sábado, 27 de outubro de 2012

BONDINHO

Praia Vermelha, Rio de Janeiro, 1908. Durante a comemoração do centenário da abertura dos portos da cidade do Rio de Janeiro, ordenada por D. João VI, o engenheiro Augusto Ferreira Ramos (Cantagalo, 1860 — Rio de Janeiro, 28/07/1939) olhou para cima e imaginou a construção de um caminho aéreo entre os morros da Baía de Guanabara. O objetivo óbvio era promover uma vista privilegiada da cidade, o que atrairia turistas de todas os lugares. Talvez de todos os lugares do mundo.

Com o apoio do governo e um capital inicial de 360 contos de réis, ele fundou a Companhia Caminho Aéreo Pão de Açúcar e deu sequência ao projeto, cuja execução, que mobilizou centenas de operários, começou em 1910 e durou dois anos, consumindo uma verdadeira fortuna - algo em torno de 2 milhões de contos de réis.

A ligação entre a Praia Vermelha e o Morro da Urca, com 575 metros, foi inaugurada em 27 de outubro de 1912, mas ainda faltava unir o Morro da Urca ao Pão de Açúcar. Quase 3 meses depois, em 18 de janeiro de 1913, foi inaugurado o trecho final do trajeto, com extensão de 750 metros.

Como foi feito

Uma equipe de mais de 100 operários-alpinistas foi designada para levar as peças de um guincho manual e demais equipamentos que, juntos, pesavam cerca de 4 toneladas, até o alto do morro da Urca. Enquanto isto, lá embaixo, outra equipe de operários rasgava a floresta, arrastando um cabo de aço até a base do morro. O guincho montado pelos alpinistas no alto do morro serviu para puxar, com uma corda, a ponta do cabo de aço que lá foi ancorada, passando a servir, dali por diante, como um elevador de carga de todas as peças necessárias para a montagem da estação da Urca.

Da Alemanha vieram dois bondinhos construídos em madeira maciça que foram içados e acoplados às suas bases (os cabos de aço de ida e volta) por guindastes. Projetados para transportar 24 pessoas de cada vez, os bondinhos alemães permaneceram em atividade até o início da década de 1970, quando o projeto foi ampliado e novos teleféricos foram adquiridos pela Companhia. A capacidade de transporte dos bondinhos - que ao invés de dois, agora seriam quatro - subiu para 75 pessoas em cada um.

Foto acervo da Cia Caminho Aéreo Pão de Açúcar


Em 29 de outubro de 1972 os bondinhos, que ainda hoje estão em atividade, começaram a funcionar.

As normas internacionais de segurança recomendam que a cada 30 anos os cabos de transporte dos bondinhos sejam substituídos. Assim, em 31 de março de 2002, o complexo foi fechado não só para a troca dos oito cabos de sustentação do sistema, mas também para reformas gerais nos próprios bondinhos, nas lojas localizadas nos morros, na iluminação, nos complementos paisagísticos, etc.


A reinauguração do transporte teleférico Praia Vermelha/Urca/Pão de Açúcar e retorno ocorreu em 14 de junho de 2002. De lá para cá, considerando a média de 2.500 pessoas transportadas por dia, cerca de 9,5 milhões de passageiros utilizaram os serviços da Cia. Caminho Aéreo Pão de Açúcar, que deu tão certo, que está no ramo desde o começo de tudo.

Para saber mais, entre no site do bondinho.

Nenhum comentário: