segunda-feira, 16 de maio de 2011

A PENSÃO - parte II

Em julho de 1979, sem mais nem menos, o Osvaldo resolveu vender a pensão. E o comprador do ponto nem estava longe dali. A apenas duas ou três casas de distância, na mesma calçada, moravam os novos donos do negócio, "seu" Xavier e "dona" Georgina que tinham dois filhos adultos, a Marlene e o Clóvis. Ele era o líder de uma banda muito prestigiada em Pelotas, a Clomax Show, e hoje faz carreira solo como compositor e intérprete de música romântica, assinando suas composições e CDs com o próprio nome: Clóvis Xavier.

Enquanto eu estava por lá, vários habitantes passaram pela pensão [que agora não era mais a "Pensão do Osvaldo", era a "Pensão do 'seu' Xavier"]. Pois foi nesse tempo que descobrimos a quadra do América FC, que ficava - ainda existem as ruínas dela - na Álvaro Chaves, quase esquina com Benjamin Constant. Lá se jogava o futsal mais barato de Pelotas.

Jogos entre nós mesmos, mais uns amigos agregados, onde nos misturávamos aleatoriamente para compor as equipes, era praxe. Mas um dia surgiu um adversário de verdade. Eram uns estudantes que moravam em uma pensão vizinha à nossa, a Pensão do Italiano, que ficava também na rua 15 de Novembro, em frente ao quartel dos bombeiros. Bastava atravessar a rua Gomes Carneiro e se chegava ali.
O primeiro jogo foi marcado para um sábado à tarde, não me lembro de que mês de 1979. Os quatro jogos subsequentes, todos com vitória arrasadora da nossa equipe, também foram aos sábados à tarde. Mas ganhar as partidas estava ficando cade vez mais difícil, pois os caras da Pensão do Italiano já estavam ficando impacientes por perderem tantas vezes, e todas para o mesmo adversário. Então eles começaram a se reforçar e, certa vez, num domingo de manhã, também na quadra do América, conseguiram nos ganhar por um gol de diferença, graças a um morador recém-chegado à pensão do tal italiano. O cara, com somente [aproximadamente], 1 metro e sessenta de altura, não inspirava maiores preocupações, apenas despertava curiosidade por ter o cabelo bem ruivo, quase vermelho. Porém - em seguida percebemos - jogava um futebol de boa qualidade. Dessa vez, "de salto alto", fomos derrotados pela soberba. O baixinho correu e jogou uma barbaridade, contando, senão com uma técnica aceitável dos seus companheiros, pelo menos com o entusiasmo dos mesmos, que souberam colaborar com o novo astro da bola através de um esforço fora do comum, digno das melhores fórmulas de doping psicológico.
Eles venceram, mas foi só desta vez. Nos três jogos posteriores, que foram os últimos, nós já estávamos "vacinados" contra a tal arma-secreta, que passou a receber leal, mas rigorosa, marcação. E desmanchou-se o time da Pensão do Italiano, cujo histórico resumido foi de 1 (uma) magra vitória e 7 (sete) gordas derrotas.
Local onde, outrora, ficava a Pensão do Osvaldo - rua 15 de Novembro, 319 - Pelotas, RS. A construção original foi demolida e deu lugar à residência acima. Para ter uma idéia de como era antes, acesse "A PENSÃO - parte I".

Ruínas do prédio que, outrora, abrigou a Pensão do Italiano. Ele fica em frente ao quartel dos Bombeiros, na rua 15 de Novembro, em Pelotas, RS.
Posted by Picasa

Nenhum comentário: