terça-feira, 21 de agosto de 2012

A MURALHA DE ADRIANO

Concebida pelo imperador romano Adriano, no ano 122, a muralha tinha o objetivo de separar e proteger o território romano das incursões de tribos bárbaras, e foi edificada [entre 122 e 126] por soldados romanos - cada centúria* era obrigada a levantar a sua parte da muralha - ao longo do que hoje [mais ou menos] compreende a fronteira da Inglaterra com a Escócia.

A fortificação construída com pedras e turfa, tinha 80 milhas romanas (cerca de 118 km), 4,5 metros de altura por 2,5 metros de largura. O topo era percorrido por uma estrada de 1 metro de largura que interligava as torres de vigia e os quartéis erguidos ao longo da própria muralha.

Em seguida, muitas cidades foram construídas baseadas na rota da Muralha de Adriano, acentuando a importância da mesma e intensificando o contato entre diversas comunidades romanas.

Após a morte de Adriano, em 138, o novo imperador, Antonino Pio, abandonou a muralha, deixando-a em plano secundário, somente como ponto de apoio à expansão que pretendia realizar. Uma nova muralha, mais reforçada - chamada Muralha de Antonino - foi erguida, cerca de 160 km ao norte.

Todavia, Antonino não obteve sucesso em suas tentativas de conquistar as tribos do norte. Seu sucessor Marco Aurélio abandonou a nova muralha e reocupou a Muralha de Adriano, tornando-a novamente a principal barreira defensiva romana, em 164.

A muralha permaneceu ocupada por tropas romanas até que estas se retiraram da Grã-Bretanha no final do século IV.

Apesar de grande parte da Muralha de Adriano ter desaparecido em função de sucessivas retiradas das suas pedras por parte dos habitantes das redondezas e, muito depois, no século XVIII, para a construção de estradas, a preservação de uma boa parte se deve a John Clayton, um advogado que se tornou secretário municipal de Newcastle, em 1830.

Para evitar que agricultores da região retirassem as pedras da muralha, Clayton começou a comprar algumas propriedades que continham parte das muralhas e, aos poucos, foi conseguindo restaurar essas porções.

Após a morte de Clayton, em 1890, essas terras foram perdidas por seus familiares, devido a dívidas de jogo.

Mais de um século depois, em 1987, a Muralha de Adriano foi elevada a Patrimônio Mundial pela UNESCO. O English Heritage declarou que a considera "the most important monument built by the Romans in Britain".

*Uma Centúria no exército romano correspondia a 80 soldados comandados por um centurião.

Nenhum comentário: