domingo, 28 de outubro de 2012

THE WAR IS OVER

Times Square - New York, EE.UU., 14 de agosto de 1945 - 12:00 h. O Imperador japonês Hirohito, horas antes, havia aceitado os termos de rendição da Declaração de Potsdam [publicada em 26 de julho de 1945 por Harry S. Truman, Winston Churchill e Chiang Kai-Shek]. O término oficial da II Guerra Mundial estava encaminhado.

A euforia que tomou conta da população civil e militar americana ficou muito bem explícita neste flagrante aí, que publicado na revista Life e [depois] em todos os jornais do mundo, marcou o fim da guerra e se transformou num símbolo de paz e amor.

Imagino que, em êxtase, o marinheiro da foto tenha feito uma aposta com seus colegas de farda que beijaria a primeira mulher bonita que cruzasse o seu caminho.
Assim, o fotógrafo Alfred Eisenstaedt (Dirschau/Polska, 06/12/1898 — New York/USA, 24/08/1995), atento, registrou, quiçá, sua foto mais significativa.

Copyright:Time & Life Pictures
By/Title:Alfred Eisenstaedt/Contributor
Date Created:14 Aug 1945 12:00 AM
City, State, Country:New York, NY, United States
Credit:Time & Life Pictures/Getty Images
Collection:Time & Life Pictures
Source:Time & Life Pictures
Date Submitted:12 Aug 2005 03:24 PM
File Size/Pixels/DPI:8014K/8172x6415/409
Keywords:Special Collections, Best Of Life, Kissing, Wars, WWII, Public Reaction, Vj Day, US, Special Collections, Famous Picture, Special Collections, 20th Century Select, TIMEINCOWN


Segundo a Agência Reuters "A identidade da enfermeira na foto não ficou conhecida até o final dos anos 1970, quando Shain escreveu ao fotógrafo dizendo que ela era a mulher da foto tirada no dia 14 de agosto na época em que trabalhava em um hospital da cidade de Nova York. A identidade do marinheiro continua controversa e desconhecida."

Edith Shain, a enfermeira, morreu em 20/06/2010, aos 91 anos, em sua casa - Los Angeles/California.

sábado, 27 de outubro de 2012

IT'S TOO LATE - CAROLE KING

Esta é do tempo em que eu era escoteiro.
É a terceira faixa do LP Tapestry, de 1971, álbum que figurou durante quinze semanas no topo das paradas de sucesso dos EE.UU. e rendeu à autora quatro Grammy: Álbum do Ano; Melhor Performance Vocal Pop; Gravação do Ano (It's Too Late); e Canção do Ano (You've Got a Friend).

YouTube - Enviado por LiveSessions em 11/10/2010
Singer Songwriters at the BBC


BONDINHO

Praia Vermelha, Rio de Janeiro, 1908. Durante a comemoração do centenário da abertura dos portos da cidade do Rio de Janeiro, ordenada por D. João VI, o engenheiro Augusto Ferreira Ramos (Cantagalo, 1860 — Rio de Janeiro, 28/07/1939) olhou para cima e imaginou a construção de um caminho aéreo entre os morros da Baía de Guanabara. O objetivo óbvio era promover uma vista privilegiada da cidade, o que atrairia turistas de todas os lugares. Talvez de todos os lugares do mundo.

Com o apoio do governo e um capital inicial de 360 contos de réis, ele fundou a Companhia Caminho Aéreo Pão de Açúcar e deu sequência ao projeto, cuja execução, que mobilizou centenas de operários, começou em 1910 e durou dois anos, consumindo uma verdadeira fortuna - algo em torno de 2 milhões de contos de réis.

A ligação entre a Praia Vermelha e o Morro da Urca, com 575 metros, foi inaugurada em 27 de outubro de 1912, mas ainda faltava unir o Morro da Urca ao Pão de Açúcar. Quase 3 meses depois, em 18 de janeiro de 1913, foi inaugurado o trecho final do trajeto, com extensão de 750 metros.

Como foi feito

Uma equipe de mais de 100 operários-alpinistas foi designada para levar as peças de um guincho manual e demais equipamentos que, juntos, pesavam cerca de 4 toneladas, até o alto do morro da Urca. Enquanto isto, lá embaixo, outra equipe de operários rasgava a floresta, arrastando um cabo de aço até a base do morro. O guincho montado pelos alpinistas no alto do morro serviu para puxar, com uma corda, a ponta do cabo de aço que lá foi ancorada, passando a servir, dali por diante, como um elevador de carga de todas as peças necessárias para a montagem da estação da Urca.

Da Alemanha vieram dois bondinhos construídos em madeira maciça que foram içados e acoplados às suas bases (os cabos de aço de ida e volta) por guindastes. Projetados para transportar 24 pessoas de cada vez, os bondinhos alemães permaneceram em atividade até o início da década de 1970, quando o projeto foi ampliado e novos teleféricos foram adquiridos pela Companhia. A capacidade de transporte dos bondinhos - que ao invés de dois, agora seriam quatro - subiu para 75 pessoas em cada um.

Foto acervo da Cia Caminho Aéreo Pão de Açúcar


Em 29 de outubro de 1972 os bondinhos, que ainda hoje estão em atividade, começaram a funcionar.

As normas internacionais de segurança recomendam que a cada 30 anos os cabos de transporte dos bondinhos sejam substituídos. Assim, em 31 de março de 2002, o complexo foi fechado não só para a troca dos oito cabos de sustentação do sistema, mas também para reformas gerais nos próprios bondinhos, nas lojas localizadas nos morros, na iluminação, nos complementos paisagísticos, etc.


A reinauguração do transporte teleférico Praia Vermelha/Urca/Pão de Açúcar e retorno ocorreu em 14 de junho de 2002. De lá para cá, considerando a média de 2.500 pessoas transportadas por dia, cerca de 9,5 milhões de passageiros utilizaram os serviços da Cia. Caminho Aéreo Pão de Açúcar, que deu tão certo, que está no ramo desde o começo de tudo.

Para saber mais, entre no site do bondinho.

sexta-feira, 26 de outubro de 2012

OLÍMPICO TOTAL

Entre 1977 e 1980 o Grêmio FBPA, sob a gestão do presidente Hélio Dourado, dedicou-se a completar o anel superior do seu estádio, então chamado simplesmente de Estádio Olímpico.

Denominado durante o projeto e obras de "Olímpico Total", o estádio foi reinaugurado em 21 de junho de 1980, logo após o término do campeonato brasileiro, com um amistoso* contra o CR Vasco da Gama. A partir daí passou a ser conhecido como Estádio Olímpico Monumental.

* O jogo terminou com vitória do Grêmio por um a zero - gol de Baltazar.
Foto reprodução

quinta-feira, 25 de outubro de 2012

DOLCE FAR NIENTE

2012, 14 de julho. Enquanto as feiras de artesanato e comércio da cidade do Rio Grande transcorriam normalmente no horário pós-almoço, o reservado da Rádio Nativa, àquela altura ainda não ocupado pela equipe da emissora, era o lugar mais tranquilo para quem não quisesse fazer nada.

Que o diga o cachorrinho. Alheio ao barulho e ao movimento, pegou no sono tão logo se empoleirou na poltrona que estava ali convidando pessoas, animais ou coisas a se instalarem sobre ela.

quarta-feira, 24 de outubro de 2012

LINHA DE MONTAGEM

Não imaginavam, William e Mary - ele irlandês, nascido no condado de County Cork, em 1826, e ela, filha de imigrantes belgas, nascida em Detroit, Michigan, e 13 anos mais jovem do que o marido - que seu primogênito Henry estava destinado a perpetuar o nome da família, que viria a se transformar em uma das mais famosas marcas de automóveis de todos os tempos.

Henry Ford (Detroit/Michigan/USA, 30/06/1863 - Dearborn/Michigan/USA, 07/04/1947) foi o primeiro empresário a aplicar o método da montagem em série que resultou na produção de vários automóveis em menor tempo e com menor custo.

Na foto acima, publicada na revista americana The Literary Digest, em 07 de janeiro de 1928, os operários da Ford Motor Company trabalham na linha de montagem. O automóvel da frente parece ser um Modelo A/Tudor Sedan.

sábado, 20 de outubro de 2012

AQUECIMENTO GLOBAL E COMENTÁRIOS RELEVANTES


O mar congelado na Antártica bate recorde. Cadê o aquecimento global?


O Ártico no Polo Norte bateu o recorde de derretimento no verão. Este ano caminha para fechar como o mais quente da história. Foi o verão mais escaldante no Hemisfério Norte. Por outro lado, do lado de cá do mundo, surgem outras notícias. Os pinguins da Antártica não devem estar tão preocupados agora. O mar congelado que cerca a Antártica, no Polo Sul, bateu o recorde de extensão no inverno. A camada de gelo flutuante (que aparece em branco na imagem acima) chegou a 19,44 milhões de quilômetros quadrados em 2012, segundo o Centro Nacional de Neve e Gelo (NSIDC), dos Estados Unidos. O recorde anterior, de 2006, era de 19,39 milhões de quilômetros quadrados.
O mapa acima mostra a maior extensão já registrada. Foi feito a partir de imagens de satélite. A área em cinza escuro é de terra firme. O cinza claro são as geleiras que saem da terra firme, mas estão flutuando.
O que houve com o aquecimento global? O recorde na Antártica indica que a Terra não está esquentando? Não é bem assim. Primeiro, embora seja um recorde, a extensão de gelo atual não está tão distante da média. A linha amarela mostra a média da extensão de gelo nos meses de setembro entre 1979 e 2000. Em alguns lugares, especialmente no Mar de Bellingshausen, o gelo este ano está menor do que a média histórica.
O gráfico abaixo mostra a oscilação da extensão de gelo flutuante na Antártica. Aparentemente, há um aumento ligeiro nas últimas décadas.










Em comparação, o histórico do Ártico é bem claro. A calota polar está desaparecendo década após década no verão. Este ano o Polo Norte bateu mais um recorde histórico de pouco gelo no verão. O gráfico abaixo mostra a retração no gelo ártico desde 1979. A linha preta é a variação na extensão do gelo, ano a ano. A linha azul mostra a tendência.























Segundo os cientistas, o inverno com muito gelo na Antártica e o verão com pouco no Ártico são fenômenos distintos. Para os pesquisadores Claire Parkinson e Donald Cavalieri, da Nasa, agência espacial americana, os hemisférios da Terra têm uma grande variabilidade de um ano para o outro. Pode haver mais gelo num e menos no outro. Ou mais gelo em ambos. E menos gelo em ambos”, afirmam. “Apesar disso, as tendências de longo prazo são claras: a magnitude da perda de gelo no Ártico excede consideravelmente os ganhos na Antártica.”
Para os pesquisadores da Universidade do Colorado, que fazem parte da equipe do NSIDC, comparar as tendências de gelo do verão e do inverno em dois polos é problemático porque são dois processos diferentes. “Durante o verão, o gelo flutuante derrete e a superfície escura do mar aumenta o aquecimento. No inverno, há outros fatores, como nevascas no gelo e o vento. Pequenas alterações na extensão do gelo no inverno são um sinal mais ambíguo do que a perda de gelo no verão. A expansão do gelo no inverno da Antártica pode ser efeito de variações nos padrões de vento e queda de neve. Já o declínio do gelo no Ártico é mais ligado ao aquecimento global”, escrevem os pesquisadores no blog do NSIDC.

(Alexandre Mansur)

Comentários para “O mar congelado na Antártica bate recorde. Cadê o aquecimento global?”

  1. Douglas B.:
    Será que isso tem alguma relação com as massas de ar frio que não param de chegar no Brasil, mesmo o inverno tendo acabado e estando no meio de outubro?
  2. Juca Pato:
    ccccc…. Curioso como a mídia (e a ciência mainstream) se comporta sempre na defensiva. Qualquer dado que suporte minha pré-disposição em acreditar no que quero, será bem-vindo e potencializado. Ó, tá vendo? Eu não disse? Agora: quando há dados que podem sugerir o contrário do quero crer, bem, aí a conversa é diferente. “Não, veja bem, há diversos outros fatores que podem influenciar esse fato”. Qualquer verãozinho: óóó, é o aquecimento global, o AGA, tá vendo? Mais gelo no HS, no entanto, deve ser, bem, naturalmente por outros motivos. Nada a ver com a temperatura da terra né, claro. Aconteça o que acontecer, surjam os dados que surgirem, a teoria do aquecimento global nunca terá um arranhão sequer. Afinal, já tá mais pra religião do que pra ciência né? A proposito, recomendo dar uma olhadinha nos estudos da Geophysical Review Letters. Essas estatísticas e estimativas que temos sáo por amostragens paupérrimas. Esudos de sensoriamento remoto com estatística mais refinada e mais prudente sugerem um cenário bem diferente. Sem entrar no mérito das respostas eletromagnéticas da ionosfera diante de aquecimento ou resfriamento. Blablabla. Mas continuemos pregando a crença conveniente..
  3. Nilson de Simas:
    Existe um profissional brasileiro especialista nesta área, ele já deu diversas entrevistas televisivas, não lembro o seu nome, ele afirma e ostenta argumentos consistentes, dizendo que a Terra está passando por ciclos naturais e que a intervenção do Homem é pífia e insignificante em suas alterações. Logo, de pronto percebe-se que há interesses outros por trás desta falácia de aquecimento.
  4. José:
    O nome do especialista brasileiro é Luis Carlos Molion.
  5. ka:
    Essa aparente contradição entre o que acontece nos os dois polos, é muito polêmica, como ficou claro no artigo. Eu gostaria de sugerir mais um dado – que não está sendo levado em conta – que é a precessão do eixo terrestre. Isto causaria uma inclinação mais, ou menos, pronunciada em relação ao Sul e ao Norte.
  6. J.E.NARDINI:
    EXISTE UMA TEORIA,ACEITA POR VÁRIOS CIENTISTAS, QUE AFIRMAM E COMPROVAM QUE DEVERÁ HAVER UMA NOVA ONDA GLACIAL, AFETANDO PRINCIPALMENTE A EUROPA, QUE É REFRIGERADA PELAS ÁGUAS QUENTES DA CORRENTE DO GOLFO. COM A INTERRUPÇÃO DO FLUXO NORMAL DESTA CORRENTE, HAVERÁ O DESEQUILÍBRIO NO CLIMA DA EUROPA, TORNANDO-A MAIS GELADA, COMO O CANADÁ, QUE ESTÁ NA MESMA POSIÇÃO NO GLOBO TERRESTRE.
  7. Rafael:
    Este tipo de notícia é apenas de caráter informativo. O que é a variação do gelo de um ano para o outro em um período de 30000 anos. Não existe aquecimento solar, existem ciclos naturais de aumento e diminuição da temperatura. O homem não afeta o clima de maneira macro. Quem manda no clima do planeta é o sol, as correntes marítimas e as massas de ar, e só. Ainda nem de perto somos deuses.
  8. Roberto Theodosio Brandão:
    Existem interesses inconfessáveis em torno de meio ambiente, aquecimento global,etc. O Prof.Dr.Luiz Carlos Molion (Universidade Federal de Alagoas – UFAL está corretíssimo.
  9. Celso Moessa:
    O que manda no mundo chama-se dinheiro e poder…
    .......................................................................................................................................
    Esta postagem é cópia fiel da reportagem publicada na revista Época 

CONSEQUÊNCIAS DA CRISE NA GRÉCIA

Colaboração Lu Costa












  •  1. Zeus vende o trono para uma multinacional coreana.
  •  2. Aquiles vai tratar o calcanhar no SUS.
  •  3. Eros e Pan inauguram prostíbulo.
  •  4. Hércules suspende os 12 trabalhos por falta de pagamento.
  •  5. Narciso vende espelhos para pagar a dívida do cheque especial.
  •  6. O Minotauro puxa carroça para ganhar a vida.
  •  7. Acrópole é vendida ao Bispo Macedo e aí é inaugurada uma Igreja      ___Universal do Reino de Zeus.
  •  8. Eurozona rejeita Medusa como negociadora grega: "Ela tem minhocas ___na cabeça!".
  •  9. Sócrates inaugura o Cicuta's Bar para ganhar uns trocados.
  • 10. Dionisio vende vinhos à beira da estrada de Marathónas.
  • 11. Hermes entrega currículo para trabalhar nos correios. Especialidade: ___entrega rápida.
  • 12. Afrodite aceita posar para a Playboy.
  • 13. Sem dinheiro para pagar os salários, Zeus libera as ninfas para ___trabalharem na Eurozona.
  • 14. Ilha de Lesbos abre resort hétero.
  • 15. Para economizar energia, Diógenes apaga a lanterna.
  • 16. Oráculo de Delfos vaza números do orçamento e provoca pânico nas ___Bolsas.
  • 17. Áries, deus da guerra, é pego em flagrante desviando armamento ___para a guerrilha síria.
  • 18. A caverna de Platão abriga milhares de sem-teto.
  • 19. Descoberto o porquê da crise: Os economistas estão falando grego!

terça-feira, 16 de outubro de 2012

U-507

Agosto de 1942. Ataques do submarino alemão U-507 a navios brasileiros ao longo da costa do nordeste provocaram a morte de mais de 600 pessoas. Isto levou o governo brasileiro a declarar guerra aos países do eixo Roma-Berlim.
O curta-metragem, postado abaixo, narrado em versos de cordel, dá uma ideia do que aconteceu na época pelos arredores da capital sergipana, local mais próximo das trágicas ocorrências.

"Resgatando saberes da população mais idosa do povoado Areia Branca, em Aracaju, Rubens Carvalho, cineasta amador e equipe, reuniram neste documentário informações preciosas, jóias históricas de quem viveu, conviveu, participou e mantém na memória os episódios do abatimento dos navios brasileiros pelo submarino alemão U-507, quando centenas de corpos mutilados apareceram na praia próxima ao povoado, hoje chamada de Náufragos."
Fatima Carvalho

Um filme de Rubens Carvalho
Fonte YouTube - Enviado por Fatima Carvalho em 15/03/2011.

segunda-feira, 15 de outubro de 2012

EVERYBODY - MADONNA

1982, 06 de outubro. Sem saber que essa seria considerada [muito tempo depois] uma data importante para o mundo da pop-music, o editor deste blog comemorou, só com a presença da mãe, seu aniversário sem grande alarde.
Nesse dia, também sem alarde, Madonna, a futura rainha da pop-music, lançava seu primeiro single.

Ainda não havia internet, somente o rádio e a TV. Assim, "Everybody" só ingressou nas pistas de dança do extremo sul do Brasil uns 6 meses depois.

Se levarmos em conta as limitações de divulgação, o sucesso dessa música veio muito rápido, e já permitia aos críticos antever o talento musical que estava surgindo.
  
Publicado em 10/04/2012 por 
Music video by Madonna perfoming Everybody. © 1982 Sire Records

domingo, 14 de outubro de 2012

O ASSADOR

2012, 14 de outubro - em algum lugar do interior do RS. Prestes a decretar que o churrasco do fim-de-semana, em comemoração ao Dia da Criança, está pronto, o assador, concentradíssimo, inspeciona um dos espetos. Ao que parece, este já está quase no ponto.

segunda-feira, 8 de outubro de 2012

TUDO PELA VIDA

2012, 07 de outubro. Acompanhei pelo rádio (Rádio Nativa - 740 AM), enquanto pude, as tentativas infrutíferas de resgate do cachorro que caiu na água, no cais do Rincão da Cebola, em Rio Grande, RS.

Triste, ouvi o veredicto da impossibilidade de recuperar o bichinho sem o uso de equipamento de mergulho, e que não daria tempo de acionar as providências necessárias para trazer o cão à terra firme. Me conformei, e tratei de esquecer o fato.

O jornal Agora, editado na cidade do Rio Grande, RS, hoje, me devolveu a alegria. Leia a reportagem de Anete Poll, abaixo.

Cadelinha é resgatada da água pelos bombeiros
Por Anete Poll
anete@jornalagora.com.br

Muita gente se mobilizou na manhã deste domingo, 7, no resgate de uma cadelinha que ficou presa sob o cais, no Rincão da Cebola. Ninguém sabia ao certo como ela foi parar dentro da água e, principalmente embaixo do cais. Mas o certo é que escutaram os latidos desesperados. Pedro Porto, que chegou ao local bem cedo e ouviu os primeiros latidos, tendo acionado os bombeiros, demonstrava grande preocupação. "Gente, não vai dar tempo para salvar se não entrarem na água agora". Acredita-se que o animal caiu ou, o mais provável, foi jogado dentro da água e para se abrigar procurou chão firme, encontrando sob o cais. O problema é que a maré começou a subir o que dificultou ainda mais a ação de quem tentasse chegar até ele. E não foram poucos os que tentaram, mas com a maré subindo, todos ficaram receosos. Pedro Porto afirmou que só não entrou porque estava de ônibus e como iria se molhar, não tinha como trocar de roupa depois. Assim que os bombeiros chegaram, a população começou a pedir uma ação mais eficaz. O sargento Fanti, que comandou a operação de resgate, tentava acalmar as pessoas, explicando que havia toda uma situação de observação, para ver a melhor possibilidade de se efetuar o resgate sem colocar a vida de ninguém em perigo. Afirmando que já realizaram vários resgates de animais, disse: "o mais difícil é administrar a pressão da população. Mas somos profissionais, sabemos o que estamos fazendo e situações assim precisam ser muito bem analisadas". Todo o resgate levou quase uma hora e meia. Foram realizadas diversas tentativas de se chegar ao animal sem que fosse pela água. Mas não houve jeito. O soldado Cardoso, há três anos nos bombeiros, após ter colocado a vestimenta de mergulho, entrou na água. Após algumas tentativas, chegou ao local certo e conseguiu tirar a cadelinha. "Foi tranquilo. É para isso que trabalhamos. E ela quis ser salva, pois veio na minha mão quando estendi para pegá-la", disse o soldado Cardoso. Regina Alves, que chegou praticamente no final de toda a ação, mas não menos interessada no salvamento da cadelinha, após esta ser retirada da água e alguém ter indagado o que fazer com o animal, foi a primeira a responder, dizendo que ela iria adotar. "Adoro animais. Já tenho a Nina e a Fafá. Agora mais esta. E ela é vitoriosa, pois sair de uma situação tão difícil é só para vitoriosos". Como Regina estava de moto, a cadelinha foi levada pelos bombeiros até a sua casa, no bairro Santa Teresa.

Fonte jornal Agora (07/10/2012) - Rio Grande, RS
Fotos Leandro Carvalho
Animal ficou em um espaço sob o cais

Logo após aos resgate, cadelinha foi adotada





terça-feira, 2 de outubro de 2012

BANHO, NÃO. PASSEIO, SIM.

Observem as reações do Bobby diante das opções que lhe são apresentadas.

Publicado no YouTube em 19/06/2012 por 
Colaboração sine qua non Denise BAMF Bechuetti