terça-feira, 27 de agosto de 2013

SKYFALL - ADELE

Esta é para quem - como eu - vem curtindo, ao longo da história, os temas de abertura dos filmes de 007.

domingo, 25 de agosto de 2013

AMIGA

Rio de Janeiro, 26 de maio de 1970. A data está registrada no primeiro número da Revista Amiga, uma publicação semanal que veio para satisfazer a curiosidade das pessoas que gostavam de saber como era a vida dos seus ídolos da TV.

Anunciada nos programas do Chacrinha - que dizia: "Quem não lê Amiga, se trumbica!", numa rima mal feita - "Amiga" era tudo de bom para quem, por exemplo, gostava de telenovelas porque a revista apresentava os fatos e os boatos dos bastidores da televisão brasileira e, já naquela época, os resumos dos próximos capítulos das novelas. O público brasileiro, até hoje, gosta disso.

Depois, com o surgimento de outras publicações do gênero, ficaram divididas as preferências dos leitores e, tendo perdido espaço, a revista parou de ser publicada em 1999, alguns meses antes da falência da Bloch Editores.


A primeira capa da revista Amiga apresentava Regina Duarte e Cláudio Marzo, como forma de promover a novela das oito [da TV Globo] que iria substituir "Véu de Noiva", e cuja estreia estava marcada para 08 de junho do mesmo ano. "Irmãos Coragem" e o casal Ritinha e Duda, representados pelos respectivos artistas [que não eram os personagens principais], ficaram no ar por mais de um ano - até 12 de junho de 1971-, e a novela foi um sucesso absoluto.

A foto da capa vem do blog





sábado, 24 de agosto de 2013

OS CINQUENTA ANOS DA FITA-CASSETE

Berlim, 1963. Há cinquenta anos, na Internationalen Funkausstellung ou Feira Internacional do Rádio - ¿Seria esta a tradução? - a Philips mostrou, pela primeira vez, a fita-cassete. Associada a um gravador portátil*, o invento virou febre entre os jovens e era comercializado com 30, 60, 90, 120 ou até 180 minutos de duração. Tocava [ou gravava] no Lado A e no Lado B.

O "virou febre entre os jovens" se justifica porque com ela [e um gravador portátil] passou a ser possível não só gravar as músicas do rádio ou do toca-discos e reproduzi-las em qualquer lugar, mas também registrar conversas, entrevistas ou o que quer que fosse em matéria de som.

As gravações não ficavam assim tão boas, mas a indústria fonográfica, agora sujeita a uma pirataria despretensiosa, teve que se adaptar, e passou a lançar os trabalhos de seus artistas, antes só apresentados em LPs e compactos simples ou duplos, também através de fitas cassetes. Na capa da embalagem da fita vinha uma reprodução exata - em tamanho reduzido, é evidente - da capa do LP do artista.

O inconveniente da fita, além da reprodução não ser tão boa quanto à do LP, era que muitas vezes ela ficava presa ao gravador ou toca-fitas. Mas apesar destes percalços houve quem se importasse - e muito - com a sua popularidade. Foi o caso da GEMA (Gesellschaft für Musikalische Aufführungs und Mechanische Vervielfältigungsrechte), uma entidade protetora dos direitos autorais musicais na Alemanha, fundada em 1976, que passou a classificar como "roubo" a gravação e posterior reprodução de músicas por este método. Como medida protetora desses direitos, a GEMA conseguiu, em 1985, impor uma taxa - algo em torno do que seriam hoje 30 centavos de real - sobre a compra de fitas cassete virgens, a ser distribuída entre autores ou compositores.

Com a chegada do Compact Disc, lançado entre o final dos anos 80 e começo dos 90, a fita K7 - assim como seu rival, o disco de vinil - perdeu importância, e as famosas Basf, Philips, Sony, TDK e outras menos votadas, sumiram.

Eu ainda tenho algumas fitas remanescentes, mas nem sei o que nelas está gravado. Ficam para a posteridade... se alguém conseguir reproduzi-las em algum toca-fitas também remanescente do Século XX.

sábado, 3 de agosto de 2013

INCÊNDIO EM PORTUGAL QUEIMOU ATÉ OS CARROS DOS BOMBEIROS

Incêndios em Trás-os-Montes fazem 10 feridos - País - Notícias - RTP

"Os 2 graves incêndios de ontem em Trás-os-Montes puseram alguns bombeiros em risco de vida. Em Miranda do Douro as chamas atingiram uma viatura e provocaram queimaduras em cinco homens, três dos quais em estado grave. Também em Boticas, Vila Real, um outro incêndio queimou um veículo da corporação de Chaves e deixou cinco homens com ferimentos ligeiros."
Fonte: RTP



quinta-feira, 1 de agosto de 2013

BEM ANTES DA FAMA IV

Bem antes da fama, este carioca [que diz que é mineiro de coração] era conhecido por Bituca.
Observe a foto [que é de 1945 e pertence ao arquivo pessoal do retratado], preste atenção aos detalhes e diga quem é esta celebridade.

Confira se sua resposta estava certa, clicando aqui.