quarta-feira, 25 de maio de 2011

REPÚBLICA INDEPENDENTE DA PADÂNIA

¿Quem de vocês já ouviu falar num lugar chamado Padânia?
Pois aos moldes da República do Pampa, oriunda de um movimento separatista propagado no Rio Grande do Sul por um tal de Irton Marx, no início dos anos 90, a Padânia também é uma tentativa de emancipação, só que lá para as bandas da Itália.

1996, 12 de maio. Os deputados da Liga Norte anunciaram a formação de um governo provisório da "República Independente da Padânia", formada pelas regiões da Lombardia, Piemonte, Vêneto, Emília Romagna, Ligúria e Vale D'Aosta. Em 02 de junho do mesmo ano, bem no dia do quinquagésimo aniversário da República Italiana, os separatistas proclamaram a "independência" da Padânia. Logo em seguida, nas eleições municipais, a Liga Norte recebeu votação menor do que nas eleições gerais de abril, em função de uma provável identificação de Umberto Bossi, líder da Liga Norte, com o nazismo. No dia 15 de setembro Umberto Bossi reafirmou a independência da Padânia, em manifestação reunindo cerca de 10 mil pessoas em Veneza. Em contrapartida, na cidade de Milano, 100 mil pessoas participaram de um ato contra o movimento separatista.
Era o recado que faltava para o mundo inteiro concluir que a República Independente da Padânia não passa de uma forma simbólica de protesto contra os maus modos do governo italiano.
¿Mas será que é só isto?
Protesto no muro do aeroporto Malpensa, em Milano, Itália.
Foto Gin Angri

Nenhum comentário: