segunda-feira, 20 de junho de 2011

A CORRIDA ESPACIAL VI

1968, 11 de outubro. Acelera-se a corrida espacial. Americanos e soviéticos lançam no mesmo dia a Apollo VII e a Zond VI, respectivamente. A Apollo VII foi a primeira nave tripulada da série. Walter Schirra (New Jersey/EUA, 12/03/1923 — La Jolla/San Diego/California/EUA, 03/05/2007), Donn Eisele (Columbus/Ohio/EUA, 23/06/1930 — Tóquio/Japão, 02/12/1987) e Walter Cunningham (Creston/Iowa/EUA, 16/03/1932) realizaram 175 órbitas em torno da Terra e fizeram manobras de acoplamento com o estágio S-4B da nave Apollo, simulando um acoplamento com o módulo lunar. Tudo funcionou às mil maravilhas.
Entrementes, a nave Zond realizava um vôo de circunavegação lunar, chegando a 2.400 Km de distância da Lua, obtendo fotos do satélite com o objetivo de elaborar um Atlas da Face oculta da Lua. "A Zond 6 utilizou uma técnica de reentrada diferente, chamada de duplo salto (entrada na atmosfera sobre a Antártida, redução da velocidade de 11 km/segundo a uma velocidade suborbital, e então uma reentrada final sobre o território soviético), mais propícia para seres humanos, o que causaria uma desaceleração entre 4 e 7 Gs, ao invés dos insuportáveis 20 Gs." (História da Conquista Espacial - Karl H. Benz).
Foto P. Pesavento collection

Este é Um cartaz produzido especialmente para a missão Zond 6, apresentado ao diretor de vôo Oleg Bychkov, em Moscou.
Logo após o retorno da Zond 6, os cosmonautas que treinavam para futuras missões de circunavegação lunar, escreveram e assinaram uma carta conjunta ao Politburo, solicitando aprovação para uma missão lunar tripulada em dezembro de 1968.

Soyuz II e Soyuz III
O lançamento da Soyuz II, previsto para 24 de abril de 1967, foi adiado devido às falhas apresentadas pela Vostok I, naquele mesmo período. Um ano e meio depois, em 25 de outubro de 1968, ela foi lançada sem tripulantes, e com o objetivo de realizar algumas manobras espaciais. No dia seguinte subiu sua "irmã gêmea", a Soyuz III, que foi o primeiro vôo tripulado Soyuz que deu certo, mas até por aí. Malogrou a tentativa de acoplamento com a Soyuz II porque o controle manual, acionado pelo astronauta Georgi Beregovoy (Fyodorovka/Poltava Oblast/Ucrânia/URSS, 15/04/1921 — Moscou/Rússia, 30/06/1995), entrou em conflito com a orientação do sistema automático de acoplamento.

Entre sucessos e fracassos, daria para dizer que faltava muito pouco para a URSS e os EUA conseguirem mandar um homem à Lua antes do final da década de 1960. Os soviéticos, no entanto, apesar de parecerem estar à frente na disputa, enfrentavam sérios problemas no retorno de suas naves, como o risco de despressurização da cabine de comando e a abertura prematura dos pára-quedas.

1968, 21 de dezembro. Os americanos lançam a missão Apollo VIII, impulsionada por um foguete Saturn V, tripulada por Frank Borman (Gary/Indiana/EUA, 14/03/1928), James Lovell (Cleveland/Ohio/EUA, 25/03/1928) e William Anders (Hong Kong, 17/10/1933). Foi a primeira missão tripulada a orbitar a Lua, num total de 10 órbitas. "Após a decolagem, a nave Apollo, ainda conectada ao estágio S-4B, realizou 2 órbitas ao redor da Terra; em seguida, o estágio S-4B foi acionado (este teste de religamento havia falhado durante o vôo não tripulado da Apollo 6) e impulsionou a Apollo 8 em direção à Lua, num vôo com duração de 66 horas.
Ao chegar nas proximidades da Lua, a Apollo acionou seu motor para desacelerar, e conseguiu entrar em órbita lunar. Após as 10 órbitas, a tripulação acionou novamente o motor e retornou à Terra. O pouso ocorreu normalmente. A duração da missão foi de 6 dias." (História da Conquista Espacial - Karl H. Benz).

Nenhum comentário: