W. Young (San Francisco/California/EUA, 24/09/1930) e Michael Collins (Roma/Itália, 31/10/1930) completaram 43 órbitas em 2 dias e 23 horas, e a "Gemini" pousou a apenas 5 km do local esperado.

Gemini XI

1966, 12 de setembro. Charles Conrad, Jr. e Richard F. Gordon, Jr. (Seattle/Washington, 05/10/1929) foram incumbidos de realizar o encontro orbital, seguido de acoplamento com o veículo Agena e testes durante caminhadas espaciais extra-veiculares (EVAs). A Gemini XI, acoplada ao veículo Agena, voando a 800 km de altura. "Um cabo foi ligado à Agena durante um passeio espacial, e as naves foram postas em uma suave rotação, criando desta forma uma microgravidade. A nave realizou 44 órbitas durante 2 dias e 23 horas." (História da Conquista Espacial - Karl H. Benz)

Gemini XII

A Gemini XII foi a última nave da série, e foi lançada em 11 de novembro de 1966, com os astronautas James A. Lovell Jr., que estivera na Gemini VII, no final do ano anterior, e Edwin E. Aldrin, Jr., com a missão de acoplar-se com uma nave Agena e conduzir três caminhadas espaciais. Foram 59 órbitas em 3 dias e 22 horas. O pouso foi automático a 5 km do local previsto pela NASA.


"Todos os objetivos da série Gemini haviam sido alcançados, e os norte-americanos dominavam perfeitamente as técnicas de manobras no espaço, encontro espacial, acoplamento, caminhada espacial, além da capacidade de pousar uma nave em segurança." (História da Conquista Espacial - Karl H. Benz)

sexta-feira, 15 de abril de 2011

COMO EQUILIBRA TODO MUNDO, TIO?

Por Gabriele Chanas

"Como equilibra todo mundo, tio?"
Como equilibra todo mundo, tio?  on Twitpic
Clique na foto para obter o zoom, senão ...
... vai ser impossível ver [e entender].
Fonte: twitter da Gabriele Chanas

Gabrieli Chanas, 32 anos, é natural de Gravataí, Rio Grande do Sul. Formou-se em Jornalismo pela Universidade do Vale do Rio do Sinos em 2001 e desde então trabalha na Rádio Gaúcha. Iniciou a carreira como produtora de programas como Chamada Geral, Correspondente Ipiranga e Gaúcha Atualidade. Desde 2007 apresenta o Supersábado, ao lado de Wianey Carlet. Em 2008 iniciou o blog Noiva.com (www.zerohora.com/noiva) para dividir dicas sobre planejamento de eventos. O blog ganhou o Prêmio RBS de Jornalismo 2009 na categoria Inovação e está entre os mais lidos do Grupo RBS, ultrapassando 280 mil visitas em julho.

quinta-feira, 14 de abril de 2011

ENCRAVADO NA PAREDE

2011, 14 de abril. Quem transita com freqüência [a pé ou de automóvel] pela Av. Fernando Osório, em Pelotas, RS, nem dá mais importância à inusitada cena proposta pelo proprietário da empresa.

Mas mesmo que esta criação desde há muito tempo faça parte da paisagem, ninguém resiste passar por ali e não olhar. Assim, é impossível não ver [e não gravar na mente] o nome, o propósito e o telefone do estabelecimento.
Esta estratégia de marketing, que à época da sua concepção estava bem à frente do seu tempo, ainda hoje impressiona e é capaz de atingir seus objetivos, pois tem gente por aí fazendo coisa bem parecida, talvez inspirado no tal automóvel "encravado" na parede.

DA PLAYBOY AMERICANA

Esta é a miss do mês de abril, da Playboy americana.
A última das playmates que passou por aqui também era linda e tinha só 19 anos, mas veio [pelo túnel do tempo] lá de janeiro de 1961.
Desta vez é sem pegadinha. O ano é 2011, e a eleita é Jaclyn Swedberg (Chino Hills/ California/ USA, 14/08/1990) que é modelo exclusiva da Playboy.

quarta-feira, 13 de abril de 2011

A CORRIDA ESPACIAL III

"As séries Vostok e Mercury garantiram a soviéticos e americanos que o espaço não era um meio hostil à ambição e curiosidade do homem" (Almanaque Abril), mas enquanto a nave Mercury tinha um espaço interno muito reduzido (algo em torno de 1,7 metros cúbicos), a Vostok se "destacava" por ser rústica em detalhes e instrumentos. Os cientistas de ambos os lados se deram conta que para evoluírem no processo de conquista do espaço, com menores riscos para as tripulações, precisavam de veículos mais sofisticados. Assim, passaram a desenvolver projetos que deram origem às naves Soyuz (URSS), com 23 toneladas e 22 metros cúbicos de espaço interno, e às cápsulas Apollo (EUA), com 30 toneladas e 8 metros cúbicos de espaço interno.

Exageraram, porém, no peso. Os foguetes da época não tinham força para colocar no espaço naves tão pesadas. O plano de emergência foi apelar para um estágio intermediário da evolução dos projetos. Os americanos lançaram, nesse meio tempo, o projeto Gemini, cujas naves pesavam 3,8 toneladas, com 2,5 metros cúbicos úteis, e os soviéticos apresentaram o projeto Voskhod, com veículos que pesavam 6,5 toneladas e tinham 8 metros cúbicos internamente, cujo objetivo era executar vôos orbitais com mais de um astronauta, inclusive com uma caminhada espacial extra-veicular.

Os americanos esperavam alcançar com as naves Gemini [projetada para levar dois astronautas] os seguintes objetivos: transportar equipamentos de suporte para vôos de até 14 dias; efetuar acoplamentos com outros veículos espaciais, manobrando os veículos acoplados a partir dos motores do veículo-alvo; aperfeiçoar métodos de reentrada e pouso em locais previamente estabelecidos; adquirir mais informações a respeito dos efeitos da falta de gravidade nos seres humanos e analisar as reações fisiológicas em vôos de longa duração. (História da Conquista Espacial, Karl H. Benz).

Mas o objetivo principal - todos sabiam - era chegar à Lua, pois um mês depois da epopéia de Gagarin, "os Estados Unidos anunciaram que até o fim da década enviariam um homem à Lua com segurança e o trariam de volta". (Uma Breve História do Século XX - Geoffrey Blainey).

Entre as metas do projeto Voskhod, soviético, destacavam-se: a execução dos vôos orbitais com três cosmonautas; e as caminhadas espaciais extra-veiculares para avaliar a capacidade humana em realizar tarefas fora das naves.
A grande diferença das Voskhod em relação às naves Vostok era a existência de um conjunto de retrofoguetes no nariz da nave, que era utilizado para uma descida suave. "O dispositivo permitia que a nave pousasse com seus astronautas a bordo, sem exigir que os mesmos utilizassem assentos ejetores nem pulassem de pára-quedas, como acontecia com a Vostok." (Karl Benz - História da Conquista Espacial).

O programa Voskhod teve apenas duas missões tripuladas, as outras duas previstas foram canceladas. A Voskhod I, lançada em 12 de outubro de 1964, foi a primeira nave a transportar mais de uma pessoa. Na verdade foram três cosmonautas: Vladimir Komarov (Moscou/URSS, 16/03/1927 — Orenburgskaya Oblast/Rússia, 24/04/1967), o piloto; Boris Yegorov (Moscou/URSS, 26/11/1937 - Moscou/Rússia, 12/09/1994), médico; e Konstantin Feoktistov (Voronezh/Rússia, 07/02/1926 – Moscou/Rússia, 21/11/2009), projetista de naves. Komarov foi o primeiro cosmonauta a morrer em uma missão espacial - a bordo da nave Soyuz I.

Em 18 de março de 1965 foi lançada a cápsula Voskhod 2, com dois cosmonautas: Pavel Belyayev (Chelizshevo/URSS, 10/06/1925 — Moscou/Rússia, 10/01/1970); e Alexey Leonov (Listvyanka/Kemerovo Oblast/URSS, 30/05/1934). Durante este vôo, Leonov realizou o primeiro passeio espacial, em mais um vôo de 1 dia. Mas ...
Alexey Leonov no primeiro passeio extra-veicular do Homem no espaço
Divulgação Телеграфное агенство Советского Союза при кабинете министров СССР, ТАСС

... " um problema de despressurização ocorreu na Voskhod 2. Na primeira tentativa de reentrada, na décima sétima órbita, os retrofoguetes primários falharam, o que obrigou ao uso manual dos retrofoguetes de pouso, uma órbita depois. O módulo de serviço não se separou completamente, tal como acontecia com as naves Vostok, colocando a nave e a tripulação em risco, ao girar violentamente e sem controle.

O pouso ocorreu nos Montes Urais, longe do ponto previsto. Após o pouso, a tripulação passou a noite na floresta, ameaçada por lobos e nevascas, até ser localizada e resgatada no dia seguinte.

A respeito da sua experiência solitária durante o primeiro passeio espacial, Alexey Leonov escreveu em seu diário: 'Diante de mim, a Voskhod flutuava no espaço, com suas antenas que mais pareciam os bigodes de um monstro que apalpasse o vazio do cosmo. As vigias eram como enormes olhos que acompanhavam todos os meus movimentos, assim como as câmaras de televisão que me observavam. Tudo era negro. No céu negro, as estrelas não cintilavam. O Sol parecia um enorme disco incandescente, incrustado no veludo negro do céu cósmico, num aspecto totalmente oposto ao que havíamos nos habituado na Terra. Olhando para baixo de mim, contemplei o nosso planeta, com a cor azul do céu. Observei o Mar Cáspio, a bacia azul da baía de Novorossiski e as montanhas do Cáucaso.'" (Karl Benz - História da Conquista Espacial).

EUA, FRANÇA E SUÉCIA FAZEM DA GUERRA NA LÍBIA FONTE DE LUCROS FINANCEIROS

Por ANTONIO CARLOS LACERDA



A criação de uma zona de exclusão aérea na Líbia - onde rebeldes tentam derrubar o governo do coronel Muammar Kadafi - criou um "cenário" em que os três modelos de aeronaves de combate que disputam a venda para Força Aérea Brasileira (FAB) podem exibir suas capacidades de combate aéreo-militar.

França, Estados Unidos e Suécia, respectivamente fabricantes do Rafale, F18 e Gripen, lançam esses caças em missões de guerra sob o céu do deserto africano, tendo como alvo a Líbia, na expectativa de uma performance capaz de seduzir o governo brasileiro, disposto a renovar o arsenal da FAB.

Durante o governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o Brasil decidiu pela compra de 36 caças Rafale, no custo total de R$ 10 Bilhões. Com a posse de Dilma Rousseff na Presidência, o Francês Rafale foi descartado e os Estados Unidos tenta acertar a venda do F-18.

A Suécia, com o seu Gripen, continua na disputa, mesmo porque, a própria FAB, em um certo momento, defendeu a compra desse caça. Entretanto, nos bastidores militares, há quem diga que o caça ideal para a FAB seria o russo Sukhoi. Entretanto, a Rússia não está na disputada com Estados Unidos, França e Suécia pela venda ao Brasil de caças de guerra.

Por conta de tudo isso, a presidente Dilma Rousseff jogou água fria na disputa e anunciou que somente em 2012 irá decidir qual caça vai comprar para a FAB, o que chegou, até antes do conflito interno na Líbia, a desacelerar a disputa entre Estados.

Mas, com o conflito interno na Líbia, Estados Unidos, França e Suécia aproveitaram o cenário de guerra local para exibirem o potencial de combate e destruição de seus caças.

Resta, então, a triste conclusão de que na guerra da Líbia, onde milhares de vidas humanas e toda a infraestrutura daquele País são diariamente destruídas, Estados Unidos, França e Suécia, insensivelmente, fazem desse conflito um meio para obterem lucros financeiros.

ANTONIO CARLOS LACERDA é Correspondente Internacional do PRAVDA.RU.

terça-feira, 12 de abril de 2011

DESPACITO


2011, 06 de março, 19: 18 h. Despacito, cavalgando na direção do sol poente, o cavaleiro aproveita a última hora de claridade da rua deserta que desemboca na RS-734 (Cassino/Rio Grande). A aparente calma do lugar não demonstra que daqui a pouco centenas de automóveis, quiçá milhares, vão se deslocar em intervalos de poucos segundos pela rodovia. Será noite de carnaval no Cassino e o movimento não vai parar.

segunda-feira, 11 de abril de 2011

EARTH SONG - MICHAEL JACKSON

Ouvi dizer que este clip foi censurado nos EUA. É possível. Eles fizeram [e ainda fazem] história como os maiores poluidores do planeta.
E é, sim, culpa do Homem a ocorrência da maioria dos desajustes da natureza que prejudicam a vida humana na Terra.
Há quinze anos, Michael Jackson, em "Earth Song", clamava por um mundo sem poluição, sem desmatamento e sem caça e pesca predatória. As pessoas - em grande maioria - só lembram de "Billie Jean", "Beat It" e "Thriller", grandes vídeo-hits do astro do pop-rock, mas este aqui também vale [re]ver, e serve como reflexão.

Colaboração
Lu Costa
video
Esta é a postagem nº 800 deste blog, que está no ar desde 05 de junho de 2008, e começou com "UMA VIAGEM NO TEMPO", onde a música "Aonde Quer Que Eu Vá", dos Paralamas do Sucesso, desempenha o papel de uma máquina do tempo capaz de me enviar a um passado distante [ou nem tanto], tal como outras músicas que eu continuo a postar por aqui.

Imagino que algumas pessoas, assim como eu, têm o hábito de associar períodos e situações da sua vida a uma determinada música ou trilha sonora. ¿Você também é assim?

A CORRIDA ESPACIAL II

Apesar do primeiro [e de um segundo] fracasso, a série "Vanguard" não foi abandonada, e em 17/03/1958, finalmente o Vanguard I, com um peso de pouco mais de 1 Kg, subiu e ... [dizem que] ... até hoje está em órbita. Depois vieram: o Vanguard II, com quatro fracassos até ser lançado com sucesso em 17/02/1959; e o Vanguard III, que só alcançou êxito na terceira tentativa, em 18/09/1959.

Um mês após o bem sucedido lançamento do Explorer I, foi a vez do Explorer II, também equipado com um contador Geiger, o qual tinha o propósito de detectar raios cósmicos na magnetosfera. O foguete [chamado Júpiter C], lançado do Cabo Canaveral, na Flórida, em 05/03/1958, teve uma falha no seu quarto estágio e a missão não obteve êxito.
E a série "Explorer" continuou até, pelo menos, dez anos depois do final da Guerra Fria que era o motivo principal para a existência da corrida espacial entre soviéticos e americanos.
Em resumo: em 1957 subiram 2 satélites; em 1958, 5; em 1959, 13; e em 1960, 24. A partir daí multiplicaram-se os lançamentos de satélites para observações meteorológicas, orientação da navegação aérea e marítima e de telecomunicações.

Os primeiros cosmonautas (URSS) e astronautas (EUA)

1961, 12 de abril. Com o lançamento da Vostok I, com Yuri Gagarin (Klushino/Rússia, 09/03/1934 — Kirjatch/Rússia, 27/03/1968) a bordo, os soviéticos surpreenderam novamente o mundo. O satélite permaneceu 108 minutos em órbita, a 315 Km de altitude, e regressou à Terra sem apresentar nenhum problema. Gagarin, ao olhar pela janela da nave constatou, e exclamou: "A Terra é Azul!"
Yuri Gagarin - www.pravda.ru

Cerca de 4 meses depois, em 06 de agosto, foi a vez de Gherman Stepanovich Titov (Verkhneye Zhilino/Rússia, 11/09/1935 - Moscou/Rússia, 20/09/2000). Ele subiu com a Vostok II, e permanenceu no espaço durante 25 horas e 18 minutos.
Finalmente, em 20 de fevereiro de 1962, os EUA conseguiram mandar ao espaço seu primeiro astronauta. A bordo da cápsula espacial Mercury MA6 (Friendship 7), John Glenn (Cambridge/EUA, 18/07/1921) realizou três órbitas em 4 horas e 56 minutos.
Enquanto isto a União Soviética preparava as suas Vostok III e IV, que subiriam em 11 e 12 de agosto de 1962, com os cosmonautas Adrian Nikolayev (Chuvashsk, 1929 - Cheboksary/Chuvashsk, 03/07/2004) e Pavel Popovich (Uzin/Ucrânia, 05/10/1930), respectivamente.
As Vostok V e VI foram lançadas, respectivamente, em 14 de junho e 16 de junho de 1963. Como nas versões anteriores (III e IV), as naves estiveram bem próximas (a cerca de 5 Km de distância uma da outra), permitindo a comunicação de rádio entre os dois cosmonautas, Valery Bykovsky (Pavlovsky Posad/Rússia, 02/08/1934) e Valentina Tereshkova (Maslennikovo/Rússia, 06/03/1937), a primeira mulher no espaço, que permaneceu mais de 70 horas no espaço, realizando 48 revoluções em torno da Terra.
Para os soviéticos o projeto Vostok tinha alcançado seus objetivos que eram: colocar em órbita a primeira nave espacial tripulada, resgatando, com segurança, o astronauta e o veículo espacial; estudar a adaptação do homem no espaço.

O projeto Mercury, dos americanos, que iniciou em 1959 [com missões não tripuladas], e foi até 1963, tinha, a princípio, o objetivo [não tão nobre] de "estabelecer a superioridade dos EUA no espaço, e suplantar as conquistas espaciais soviéticas" (Wikipédia).
Depois de John Glenn, foi a vez do astronauta Scott Carpenter(Boulder/Colorado/EUA, 01/05/1925), em 24 de maio de 1962, na cápsula Aurora 7, impulsionada por um foguete Atlas. O tempo da missão foi de, aproximadamente, 5 horas, e a cápsula efetuou 3 órbitas [a 30 mil Km/h] em torno da Terra, e a uma altura média de 260 km. Carpenter foi o primeiro astronauta a se alimentar de comida sólida no espaço e na microgravidade.
Em 03 de outubro de 1962 o astronauta Walter Schirra (New Jersey/NJ/EUA, 12/03/1923 — La Jolla/Califórnia/EUA, 03/05/2007) era o tripulante da nave Mercury chamada Sigma 7. A missão de seis órbitas em volta de Terra, foi de 9 horas e 13 minutos. no ano seguinte, em 15 de maio, Gordon Cooper (Shawnee/Oklahoma/EUA, 06/03/1927 — Ventura/Califórnia/EUA, 04/10/2004) subiu com a nave Faith 7, no último vôo do Projeto Mercury, quebrando todos os recordes de permanência no espaço. Foram 22 órbitas em 34 horas, 19 minutos e 49 segundos. Ele foi o primeiro astronauta a dormir no espaço.

domingo, 10 de abril de 2011

PASSAGEIROS ESPERANDO O TREM


Origem da foto Carlos Latuff (Estações Ferroviárias do Brasil)

O registro fotográfico vem lá do século XX. O local é a Estação Ferroviária de Rio Pardo, RS, mas não foi possível precisar a data. As evidências - obtidas em função das "indumentárias" e do fato que os trens de passageiros foram desativados a partir de 1992 - indicam a possibilidade de que essa viagem pelo túnel do tempo tenha chegado, mais ou menos, à metade da década de 1980. E se o relógio não estava parado [e estivesse certo], eram 17 horas e 22 minutos de uma tarde de primavera ou verão.

THE SEVENTH STRANGER - DURAN DURAN

O Duran Duran surgiu em 1978, em Birmingham, um dos principais pólos industriais da Inglaterra. Em 1984, quando era formado por Nick Rhodes, John Taylor, Roger Taylor, Andy Taylor e Simon Le Bon, o grupo foi o primeiro a trazer a tecnologia de vídeo em seus shows de estádio, o que pode ser observado na performance a seguir.
"The Seventh Stranger" [que não chegou a figurar entre os maiores sucessos da banda] é a última música do lado B do LP Seven and the Ragged Tiger, lançado em 1983.
YouTube/DuranFan68


Those words are all remainders
Echos growing in the heart of twilight
They lay back laughing at naivety's star.
Awaken all those whispers,
The dusty shadow of a passing favour
I wouldn't say that you were ruthless or right
I couldn't see from so far.
Was I chasing after rainbows?
One thing for sure - you never answered when I called.
And I wiped away the water from my face
To look through the eyes of a stranger...

For rumours in the wake of such a lonely crowd
Trading in my shelter for danger
I'm changing my name just as the sun goes down -
In the eyes of the stranger!

Can't tell the real from reflections
When all these faces look the same to me
In every city such a desolate dream.
Some days are strange to number
Some say the seventh sounds a little bit stranger
A year of Sundays seems to have drifted right by -
I could have sworn in one evening.
And I'm not seized in desperation,
No steel reproaches on the table from before.
But I still can feel those splinters of ice
I look through the eyes of a stranger...

(chorus)

I must be chasing after rainbows
One thing for sure you never answer when I call.
And I wipe away the water from my face
To look through the eyes of a stranger...

For rumours in the wake of such a lonely crowd
Trading in my shelter for danger
I'm changing my name just as the sun goes down
Walking away like a stranger

(chorus)

In the eyes of the stranger...
In the eyes of the stranger...
In the eyes of the stranger...


The Seventh Stranger

sexta-feira, 8 de abril de 2011

quinta-feira, 7 de abril de 2011

A CORRIDA ESPACIAL I

1942, 03 de outubro. Esse foi um dia vitorioso para a Alemanha, pois um de seus foguetes alcançou a altura máxima de 96 Km. Após o lançamento o Major-General Walter Dornberger (06/09/1895 - 27/06/1980), comandante do programa de foguetes V-2, em Peenemünde, anunciou que algum dia o Homem haveria de viajar pelo espaço.

Werner Von Braun e a V-2

1947, 30 de outubro. Helmut Grottrup (12/02/1916 – 05/07/1981) dirige o primeiro disparo de uma bomba V-2 em solo soviético. Grottrup era um engenheiro alemão, líder de quase uma centena de técnicos ligados à produção da V-2 e, tal como eles, foi capturado pelas forças da URSS no final da II Guerra Mundial.
Um pouco mais de dois anos antes o III Exército Blindado norte-americano, ao entrar em Bonn/Alemanha, apoderou-se de vários documentos, dentre os quais, uma relação dos cientistas que trabalhavam na base de Peenemünde, na ilha de Usedom, de onde foi lançada a primeira V-2.
Assim descobriram Werner Von Braun (Wirsitz, 23/03/1912 — Alexandria, 16/06/1977), que desde 1937 trabalhava nos projetos alemães de foguetes. Com a derrota alemã na II Guerra, vendo que os russos estavam levando para seu território as instalações remanescentes de Peenemünde e a maior parte dos técnicos alemães, Von Braun decidiu entregar-se voluntáriamente, com seus principais auxiliares (116 ao todo), aos americanos. Esse ato, aliado às revelações que fez, pouparam muitos anos de pesquisa e centenas de milhões de dólares aos Estados Unidos, que em 1957 já estavam em condições de construir o primeiro artefato capaz de entrar em órbita terrestre.

Lançamento do Sputnik I

Todavia foram os soviéticos os primeiros a colocar um satélite no espaço, o Sputnik (satélite) I, lançado em 04/10/1957, da base de Baikonur, no Cazaquistão.

Sputnik I

O satélite era uma esfera de alumínio de 58 cm de diâmetro, pesando 83 Kg, e tinha dois pares de antenas de 2,4 e 2,9 metros. E antes que os americanos tivessem tempo de assimilar o impacto causado pelo feito, em 03 /11/1957 os soviéticos mandaram ao espaço o Sputnik II, que pesava 543,5 Kg, através de um foguete com 600 toneladas de empuxo. A novidade, dessa vez, foi que o satélite transportava em seu bojo um cão, na verdade uma cadela da raça Laika, chamada Kudriavka (Crespinha), que ficou conhecida como o primeiro ser vivo a viajar no espaço. Infelizmente, Kudriavka não sobreviveu à viagem.

Enquanto os jornais do mundo todo noticiavam as conquistas soviéticas, os americanos viam-se forçados [pelo ego] a acelerar seu programa espacial. E em 06/12/1957, a Marinha, responsável pelos projetos, anunciou o lançamento do foguete Vanguard.

Foguete Vanguard I

Este, subiu a um metro do solo e despencou. "... parecia que todas as portas do inferno se tinham escancarado. Brilhantes línguas de fogo arremetiam-se da parte lateral do foguete próxima ao motor. O veículo, por um momento, hesitou agonizantemente, estremeceu novamente e, ante nossos olhos incrédulos e paralisados, começou a tombar. Ao mesmo tempo, começou também a afundar, qual grande espada flamejante em sua bainha, no tubo de exaustão. Tombou lentamente, desmanchando-se em pedaços, atingindo parte do cavalete de provas e o solo com um rugido tremendo que pode ser sentido e ouvido mesmo por detrás das paredes de concreto da casamata, de 66 cm de espessura", afirmou Kurt Stehling (1919 - 1997), um Engenheiro de Propulsão envolvido no projeto.
Em Washington, o Secretário de Defesa Neil McElroy (30/10/1904 - 30/11/1972), trocou os cientistas da Marinha pela equipe de Werner Von Braun, que em menos de três meses concluiu o Explorer I, que media 2 metros, pesava 13 Kg e era aparelhado com um contador Geiger e um transmissor de rádio. O Explorer I foi lançado em 1º de fevereiro de 1958, e com o equipamento que dispunha, permitiu a descoberta dos cinturões de radioatividade de Van Allen.

domingo, 3 de abril de 2011

TIJOLO QUENTE

Esquadrão de Morteiros de um exército da América Latina, em treinamento:
A granada era real e o morteiro de 60 mm não passou no teste.
video
Colaboração Werner Beck

DIARIO INTIMO DE MI PRIMO EM TORONTO - versão texto

"Olha o texto daquele argentino que foi para a gelada Toronto.
Abraço."
Bruno Fontana Bechuetti

DIARIO INTIMO DE MI PRIMO EM TORONTO

  • 12 de Agosto

Hoy me mude por fin a mi nueva casa en Toronto. Que paz que hay aquí, que bella campiña y que ciudad tan linda. Casi no puedo esperar a ver las colinas cubiertas de nieve, de verdad que esto es muy hermoso. Que bueno haber dejado atrás el calor, el ruido de Rosario, ya no soportaba mas la humedad y los mosquitos, esto si que es precioso.

  • 14 de Octubre

Esto es lo mas lindo que he visto en mi vida. Los colores de las hojas, pasear por los bosques y poder disfrutar de las cuatro estaciones del año. Esta mañana vi un ciervo, que animal tan lindo, luce sus cuernos como una corona, siempre con la cabeza erguida, es sin duda el rey del bosque. Canadá es como estar en el paraíso. Esto si que es vida, y pensar que estuve tantos años en el infierno de Rosario.

  • 11 de Noviembre

Cada día me gusta mas Toronto. Muy pronto comenzara la caza del ciervo. No puedo imaginarme que alguien tenga intención de matar a esos animalitos tan hermosos e inofensivos. Ya llega el invierno y pronto comenzara a nevar. Esto si que es vida.

  • 2 de Diciembre

Anoche nevó, que alegría. Me desperté y todo estaba cubierto de nieve, parecía una tarjeta postal. Salí a apalear la nieve y de la alegría me tire y me revolqué en ella. Después hice bolas y se las tiré a los pibes del vecino y terminamos en una guerra de bolas de nieve. Que lindo es vivir aquí. La moto niveladora pasó limpiando la calle y tuve que apalear otra vez la nieve que me tiro en el frente de casa. Que feliz soy.

  • 19 de Diciembre

Anoche volvió a nevar, la moto niveladora volvió a pasar y tuve que limpiar la entrada al garaje dos veces.

  • 22 de Diciembre

Volvió a nevar anoche. Cuando termine de apalear la nieve, paso la moto niveladora y lleno otra vez de nieve sucia todo el frente de casa. Hoy no pude ir a trabajar por culpa de la nieve. Estoy un poco cansado de tanto apalear nieve. Hoy llame a mi primo en Rosario y mi tía me dijo que se había ido con la familia a la Playa.

  • 25 de Diciembre.

FELICES NAVIDADES BLANCAS. Aquí no para de caer esa mierda blanca, ya tengo las manos llenas de callos por culpa de la pala. Creo que el cornudo del chofer de la moto niveladora me debe estar vigilando desde la esquina, porque ni bien terminó de limpiar, el guacho pasa y me llena la vereda de nieve sucia.

  • 27 de Diciembre

Anoche cayo mas nieve. Ya hace tres días que estoy encerrado en la casa, solo salgo para apalear nieve y el maricón de mi primo en la playa. Me paso horas en la ventana vigilando al de la moto niveladora, si lo agarro le corto las bolas. Por que no usan mas sal para derretir el hielo y la mierda blanca, ya no aguanto las manos de apalear y apalear.

  • 28 de Diciembre

Hoy cayeron 60 cm de nieve. Me cago en Toronto. Hoy resulta que se rompió la niveladora y el muy caradura del chofer vino a pedirme la pala prestada, le dije que ya rompí tres palas por culpa de la nieve sucia que me tira en la vereda. Mi pobre auto esta sepultado en la mierda blanca. Termine por romperle la cuarta pala en la cabeza.

  • 31 de Diciembre

El pelotudo del noticiero se volvió a equivocar, no cayeron los 30 cm pronosticados, cayeron 60 cm, me cago en su madre. Aquí no hay nada que hacer esta noche para celebrar el año nuevo, nadie puede salir por culpa de esa puta nieve, no se escucha nada en español en la radio, ni siquiera un tanguito para alegrar el espíritu. Estoy cansado y me siento muy solo. Volví a llamar a mi primo, pero estaba en la piscina y no quiso venir al teléfono, el hijo de puta. El muy maricón va a asar un lechón en el patio y yo aquí sin poder asomar la nariz afuera.

  • 5 de Enero

Hoy por fin pude salir de la casa y buscar algo para comer. Estuve cuatro horas paleando para sacar el auto de la montaña de mierda blanca donde estuvo sepultado por mas de una semana. Por fin después de dos horas y tres cargas de baterías, arrancó. Me cago en el auto, en la nieve y en Toronto.

  • 15 de Febrero

Anoche soñé que estaba en Argentina, que tenia una casita de fin de semana y el sol me quemaba la cara. Hoy me pagaron sesenta y tres dólares roñosos por tres días de trabajo, casi toda la quincena estuve encerrado en casa por la nieve de mierda. Mi primo me mando un cassette de un cuarteto y hace cuatro horas que lo estoy escuchando. Quien pudiera estar en Argentina en este momento.

  • 20 de Febrero

Hoy pude salir para ir al supermercado. Por el camino se me cruzó un ciervo pajero y tratando de esquivarlo me hice pelota contra un árbol. Me cago en todos esos animales que no sirven para un carajo. El arreglo del auto me va a salir 3000 dólares, estoy convencido que Dios creo los ciervos para cagarlo a uno. Los cazadores deberían haber acabado con esos putos ciervos.

  • 2 de Marzo

Ayer me resbalé en el hielo y me quebré una gamba, después el hijo de puta de la moto niveladora paso y tengo todo el frente de la casa cubierto de nieve y de barro. Quiero vender la casa e irme a la mierda de aquí, quiero comer comida criolla.

  • 23 de Abril

Ya me quitaron el yeso. Llamo el mecánico diciéndome que al reparar el auto descubrieron que esta todo podrido por abajo debido a la sal de mierda que usan para derretir la nieve. Yo no se a quien se le ocurre tirar sal para derretir nieve? Me cago en el auto, en la nieve y en el Estado de Canadá.

  • 15 de Mayo

Hoy por fin le vendí la casa a un Canadiense cornudo. A quien se le ocurre venir a vivir aquí, hay que estar loco o ser boludo. Para vivir en esta mierda fría y solitaria, es mejor la muerte. Hoy me voy para Argentina, no veo la hora de llegar, viva el calor, la humedad y los mosquitos. Mañana me voy a comer una parrillada a la costanera y después a la playa con mi primo.

Esto si que es vida.