quinta-feira, 7 de abril de 2011

A CORRIDA ESPACIAL I

1942, 03 de outubro. Esse foi um dia vitorioso para a Alemanha, pois um de seus foguetes alcançou a altura máxima de 96 Km. Após o lançamento o Major-General Walter Dornberger (06/09/1895 - 27/06/1980), comandante do programa de foguetes V-2, em Peenemünde, anunciou que algum dia o Homem haveria de viajar pelo espaço.

Werner Von Braun e a V-2

1947, 30 de outubro. Helmut Grottrup (12/02/1916 – 05/07/1981) dirige o primeiro disparo de uma bomba V-2 em solo soviético. Grottrup era um engenheiro alemão, líder de quase uma centena de técnicos ligados à produção da V-2 e, tal como eles, foi capturado pelas forças da URSS no final da II Guerra Mundial.
Um pouco mais de dois anos antes o III Exército Blindado norte-americano, ao entrar em Bonn/Alemanha, apoderou-se de vários documentos, dentre os quais, uma relação dos cientistas que trabalhavam na base de Peenemünde, na ilha de Usedom, de onde foi lançada a primeira V-2.
Assim descobriram Werner Von Braun (Wirsitz, 23/03/1912 — Alexandria, 16/06/1977), que desde 1937 trabalhava nos projetos alemães de foguetes. Com a derrota alemã na II Guerra, vendo que os russos estavam levando para seu território as instalações remanescentes de Peenemünde e a maior parte dos técnicos alemães, Von Braun decidiu entregar-se voluntáriamente, com seus principais auxiliares (116 ao todo), aos americanos. Esse ato, aliado às revelações que fez, pouparam muitos anos de pesquisa e centenas de milhões de dólares aos Estados Unidos, que em 1957 já estavam em condições de construir o primeiro artefato capaz de entrar em órbita terrestre.

Lançamento do Sputnik I

Todavia foram os soviéticos os primeiros a colocar um satélite no espaço, o Sputnik (satélite) I, lançado em 04/10/1957, da base de Baikonur, no Cazaquistão.

Sputnik I

O satélite era uma esfera de alumínio de 58 cm de diâmetro, pesando 83 Kg, e tinha dois pares de antenas de 2,4 e 2,9 metros. E antes que os americanos tivessem tempo de assimilar o impacto causado pelo feito, em 03 /11/1957 os soviéticos mandaram ao espaço o Sputnik II, que pesava 543,5 Kg, através de um foguete com 600 toneladas de empuxo. A novidade, dessa vez, foi que o satélite transportava em seu bojo um cão, na verdade uma cadela da raça Laika, chamada Kudriavka (Crespinha), que ficou conhecida como o primeiro ser vivo a viajar no espaço. Infelizmente, Kudriavka não sobreviveu à viagem.

Enquanto os jornais do mundo todo noticiavam as conquistas soviéticas, os americanos viam-se forçados [pelo ego] a acelerar seu programa espacial. E em 06/12/1957, a Marinha, responsável pelos projetos, anunciou o lançamento do foguete Vanguard.

Foguete Vanguard I

Este, subiu a um metro do solo e despencou. "... parecia que todas as portas do inferno se tinham escancarado. Brilhantes línguas de fogo arremetiam-se da parte lateral do foguete próxima ao motor. O veículo, por um momento, hesitou agonizantemente, estremeceu novamente e, ante nossos olhos incrédulos e paralisados, começou a tombar. Ao mesmo tempo, começou também a afundar, qual grande espada flamejante em sua bainha, no tubo de exaustão. Tombou lentamente, desmanchando-se em pedaços, atingindo parte do cavalete de provas e o solo com um rugido tremendo que pode ser sentido e ouvido mesmo por detrás das paredes de concreto da casamata, de 66 cm de espessura", afirmou Kurt Stehling (1919 - 1997), um Engenheiro de Propulsão envolvido no projeto.
Em Washington, o Secretário de Defesa Neil McElroy (30/10/1904 - 30/11/1972), trocou os cientistas da Marinha pela equipe de Werner Von Braun, que em menos de três meses concluiu o Explorer I, que media 2 metros, pesava 13 Kg e era aparelhado com um contador Geiger e um transmissor de rádio. O Explorer I foi lançado em 1º de fevereiro de 1958, e com o equipamento que dispunha, permitiu a descoberta dos cinturões de radioatividade de Van Allen.

Nenhum comentário: