sexta-feira, 27 de julho de 2012

OLIMPÍADAS HÁ 100 ANOS

1909, 18 de maio. Um congresso realizado pelo Comitê Olímpico Internacional, em Berlim, homologou a cidade de Estocolmo como sede dos Jogos Olímpicos de 1912. E nem poderia ser de outra forma naquela ocasião porque não havia outras candidaturas.
Estocolmo não decepcionou e apresentou ao mundo um modelo de eficiência e organização e o estádio de Djurgarden, projetado pelo arquiteto Torben Grut, com capacidade para 32 mil espectadores, o primeiro construído exclusivamente para uma Olimpíada.

Pela primeira vez:
  • os jogos foram disputados em um período pré-determinado (de 05 a 27 de julho);
  • as bandeiras dos países dos ganhadores dos três primeiros lugares, em cada prova, eram hasteadas ao mesmo tempo em que os atletas subiam ao podium para receber suas medalhas;
  • rigorosas regras e códigos para classificação e julgamento dos atletas foram previamente registrados, por escrito, e para não haver brechas que conduzissem a dúvidas referentes a resultados de corridas, por exemplo, foi introduzido o foto-finish;
  • perfeita organização permitiu que o evento alcançasse, através da venda de selos e medalhas comemorativas, um balanço econômico positivo;
  • uma olimpíada contou com a participação de países dos cinco continentes;
  • foi utilizada a cronometragem eletrônica;
  • um sistema de som instalado no estádio, nas pistas, nos ginásios e [até] nas ruas, foi utilizado para anunciar as provas, os atletas e os resultados;
  • a natação feminina fez parte de uma olimpíada;
  • o pentatlo moderno (tiro, natação, esgrima, hipismo e corrida de 4.000 metros) foi introduzido como modalidade olímpica, com o objetivo de destacar "o atleta perfeito";
  • o futebol foi alçado à condição de esporte mais popular do planeta - as medalhas de ouro, de prata e de bronze foram para a Grã-Bretanha, Dinamarca e Holanda, respectivamente.
E foi o norte-americano Jim Thorpe, de origem indígena, que ganhou todas as provas do pentatlo e bateu todos os recordes do decatlo, cujas provas, até hoje, são disputadas em dois ou três dias e nesta ordem: 100 metros; salto em distância; lançamento de peso; salto em altura; 400 metros; 110 metros barreiras; lançamento do disco; salto com vara; lançamento do dardo; 1500 metros.

Ele foi o super-atleta da Olimpíada, apesar de ter seus títulos contestados e retirados pelo COI em função de uma acusação [sensacionalista] de ser jogador profissional de beisebol. Não havia lugar para o profissionalismo em olimpíada. A punição durou até 1984, 32 anos após a sua morte, "quando seus netos receberam, de Juan Antonio Samaranch, então presidente do COI, as duas medalhas que haviam sido retiradas." (http://esportes.terra.com.br)


A nota triste da competição foi a morte do maratonista português Francisco Lazaro que havia horas antes, desfilado com o estandarte da equipe de atletismo de Portugal. Em 14 de julho, durante a Maratona, realizada com temperatura muito elevada, depois de 30 Km de prova, Lazaro caiu e desmaiou. Assistido e levado para o hospital, veio a falecer mais tarde devido a uma insolação.

Os EE.UU. figuraram em 1º lugar no quadro de medalhas [de ouro], com 25 medalhas; a [anfitriã] Suécia ficou em 2º, com 24; a Grã-Bretanha, com 10 medalhas, entrou em 3º.

No encerramento dos jogos um grande banquete de confraternização foi realizado, onde o Barão de Coubertin, presidente do COI, anunciou que gostaria que a sede da próxima olimpíada fosse em Berlim, em 1916. A Primeira Guerra Mundial se encarregou de adiar o desejo do barão.

As disputas olímpicas só voltariam ao calendário em 1920, mas ainda não em Berlim; a sede dos jogos seria a cidade de Antuérpia, na Bélgica.

Com base em

Nenhum comentário: