terça-feira, 4 de junho de 2013

DEPOIS DA COPA

Elefante Branco é uma expressão idiomática para uma posse valiosa da qual seu proprietário não pode se livrar e cujo custo (em especial o de manutenção) é desproporcional à sua utilidade ou valor. O termo é utilizado na política para se referir a obras públicas sem utilidade.
imagem: http://petcivilufjf.files.wordpress.com/2013/05/elefante-branco.jpg

Segundo a lenda, receber um elefante branco de presente de um monarca era simultaneamente uma bênção e uma maldição: uma bênção porque o animal era sagrado e um sinal do favoritismo do monarca pelo cortesão que o recebia; uma maldição porque o animal não tinha uma utilidade prática que compensasse o custo de sua manutenção.

Se dependerem do futebol, quatro - dos doze - estádios construídos ou reformados para a Copa / 2014 vão se transformar em elefantes brancos tão logo termine o torneio. Isto não é lei, mas é a lógica.

Arena da Amazônia
Com capacidade para 44.500 torcedores, a Arena da Amazônia foi imaginada para se transformar em grande espaço multifuncional após a Copa. Se terá, ao longo de sua utilização, público suficiente para dar uma resposta à altura do investimento inicial, não se sabe.

Nove dos dezoito clubes ligados à Federação Amazonense de Futebol têm sede em Manaus, mas somente um deles, no momento, está qualificado para jogar a Série D, a mais modesta do Campeonato Brasileiro. Os demais vêm se acomodando como podem nas disputas pelo estadual ao longo de muitas décadas.

2013, 19 de maio.  Nacional FC e Princesa SEC se enfrentaram no estádio do SESI, em Manaus, pelas finais do Campeonato Amazonense / 2013, assistidos por 2.924 pessoas. A projeção de público para depois da Copa / 2014, segundo estudos da Play The Game, uma ONG dinamarquesa que trabalha pela transparência no esporte, está dentro desta média ou um pouco acima, como na final do amazonense de 2012 que registrou 3.896 pessoas, também no estádio do SESI.

Arena Pantanal
Construída pela empresa Mendes Júnior, a Arena Pantanal tem um custo previsto de R$ 420 milhões, e depois da Copa deve ser palco de jogos do CE Dom Bosco, prestes a se tornar um clube-empresa para tentar voltar à elite do futebol mato-grossense, do Mixto EC, que atualmente joga a Série D do Campeonato Brasileiro, e do Cuiabá EC que está na Série C.

A capacidade do complexo é para 42.500 pessoas, mas as previsões mais otimistas indicam que depois do evento Copa do Mundo, menos de 5% das acomodações do estádio serão ocupadas por torcedores nos jogos.

Arena das Dunas
ABC FC e América FC estão na Série B do Campeonato Brasileiro. O problema de público em Natal, no estádio que terá capacidade para 31.375 pessoas após a Copa, parece não ser tão grave assim. Porém, é possível que o ABC prefira jogar no seu próprio estádio, o Frasqueirão, para favorecer a sua qualidade de mandante. Quanto ao América, este ainda não entrou em acordo com a Federação Norte-Rio-Grandense de Futebol quanto à futura gestão do estádio.

Estádio Nacional de Brasília "Mané Garrincha"
Em se tratando de futebol, em Brasília a coisa não é muito diferente do que pode ocorrer nos outros três complexos esportivos.

Associação Botafogo Futebol Clube, Brasília Futebol Clube, Brasiliense Futebol Clube, Sociedade Esportiva Brazlândia, Capital Clube de Futebol, Sociedade Atlética Ceilandense, Ceilândia Esporte Clube, Sociedade Esportiva do Gama, Legião Futebol Clube, Associação Atlética Luziânia (GO), Sobradinho Esporte Clube e Unaí Esporte Clube (MG), disputaram o Campeonato Brasiliense / 2013, e não conseguiram atrair nem 1.000 torcedores em seus jogos. A salvação da lavoura foi o Gama que, em média, chegou aos 2648 torcedores por partida. Assim mesmo, as perspectivas para depois não são alviçareiras.
Por enquanto, Brasília FC, na Série D, e Brasiliense FC, na C, são os representantes mais famosos do Distrito Federal.

Depois da Copa  o estádio vai ser entregue a uma empresa privada, a qual, sem poder contar com o futebol, vai ter que preencher os 71.000 lugares disponíveis com alguma freqüência para não deixar com que a monumental construção se torne somente um atrativo turístico.

¿Como estará o Brasil depois da Copa / 2014?
¿E depois dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro?





Nenhum comentário: